Redirecionamento do esforço

Amex transfere centenas de vendedores para trabalho de cobrança

Empresa foi prejudicada pela pandemia, que atrapalhou as viagens globais e reduziu os gastos com seus cartões

Aprenda a investir na bolsa

(Bloomberg) — A American Express está mudando “centenas e centenas” de funcionários em suas unidades de vendas para lidar com cobranças e outros trabalhos de crédito e planeja mais reservas para perdas com empréstimos neste trimestre.

À medida que a pandemia de coronavírus provocou aumento nas taxas de desemprego, a empresa de cartão de crédito rapidamente começou a transferir os vendedores para crédito e cobrança, disse o CEO Steve Squeri em conferência virtual com investidores.

As reservas adicionais para perdas com empréstimos provavelmente serão tão grandes quanto os US$ 1,7 bilhão registrados no primeiro trimestre, disse ele.

Aprenda a investir na bolsa

“Quando você pensa sobre isso, crédito e cobrança são um pouco como vender”, disse Squeri. “Não se trata de coletar o dinheiro. É entender qual é o problema de alguém e oferecer soluções.”

A Amex foi prejudicada pela pandemia global, que atrapalhou as viagens globais e reduziu os gastos com seus cartões, à medida que os consumidores em todo o mundo foram obrigados a permanecer em casa.

Os gastos com cartões da empresa caíram para porcentagem perto de 30 em relação a um ano atrás, uma melhora em relação ao declínio de 45% ocorrido no mês passado.

“Eu nunca pensei que diria que os 30 e poucos seria uma recuperação”, disse Squeri, acrescentando que os gastos com viagens e entretenimento ainda estão cerca de 90% menores. “Eu tento descrever essa crise para as pessoas como 11 de setembro junto com a crise financeira multiplicado por cinco. E então junta o furacão Sandy.”

À medida que a crise piorava em março, a AmEx lançou alívios de curto prazo e outros tipos de ajuda.

A empresa agora tem cerca de 500.000 consumidores inscritos nesses programas, representando cerca de US$ 5 bilhões em saldos, em comparação com 845.000 inscritos no mês passado.

PUBLICIDADE

Dos 345.000 clientes que saíram do programa de ajuda, dois terços agora estão em dia com suas contas, disse Squeri. De resto, alguns ficaram inadimplentes, enquanto outros se aproveitaram dos planos de alívio de longo prazo.

“Conseguimos articular centenas e centenas de nossos vendedores em nível global para intervir e fazer crédito e cobranças para nós”, disse Squeri. “É muito mais sobre consulta de crédito agora do que realmente sobre cobranças.”

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:
Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.