Ambipar (AMBP3) lucra R$ 22,7 milhões no 4º tri de 2022 e defende “ainda mais critério” para investir

Lucro da empresa de gestão ambiental recuou 56,7% no trimestre encerrado em dezembro, mas Ebitda foi recorde no período

Rikardy Tooge

Publicidade

A Ambipar (AMBP3) informou nesta terça-feira (28) que obteve lucro líquido de R$ 22,7 milhões no quarto trimestre de 2022, com queda de 56,7% em relação a igual período do exercício anterior. Em todo ano passado, o resultado líquido recuou 35,7%, de R$ 169,1 milhões para R$ 108,7 milhões.

Apesar de uma alta de 74,6% na receita líquida no trimestre, para R$ 1,2 bilhão, a companhia apresentou aumento de 34% nos investimentos (capex) no mesmo comparativo, passando de R$ 178,3 milhões para R$ 238,9 milhões, enquanto a margem bruta recuou 1,1 ponto percentual, chegando a 32,6%.

“O quarto trimestre e o ano de 2022 como um todo só comprovam nossa tese de crescimento. Investimos no crescimento inorgânico e temos um ecossistema que se autoalimenta”, avalia Thiago Costa, CFO da Ambipar, ao InfoMoney.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Sobre o aumento de receita, a empresa apontou que a consolidação da Witt O’Briens, empresa norte-americana comprada por US$ 161,5 milhões em setembro do ano passado (R$ 836,4 milhões conforme a contação da época), foi responsável por 14,2% da receita líquida da empresa no trimestre. “Foi a nossa maior aquisição da história e nos abre uma possibilidade enorme de cross-selling [venda de outros produtos aos mesmo clientes] enorme”, lembra Costa.

No ano, o faturamento líquido da Ambipar quase que dobrou, de R$ 1,92 bilhão para R$ 3,79 bilhões, uma alta de 97,8%. O capex avançou 48,6% em 2022, para R$ 774,2 milhões, 31,6% com margem (-0,8 ponto).

Thiago Costa, CFO da Ambipar (Divulgação)
Thiago Costa, CFO da Ambipar: estrutura de capital confortável e com crescimento (Divulgação)

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, em inglês) encerrou o quarto trimestre em R$ 349,8 milhões, crescimento de 88,1% e margem de 29,4% (+2,1 pontos percentuais) – um recorde para o período. No ano, o Ebitda chegou a R$ 1,05 bilhão, com avanço de 102,5% e margem 0,6 ponto maior, em 27,6%.

Continua depois da publicidade

No quarto trimestre de 2022 a alavancagem da empresa 2,98 vezes a dívida líquida pelo Ebitda, o que representa um crescimento de 0,46 vez. A dívida líquida saltou 122,8%, de R$ 1,87 bilhão para R$ 4,18 bilhões no período. Costa explica que a estrutura de capital da Ambipar já apresentou melhora do fim do ano até o primeiro trimestre deste ano.

Em um evento subsequente no início deste mês, a empresa levantou US$ 174 milhões (R$ 895,7 milhões na cotação da época) com a oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês) da subsidiária Ambipar Response na bolsa de Nova York. Com isso, prossegue o CFO, a alavancagem da companhia fica 2,5 vezes Ebitda, nível próximo ao observado no quarto trimestre de 2021. “Com a diferença que nossa receita dobrou no período”, aponta Thiago Costa.

O Retorno Sobre Capital Investido (ROIC, em inglês) subiu 3,8 pontos percentuais no quatro trimestre de 2022, para 14,4%. No ano, o índice fechou estável em 11,5%.

Para 2023, a gestão Ambipar afirma que está de olho no alto custo de capital para o decorrer do ano e que deverá ser “mais criteriosa” nos investimentos “ponderando a atratividade do retorno sem comprometer o balanço”.

“A questão dos juros está, sim, no nosso radar. Só que nosso desempenho no retorno sobre capital nos dá tranquilidade de que isso não afetará nossa estratégia” afirma o CFO da Ambipar.

Rikardy Tooge

Repórter de Negócios do InfoMoney, já passou por g1, Valor Econômico e Exame. Jornalista com pós-graduação em Ciência Política (FESPSP) e extensão em Economia (FAAP). Para sugestões e dicas: rikardy.tooge@infomoney.com.br