Balanços

Ambev tem lucro líquido ajustado de R$ 2,96 bilhões no segundo trimestre, alta de 116% na comparação anual

A receita líquida da empresa foi de R$ 15,711 bilhões no trimestre, em alta de 35,3% ante os R$ 11,615 bilhões entre abril e junho de 2020. 

Por  Equipe InfoMoney -

A Ambev (ABEV3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 2,9627 bilhões contra R$ 1,3726 bilhão no segundo trimestre de 2020, alta de 115,9% na base de comparação. Para o primeiro semestre de 2021, o lucro foi de R$ 5,7247 bilhões contra R$ 2,6004 bilhões no mesmo período do ano passado, ou alta de 120,1%.

Essa linha do resultado teve um impacto positivo de um crédito tributário de R$ 1,6 bilhão, contabilizado no balanço. A Ambev explica que o número é resultado da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de considerar inconstitucional a inclusão do ICMS na base de cobrança do PIS/Cofins.

O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) ajustado do trimestre foi de R$ 5,289 bilhões, um avanço reportado de 58%, e orgânico de 24%.

A receita líquida da empresa foi de R$ 15,711 bilhões no trimestre, em alta de 35,3% ante os R$ 11,615 bilhões entre abril e junho de 2020.

Segundo a empresa, a receita foi impulsionada pelo desempenho do volume e pelo crescimento da receita líquida por hectolitro (ROL/hl) de 14,5%. A receita líquida cresceu 28,5% no Brasil.

Em seu comentário de desempenho, a administração destaca que a empresa apresentou mais um forte desempenho comercial de abril a junho, atingindo os maiores volumes consolidados já registrados em um segundo trimestre. O resultado, informam, foi impulsionado pela implementação consistente da estratégia, baseada em inovação, plataformas tecnológicas e excelência operacional.

“Além de estarmos melhor preparados para enfrentar questões relacionadas à covid-19, estamos trabalhando para apoiar nossos clientes durante a reabertura econômica à medida que a vacinação avança e as restrições gradualmente diminuem nos países em que operamos”, diz a empresa.

A Ambev destaca que no período, continuou a registrar crescimento nos volumes em 19,0% ante o segundo trimestre de 2020 e 8,0% ante o mesmo período de 2019, com 7 dos 10 principais mercados já crescendo acima de igual etapa de 2019. “A receita líquida cresceu 36,2% e a ROL/hl 14,5%, impulsionada por iniciativas de ‘premiunização’, inovação e gestão de receita. Nossas marcas acima do core continuam ganhando relevância em nosso portfólio em 5 dos principais mercados em que atuamos” diz a companhia.

(com Estadão Conteúdo)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Transformar a Bolsa de Valores em fonte recorrente de ganhos é possível. Assista a aula gratuita do Professor Su e descubra como.

 

Compartilhe