Radar InfoMoney

Alta do petróleo pode impactar Petrobras; BNDES deve vender ações ON da estatal em fevereiro e mais destaques

Confira os destaques do noticiário corporativo na sessão desta sexta-feira (3)

(Agência Petrobras)
Aprenda a investir na bolsa

A sessão deve ser movimentada para a Petrobras, em meio aos fortes ganhos do petróleo, de cerca de 4%, após os EUA promoverem um ataque que culminou com a morte de um alto comandante militar do Irã. Além disso, o Estadão informa que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve se desfazer de sua fatia de 10% das ações ordinárias (com direito a voto) na Petrobras, por meio de uma oferta subsequente (follow on) no dia 04 de fevereiro.

Além disso, o Carrefour Brasil informou que o Atacadão, seu braço no comércio atacadista, fez um empréstimo de 325 milhões de euros (R$ 1,46 bilhão) na financeira do grupo varejista francês, que fica na Bélgica. Segundo o Carrefour, o empréstimo é para “finalidades corporativas gerais”. O Banco Pine comunicou ontem aos acionistas que seu aumento de capital foi aprovado pelo Banco Central. Confira os destaques desta sexta-feira (3):

Petrobras (PETR3;PETR4)

De acordo com a coluna do Broad, do Estadão, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve se desfazer de sua fatia de 10% das ações ordinárias (com direito a voto) na Petrobras, por meio de uma oferta subsequente (follow on) no dia 04 de fevereiro.

Aprenda a investir na bolsa

Conforme o cronograma previsto até aqui, o início do roadshow, como são chamadas as reuniões com os potenciais investidores, está previsto para o dia 22 de janeiro. A fatia de ações ordinárias detidas pelo banco de fomento vale cerca de R$ 24 bilhões. Além das ações ordinárias, o BNDES possui cerca de R$ 30 bilhões em ações preferenciais da petroleira, que serão vendidas em operações em bolsa.

A Petrobras informou que sua conselheira Clarissa de Araújo Lins apresentou ontem sua renúncia ao cargo de membro do Conselho de Administração da empresa, por “razões profissionais”. A petrolífera informou que aguarda a nomeação de um novo conselheiro pelo acionista controlador.

Leia também:
• Como a morte de alto comandante do Irã elevou as tensões e interrompeu o forte ânimo das bolsas pelo mundo

Natura (NTCO3)

A Natura & Co Holding comunicou hoje (3) que espera consumar nesta sexta-feira a aquisição total da Avon Products e informou que Roberto Marques, presidente-executivo do Conselho de Administração da Natura desde 2017, será o principal executivo do grupo.

Segundo a empresa, Marques comandou a Natura durante a aquisição da The Body Shop em 2017 e possui ampla experiência global.

Marques continuará a liderar o Comitê Operacional do grupo, que inclui os executivos-chefes de cada uma das quatro marcas e operações: Natura & Co América Latina, Avon (exceto América Latina), The Body Shop e Aesop.

Na nova estrutura, João Paulo Ferreira assume o comando da Natura & Co América Latina; Angela Cretu foi nomeada executiva-chefe da Avon Products (Estados Unidos, Europa, Oriente Médio, Ásia, África); David Boynton permanecerá como executivo-chefe da The Body Shop; e Michael O’Keffe, fundador e atual executivo-chefe da Aesop, permanecerá no cargo atual.

Braskem (BRKM5)

PUBLICIDADE

A petroquímica Braskem comunicou ao mercado nesta sexta-feira que assinou um termo de acordo com a Defensoria Pública do Estado de Alagoas, com o Ministério Público Federal (MPF), com o Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL) e com a Defensoria Pública da União (DPU) para apoio na desocupação e compensação aos moradores das áreas de risco localizadas nos bairros de Mutange, Bom Parto, Pinheiro e Bebedouro, em Maceió.

O acordo ainda será submetido a homologação judicial e a projeção é que envolva cerca de 17 mil pessoas. A Braskem informou que prevê um gasto de R$ 1,7 bilhão no Programa de Compensação Financeira e Realocação, e outros R$ 1 bilhão para o fechamento dos poços de sal da companhia.

“Adicionalmente, Estado de Alagoas, MPF, MP-AL e DPU concordaram com a restituição do montante de R$ 3,7 bilhões até então bloqueados no caixa da companhia, sendo que R$ 1,7 bilhão será transferido para uma conta bancária da Braskem específica para o Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação”, informou a petroquímica.

Smiles (SMLS3)

A Smiles informou que, a pedido de Marcos Antonio Pinheiro Filho e por questões de foro pessoal, o executivo foi destituído dos cargos de diretor financeiro e de relações com investidores.

Em razão disto, o Conselho de Administração da Companhia aprovou a cumulação dos cargos de diretor financeiro e de RI do atual presidente da companhia, André Fehlauer, até o término do mandato, bem como elegeu Murilo Cintra Grassi para o cargo de diretor sem designação da companhia, para o mandato em curso.

Carrefour (CRFB3

O Carrefour Brasil comunicou ontem à CVM que sua subsidiária Atacadão, que atua no comércio atacadista, fez um empréstimo de 325 milhões de Euros (R$ 1,46 bilhão) na financeira Carrefour Finance S.A., com sede na Bélgica. Segundo o Carrefour Brasil, o empréstimo ao Atacadão é destinado a “finalidades corporativas gerais”.

Para usar o dinheiro, o Atacadão pagará taxa de juros Euribor mais 0,60% ao ano, sobre o volume utilizado. O contrato prevê que se houver mudança no controle da companhia, as parcelas em aberto poderão ter vencimento antecipado.

Pine (PINE4)

O Banco Pine comunicou ontem aos seus acionistas que o Banco Central aprovou o aumento do capital social da instituição. O Pine é um banco regional voltado ao atendimento de empresas e tem o capital aberto na B3 desde 2007. Segundo o Pine, o capital social da empresa passará a ser de R$ 1,2 bilhão, dividido em 148,157 milhões de ações.

Cyrela (CYRE3

PUBLICIDADE

A incorporadora imobiliária e construtora Cyrela informou ontem ao mercado que o Itaú Unibanco reduziu sua participação na empresa para menos de 5% das ações ordinárias. Em setembro do ano passado, o Itaú Unibanco havia ultrapassado os 5% das ações ordinárias.

(Com Agência Estado)

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações!