Bolsas mundiais

Acordo grego anima bolsas mundiais; Xangai sobe forte pelo 3º dia seguido

Após mais de 17 horas, a Grécia garantiu a reestruturação da dívida e financiamento de médio prazo dentro de um pacote de crescimento avaliado em 35 bilhões de euros

Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após dias de tensão, a sessão desta segunda-feira (13) é de alta para as principais bolsas mundiais, tendo como grande destaque a Grécia. 

Após mais de 17 horas, a Grécia garantiu a reestruturação da dívida e financiamento de médio prazo dentro de um pacote de crescimento avaliado em 35 bilhões de euros em um acordo com seus credores que permitirá ao país permanecer na zona do euro, afirmou nesta segunda-feira o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, em Bruxelas.

Ele disse que o acordo trará novos investimentos para ajudar o país a sair da recessão e evitar o colapso do sistema bancário. Com isso, as bolsas europeias registram ganhos, com destaque para o francês CAC 40, com ganhos de cerca de 2%, enquanto o alemão DAX sobe mais de 1% e o FTSE tem ganhos de cerca de 0,7%.

Aprenda a investir na bolsa

O dia também é de ânimo para as bolsas asiáticas, com a terceira alta seguida para a bolsa de Xangai, com alta de 2,41%, também seguindo as notícias do acordo grego. O Nikkei também teve alta, de 1,57%, enquanto o Hang Seng subiu 1,30%.

Ajudando o humor, dados da China mostraram que as exportações cresceram 2,8 por cento em junho, enquanto as importações caíram 6,1 por cento. Ambos os dados foram melhores que as expectativas em muito em um sinal de que a demanda global pode estar se recuperando. 

Hoje, o primeiro-ministro chinês Li Keqiang afirmou a especialistas em economia e executivos empresariais em reunião que o país  fará ajustes direcionados às suas políticas econômicas de uma maneira mais eficaz e precisa. 

Li disse também que a China perseguirá uma política fiscal ativa e uma política monetária prudente para apoiar sua economia, a qual ele afirmou estar confiante de que pode sustentar ritmo razoável de crescimento. As declarações foram publicadas no site do governo.

Já no último domingo, o regulador do setor financeiro da China ordenou que corretoras revisem seus negócios e reforcem o cumprimento da regra de que apenas nomes reais com número nacional de identificação sejam usados, no mais recente movimento do governo em busca de uma estabilização dos preços de ações, após uma devastadora queda nas cotações no mês passado.

(Com Reuters)

PUBLICIDADE