Reciclagem

Ações da Orizon (ORVR3) fecham com alta de 0,81% após balanço; XP eleva preço-alvo

Resultados superaram as expectativas, principalmente na venda de créditos de carbono gerados em 2021, volumes de aterros e maiores volumes de energia

Por  André Cabette Fábio -

As ações da Orizon (ORVR3) fecharam com alta de 0,81% na sessão desta quinta-feira (31), cotadas a R$ 31,20, após a empresa divulgar os seus resultados do 4º trimestre, que foram considerados positivos pelo mercado.

Segundo o Credit Suisse, os resultados operacionais da Orizon superaram as expectativas, principalmente como resultado da venda de todos os créditos de carbono gerados em 2021, dos volumes de aterros e dos maiores volumes de energia vendidos, além de controlar as linhas de custo.

Na perspectiva anual, a empresa também apresentou melhores volumes nos mesmos segmentos, porém acompanhados de maiores custos.

Analistas acreditam que os principais impulsionadores da empresa continuam sendo os novos projetos, as oportunidades de M&A e a incorporação bem-sucedida de ativos recém adquiridos (aterros UPI Aterros e Cuiabá), incluindo seus possíveis opcionais.

O Credit Suisse mantém classificação outperform para o papel, e preço-alvo de R$ 37,40.

XP revisa expectativas para Orizon

Já a XP reiterou sua recomendação de compra e elevou o preço-alvo das ações da empresa de 30 para R$ 40. Analistas da XP justificaram a elevação por conta da atualização das estimativas, com a incorporação da aquisição da UPI Aterros, com 7 aterros e 1 unidade de Blending/Coprocessamento; assim como de um aterro sanitário em Cuiabá.

“Além do volume expressivo, as transações também foram realizadas a preços atrativos”, pontuou a XP, acrescentando que os novos ativos adquiridos, de forma geral, reforçam a estratégia de transformar aterros em complexo de gestão integrada de resíduos,  denominado Ecoparque, que pode rentabilizar o material e a energia potencial dos resíduos coletados nos aterros.

Adicionalmente, os analistas da XP destacaram os valores mais altos de crédito de carbono e os maiores preços de energia na WtE Barueri. “Continuamos otimistas com a companhia e acreditamos que a Orizon tem avenidas claras para o crescimento orgânico e inorgânico”, escreveram, em relatório.

No mais, a XP reforçou que que existem altas barreiras de entrada para novos players no setor de gestão de resíduos. “A construção de um novo aterro está associada a um rigoroso processo de licenciamento e estudos ambientais, dada a natureza destas atividades, que demora em média de 5 a 10 anos para ser concluída.”

Além disso, acrescentou, as áreas para tais projetos são muito escassas e os custos logísticos são um fator chave para sua viabilidade.

Teleconferência da Orizon

Em teleconferência com analistas, a empresa destacou que a negociações apontam para venda de créditos de carbono a preços melhores que em 2021.

Ao ser questionada sobre a perspectiva para as vendas de créditos de carbono, a diretoria da Orizon afirmou que a COP26 em 2021 deixava o mercado mais claro sobre a oportunidade de venda no quarto trimestre daquele ano, como ocorreu.

Em 2022, a diretoria disse ver alguns fatores que apontam para perspectiva de melhora dos preços em relação àqueles da venda de dezembro, sem que haja um evento que justifique a venda em algum momento específico do ano.

A diretoria afirmou ainda, durante a teleconferência, que tem tido conversas com grandes compradores da Europa e de outros continentes sobre lotes grandes de crédito de carbono.

Assim, não deveria ser uma surpresa ao mercado, caso haja uma venda em lote único de todos os créditos, como ocorreu em 2021. Mas disse que há também perspectiva de vendas em lotes menores.

As conversas apontam para preços melhores do que aqueles de dezembro de 2021, acrescentou a diretoria.

Ecoparques

No mais, a empresa reforçou que, com a demanda aquecida, novos ecoparques venderão biometano com “preços plus”. Segundo a Orizon, até 2021 a empresa destinava todo biogás que produzia em vendas para transformação de energia, ou em transformação própria em energia, que era depois vendida.

Mas a partir de 2022, a companhia passa também a transformar o biogás em biometano, e não sempre em energia. Isso porque o retorno do biometano vem se mostrando maior do que o da venda de energia, mesmo com esta se beneficiando de benefícios fiscais e da procura por se tratar de uma energia renovável.

Com a alta do mercado de gás, há maior demanda e melhores preços do biometano em contratos de longo prazo, com “preços plus”. Assim, o biometano traz uma nova perspectiva de rentabilidade para os ecoparques que geram energia, afirmou a diretoria. Nos novos ecoparques deve, portanto, haver maior transformação do biogás em biometano do que em energia para a venda.

Recuperação

A diretoria da Orizon afirmou que, no primeiro semestre, a procura dos clientes privados foi negativamente impactada pela pandemia, que não permitiu que a companhia entrasse em suas unidades para executar serviços de destinação de resíduos.

Entretanto, a partir do segundo semestre, a Orizon se beneficiou da execução dos serviços reprimidos, recuperando os clientes privados, que normalmente pagam melhor.

Reajustes

Por fim, a diretoria da Orizon afirmou ainda que a empresa se beneficiou em 2021 de um impacto positivo com reajustes de inflação previstos em contratos de destinação de resíduos.

Segundo a diretoria, normalmente os reajustes de contratos de destinação de resíduos são feitos com base no IGPM e no IPCA. Especialmente nos casos em que o ajuste foi baseado no IGPM, o impacto foi positivo.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe