Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa Futuro sobe mais de 1% com exterior e espera por votação da Previdência na CCJ

Mercado tem um dia de forte alta em meio a expectativas pela aprovação da reforma e da PEC paralela que inclui estados e municípios

Bolsa
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa Futuro abre em expressiva alta nesta quarta-feira (4) após a China suspender a lei oficial de extradição em Hong Kong, o que aliviou os protestos na cidade, e o parlamento britânico derrotar o primeiro-ministro, Boris Johnson, para adiar o Brexit. 

Por aqui, todos as atenções ficam voltadas ao início da votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado do parecer da reforma da Previdência elaborado pelo relator da proposta, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).  

Às 09h12 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa para outubro tinha alta de 1,22% a 101.620 pontos, enquanto o dólar futuro para setembro caía 0,62% a R$ 4,148.

Os contratos futuros de juros, por sua vez, registravam perdas: o DI para janeiro de 2021 recua cinco pontos-base a 5,44%, e para janeiro de 2023 registra queda na mesma proporção, a 6,50%.

Às 15h, sai o Livro Bege do Federal Reserve, depois do presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, dizer que se os riscos ao comércio global se intensificarem mais reduções nas taxas de juros poderão ser apropriadas.

Além disso, vários dirigentes do Fed falam ao longo do dia, entre eles John Williams (Nova York), Robert Kaplan (Dallas) e Charles Evans (Chicago). Se o balanço geral dos discursos for de que o banco central dos EUA está mais disposto a cortar taxas, o mercado deve reagir com maior busca por ativos de risco. 

Por outro lado, ficam no radar as preocupações com o Banco Central Europeu (BCE), após Christine Lagarde, provável sucessora de Mario Draghi na presidência da instituição, afirmar que política monetária muito acomodatícia por períodos prolongados é necessária, mas possui efeitos colaterais indesejáveis. 

Voltando ao Brasil, ontem o Senado aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reparte com estados e municípios os recursos da cessão onerosa. O texto aprovado destina 30% dos leilões a governadores e prefeitos e mais 3% aos estados produtores do petróleo leiloado. 

Reforma

Os senadores fecharam um acordo para acelerar a tramitação da PEC paralela da Previdência. A CCJ votará hoje o texto principal da reforma e já colocará em votação a criação do texto paralelo com as alterações sugeridas por Jereissati.

O acordo permitirá que as duas propostas – a reforma aprovada na Câmara e a PEC paralela – já sejam direcionadas ao plenário. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), declarou que vai tentar fazer com que os dois textos sejam votados no plenário até o dia 10 de outubro, data prevista para a conclusão da votação da reforma na Casa.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

O acordo abrevia a tramitação da PEC paralela em 30 dias, já que a previsão inicial era de que esse texto só começasse a tramitar no Senado após o primeiro turno da reforma no plenário - programada para 24 de setembro. O acordo não envolve o conteúdo da proposta, que enfrenta resistência na Casa.

Na CCJ, a presidente do colegiado, Simone Tebet (MDB-MS), declarou que não vai encerrar a sessão desta quarta-feira, 4, enquanto as votações do texto principal e da PEC paralela não forem concluídas. Ela calcula que a reforma principal será aprovada pela comissão com 15 votos contra 10.

Noticiário Corporativo

A Petrobras prevê que o primeiro óleo dos campos de Berbigão/Sururu, no pré-sal da bacia de Santos, será extraído no quarto trimestre deste ano, com perspectivas de ficar 25 anos em produção. A Petrobras opera este campo com 42,5%, ao lado de Shell (25%), Total (22,5%) e Petrogal (10%). O investimento da Petrobras no projeto totaliza US$ 2,6 bilhões.

A Oi recebeu autorização da Justiça para iniciar uma transição no comando da empresa, segundo o Estadão. Nessa transição, Rodrigo Abreu, membro do conselho de administração da Oi e ex-presidente da TIM, assumirá a posição de diretor operacional e, perto do fim do ano, substituirá o atual presidente da operadora, Eurico Teles, no posto desde 2017.

O vice-presidente de finanças e risco do Itaú Unibanco, Milton Maluhy, afirmou que o programa de desligamento voluntário (PDV) do banco teve adesão acima do esperado pela instituição. Segundo ele, "Temos um conjunto de cerca de 7 mil funcionários elegíveis e o porcentual de adesão dentro desse universo está acima do esperado", disse. O prazo que os funcionários tinham para se candidatarem ao PDV terminou no último sábado, dia 31 de agosto.

A MRV Engenharia, construtora brasileira focada no segmento residencial de baixa renda, está perto de comprar o controle da AHS Residential, uma empresa-irmã sediada nos EUA, segundo uma pessoa próxima às negociações. A aquisição está no estágio final e deve ser anunciada em breve, segundo a pessoa, que não quis revelar o valor da transação. A MRV, por meio da assessoria de imprensa, não confirmou a informação.

(Com Agência Estado, Agência Câmara, Agência Senado e Bloomberg)

 

Contato