Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa Futuro sobe com estímulos da China aliviando bolsas globais após fortes quedas

Mercado opera com ganhos diante das medidas tomadas para mitigar as preocupações com uma cada vez mais provável desaceleração forte da economia internacional

Fundos de Investimento
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa Futuro abre em alta nesta sexta-feira (16) depois de duas quedas fortes nos últimos pregões. O cenário externo consolidou-se como a principal fonte de preocupação do investidor, depois que a guerra comercial entre Estados Unidos e China se somou a dados econômicos fracos em diversos países para acender o alerta da possibilidade de uma desaceleração forte na atividade global.

Diante disso, foram anunciados dois planos na China, um de projetos de infraestrutura estimados em US$ 10 bilhões e outro para impulsionar a renda disponível da população em 2019 e 2020. O plano traz alívio às bolsas do mundo todo, que operam majoritariamente em alta. 

Às 09h10 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa com vencimento em outubro subia 0,84% a 100.710 pontos. Já o dólar futuro com vencimento em setembro caía 0,28%, voltando a superar os R$ 3,986. 

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 recuava um ponto-base a 5,43%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 tem perdas de quatro pontos-base a 6,39%.

No Brasil, os bancos vão passar a oferecer crédito imobiliário corrigido pela inflação, após aprovação pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) de resolução que permite que novos financiamentos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) deixem de ser reajustados pela Taxa Referencial (TR).

Noticiário Corporativo

O Estadão traz que a situação da Oi piorou nos últimos meses e o futuro da empresa voltou a preocupar a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Segundo a publicação, autoridades do governo Jair Bolsonaro foram avisadas esta semana de que, caso o comando da companhia não consiga reverter os maus resultados, a agência pode ser obrigada a intervir na empresa.

Há receio de que regiões do País fiquem sem serviços de telefonia fixa prestados pela operadora no ano que vem. Executivos da Oi devem ser chamados em Brasília para falar sobre como planejam manter a empresa de pé.

A Vale suspendeu temporariamente as operações da usina de concentração de Viga da Ferrous Resources do Brasil, cuja aquisição foi anunciada em 1 de agosto de 2019, ao identificar deficiência nos documentos relativos ao alvará do município de Jeceaba.

As operações da mina de Viga não são afetadas por essa determinação e prosseguirão normalmente. O impacto estimado da paralisação temporária das operações da Ferrous é de, aproximadamente, 330 mil toneladas de minério de ferro por mês.

O Itaúsa, holding de investimentos do Itaú Unibanco, e o fundo Mubadala devem apresentar hoje, 16, propostas firmes para a compra da Liquigás, divisão de gás de cozinha que pertence à Petrobrás, apurou o Estado. O Itaúsa terá em seu consórcio a empresa Copagaz e o Mubadala terá em seu grupo empresas regionais do País, segundo fontes ouvidas pela reportagem.

A rede varejista Magazine Luiza informou que venceu ação judicial no Supremo Tribunal Federal (STF) referente a inconstitucionalidade da inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da COFINS de seus produtos.

Com o resultado, a companhia teve o direito de reaver os valores já pagos com correção. O Magalu disse ainda que seus assessores estão validando os documentos, mas que espera receber cerca de R$ 250 milhões.

Ainda na safra de resultados corporativos, a Light informou que reverteu o prejuízo de R$ 25 milhões do segundo trimestre do ano passado para um lucro de R$ 11 milhões no segundo trimestre deste ano. A  Cemig informou lucro de R$ 2,114 bilhões no segundo trimestre, reverente perdas de R$ 10,8 milhões de um ano antes.

Já a Renova Energia elevou o prejuízo líquido em 240,8%, que atingiu R$ 426,539 milhões.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

 

Contato