Em mercados / acoes-e-indices

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta sexta-feira

Mercados internacionais operam em alta com fala de Williams do Fed, assim como commodities; no Brasil, anúncio do FGTS ficou para semana que vem

Federal Reserve
(Flickr/Federal Reserve)

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou a sessão da véspera com alta de 0,83%, aos 104.717 pontos, após a guinada otimista que tomou conta dos investidores a partir das falas do presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, de que é "melhor tomar medidas preventivas do que esperar para que o desastre aconteça."

O Federal Reserve, entretanto, esclareceu a declaração, ontem à noite, afirmando se tratar “de um discurso acadêmico”, com base em “20 anos de pesquisa”. “Não se tratava de ações políticas potenciais na próxima reunião do FOMC (Federal Open Market Committee) ”, disse um porta-voz do Federal Reserve de Nova York.

No Brasil, sem novidades sobre o andamento das reformas pelo início do recesso parlamentar, as atenções dos investidores se voltam às medidas de estímulo à retomada da atividade econômica. Entre elas, a liberação de recursos do FGTS, para estimular o consumo, acabou sendo adiada para a próxima semana, por pressão do setor da construção.

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro toma café da manhã com jornalistas, às 9h00, no Palácio do Planalto, e participa de solenidade do Dia Nacional do Futebol. Bolsonaro tem prevista ainda uma audiência, às 14h30, com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.

1. Bolsas Internacionais

As declarações de Williams na véspera tiveram o efeito prático sobre as bolsas foi de esperança para um eventual corte dos juros nos Estados Unidos. Os principais índices acionários da Ásia fecharam em alta, após a recentes quedas, diante das incertezas sobre os avanços das negociações entre EUA e China por um acordo comercial.

“Eu considero os comentários e o esclarecimento como consistentes com a visão relativamente dovish e o Fed em direção a um corte de juros”, disse Shane Oliver, chefe de estratégia de investimentos e economista-chefe da AMP Capital Investors, à CNBC. Ele acrescentou que estava se inclinando para um corte de 25 pontos base.

Na Europa, os principais índices também operam em alta nesta manhã, refletindo as declarações de Williams. Além disso, autoridades dos EUA e da China teriam conversado por telefone, com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, sugerindo que novos encontros presenciais poderiam acontecer.

Entre as commodities, os preços do petróleo sobem nesta sexta-feira por conta da tensão geopolítica no Oriente Médio, após a Marinha dos EUA destruiu um drone iraniano no Estreito de Ormuz, um dos principais pontos críticos para os fluxos globais de petróleo. O Irã negou o fato.

Já os futuros do minério de ferro operam em alta nesta sexta-feira.

Confira o desempenho do mercado, segundo cotação das 07h23 (horário de Brasília):

*S&P 500 Futuro (EUA), +0,08%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,21%
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,18%
*DAX (Alemanha), +0,24%
*FTSE (Reino Unido), +0,13%
*CAC-40 (França), +0,02%
*FTSE MIB (Itália), -1,06%
*Hang Seng (Hong Kong), +1,07% (fechado)
*Xangai (China), +0,79% (fechado)
*Nikkei (Japão), +2,00% (fechado)
*Petróleo WTI, +1,16%, a US$ 55,89 o barril
*Petróleo Brent, +1,55%, a US$ 62,89 o barril
*Bitcoin, US$ 10.364,17, +5,46%
R$ 38.010, +3,85% (nas últimas 24 horas)
*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian subiam 2,35%, cotados a 899,00 iuanes, equivalentes a US$ 133,19 (nas últimas 24 horas).

2. Agenda Econômica

Com a agenda econômica esvaziada no Brasil, os investidores monitoram, às 11h00, a divulgação, pela Universidade de Michigan, do Índice de Sentimento do Consumidor, preliminar, de julho.

Também serão publicados, antes das aberturas dos mercados em Nova York, os balanços da American Express e BlackRock.

3. FGTS

Após a expectativa quanto ao anúncio dos detalhes sobre a liberação de saques de recursos do FGTS e do PIS/Pasep, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que a divulgação ficará para a próxima quarta-feira, 24, às 16h. Ontem, era esperado o anúncio durante a cerimônia de comemoração dos 200 dias do governo Jair Bolsonaro.

Mais cedo, Onyx justificou que as equipes técnicas do Ministério da Economia ainda trabalham em cima dos ajustes necessários para a liberação dos saques. Após o evento no Planalto, ele disse que a especulação sobre tema só ocorreu porque houve vazamento. "Não era para vazar", reclamou.

Onyx voltou a destacar que o funding para os empréstimos imobiliários e para o Programa Minha Casa Minha Vida com recursos do FGTS não será ameaçado. "Não vai haver nenhum prejuízo às fontes de financiamento de construção de casas populares", disse. Ele frisou ainda que "nada vai afetar a construção civil". "Não vamos usar a parte do FGTS usada para o financiamento de imóveis", completou.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, avaliou que o adiamento pelo governo do anúncio de medidas para o saque de contas do FGTS "foi de muito bom senso". O executivo negou ter solicitado à equipe econômica o postergamento da medida.

Segundo Martins, os próprios secretários do Ministério da Economia admitiram que a proposta que vazou na imprensa ainda não estava devidamente formatada. Martins, no entanto, demonstrou preocupação com a possibilidade de liberação de cerca de R$ 42 bilhões em recursos do FGTS.

"Ainda não vi simulações suficientes para saques dessa magnitude. É preciso ter cautela, serenidade. Não se pode simplesmente chegar lá e tirar os recursos do fundo", disse, acrescentando que, no ano passado, foram sacados R$ 111 bilhões do fundo, o que já colocaria em risco os financiamentos de imóveis a partir de 2021.

Além do impasse sobre a parcela que poderá ser retirada das contas do fundo, a Caixa também foi responsável pelo adiamento, após representantes do banco estatal reclamaram que estava muito em cima da hora para colocar de pé um plano de atendimento aos trabalhadores para o saque do FGTS.

O jornal O Globo diz que, entre as propostas de saques do FGTS em estudo, está a opção do trabalhador fazer uma retirada anual da conta. No entanto, quem optar por essa modalidade, perderá o direito a receber a integralidade do saldo em caso de demissão sem justa causa. O limite do saque ainda está sendo definido.

Segundo a Folha de S.Paulo, Bolsonaro recebeu, fora da agenda, ontem, os donos da MRV e da Direcional – empresas voltadas ao Minha Casa Minha Vida –, que reclamaram não ter sido ouvidos e que a medida poderia comprometer o financiamento do setor. Coube a Onyx anunciar a postergação do anúncio.

4. Bolsonaro e STF

A Polícia Federal suspendeu todas as investigações em andamento que utilizem dados financeiros e bancários compartilhados sem autorização judicial, destaca o Estadão. Os delegados foram comunicados ontem por meio de ofício assinado pelo corregedor-geral substituto da PF, Bráulio Cézar da Silva Galloni. Segundo a publicação, a decisão atinge centenas de casos.

Os inquéritos que tiverem dados do Coaf, Receita Federal e Banco Central serão devolvidos à Justiça. A orientação foi dada após o presidente do STF, Dias Toffoli, suspender inquéritos e ações penais que tiveram dados fiscais e bancários compartilhados sem autorização da Justiça. A decisão do ministro, tomada na última terça-feira, atendeu a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), e teve repercussão geral (ou seja, vale para todos os casos semelhantes no País).

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender ontem a indicação do seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para a embaixada brasileira em Washington, nos Estados Unidos, e disse que, se quisesse, poderia indicá-lo até para ser ministro das Relações Exteriores.

Já durante uma live numa rede social, o presidente rebateu acusações de oposicionistas e até de apoiadores de favorecimento. “Pretendo beneficiar filho meu, sim. Se eu puder dar um filé mignon ‘pro’ meu filho, eu dou, mas não tem nada a ver com o filé mignon essa história aí. É nos aprofundarmos o relacionamento com a maior potência do mundo.”

O presidente também agradeceu o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), durante o processo de votação da reforma da Previdência. Ao falar do tema, Bolsonaro voltou a usar a analogia da quimioterapia. "É uma medida salgada. É igual uma pessoa que precisa de quimioterapia. Tem de fazer esta reforma, estamos fazendo o possível para corrigir as injustiças", comentou.

Ainda na política, o jornal O Globo traz que, em delação premiada, o ex-ministro Antônio Palocci, afirmou que alguns dos principais bancos do País doaram R$ 50 milhões às campanhas eleitorais do PT em troca de favores nos governos Lula e Dilma. Palocci citou Bradesco, Safra, BTG Pactual, Itaú Unibanco e Banco do Brasil. Todos os bancos negaram, afirmando que não há provas e que o ex-ministro criou as versões.

5. Noticiário Corporativo

A Petrobras reduziu em R$ 0,0360 o preço médio do litro da gasolina nas suas refinarias, com vigência a partir desta sexta-feira, 19. Com a mudança, o preço médio vai recuar 2,14%, para R$ 1,646/litro. O reajuste foi divulgado no site da estatal nesta quinta-feira, 18. A estatal também cortou em R$ 0,0444 o preço médio do litro do diesel em suas refinarias. Com a mudança, o preço caiu 2,15%, para R$ 2,021.

O Valor Econômico informa que uma série de grandes investidores tem procurado por parlamentares no Congresso questionando-os sobre o futuro da Vale e possíveis mudanças na legislação, após a tragédia de Brumadinho. A presidente da CPI da mineradora no Senado, Rose de Freitas, disse à publicação que a Vale tentou “esvaziar” a comissão. “Mas houve uma pressão vitoriosa da sociedade em favor da CPI”, afirmou.

A BRF continua aberta a transações que ampliem sua oferta de produtos e presença no exterior após o fim das conversas sobre uma possível fusão com a Marfrig. A produtora de frangos pode se engajar em fusões, parcerias estratégicas ou acordos de fornecimento de longo prazo que lhe assegurem acesso a suprimentos de carne bovina, como forma de fortalecer seus negócios nas áreas de food service e alimentos processados.

(Agência Estado, Agência Brasil e Bloomberg)

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

Contato