Em mercados / acoes-e-indices

Os 4 fatores que fizeram o Ibovespa cair 0,6% e se afastar dos 99 mil pontos

Acordo morno, petróleo desabando e outros fatores fizeram a Bolsa cair muito forte hoje

gráfico queda ibovespa investimento
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa fechou em queda nesta quarta-feira (12) influenciado por quatro fatores: o movimento do petróleo, que desabou após aumento de estoques, o acordo "morno" para a reforma da Previdência, uma realização após o índice bater perto de 99 mil pontos ontem e o vencimento de opções sobre o Ibovespa, que trouxe uma guerra entre comprados e vendidos. 

O principal índice acionário da B3 caiu 0,65% a 98.320 pontos, com volume financeiro negociado de R$ 15,311 bilhões. Enquanto isso, o dólar comercial teve alta de 0,47% a R$ 3,8679 na compra e a R$ 3,8686 na venda. Já o dólar futuro para julho cai 0,21% a R$ 3,8535. 

Entre os indicadores, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que as vendas do varejo em abril caíram 0,6%, ante estimativas de queda de 0,1%. 

O dado mais fraco que o esperado chegou a impactar o mercado de juros futuros, mas os DIs viraram para alta no fim do pregão. O DI para janeiro de 2021 avança dois pontos-base a 6,19%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 registra ganhos de cinco pontos-base a 7,11%. 

Reforma da Previdência

O governo conseguiu um acordo para votar o texto da reforma da Previdência sem os estados e com economia prevista de R$ 850 bilhões. 

Segundo o gestor da XP Investimentos, Júlio Fernandes, os estados já não faziam parte da economia de R$ 1 trilhão em dez anos prometida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, então a notícia não é tão negativa. Contudo, também não anima, pois as incertezas continuam a respeito do tamanho da reforma que irá passar no Congresso. 

"Seria melhor um número próximo de R$ 900 bilhões, mas também pode ser que o governo tenha aceitado um valor menor para conseguir mais consenso e evitar que a reforma desidrate muito nas próximas etapas de tramitação", destaca. 

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

Raphael Figueredo, analista de investimentos da Eleven Financial Research, avalia que o mercado segue ansioso com a leitura do texto da reforma nesta quinta-feira e mantém ritmo de cautela do mercado internacional. "A retirada dos estados e municípios põe mais pressão sobre os governadores", diz. 

Ontem, os investidores se animaram com a aprovação no Congresso de um crédito suplementar de R$ 248,9 bilhões, que permite não haver descumprimento à regra de ouro. Se não fosse aprovado o crédito extra, o governo não conseguiria pagar o Benefício por Prestação Continuada (BPC), o Plano Safra e o Bolsa Família. 

Exterior e petróleo

No exterior, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a defender o uso de tarifas como parte de sua estratégia comercial, enquanto a China prometeu uma resposta firme se Washington insistir na escalada das tensões comerciais enquanto as duas maiores economias do mundo tentam negociar um acordo.

Além disso, a inflação ao consumidor de maio nos Estados Unidos avançou 0,1%, dentro da mediana das expectativas de economistas consultados pela Bloomberg. As estimativas variavam entre 0% e 0,2%.  

Os estoques de petróleo aumentaram em 2,2 milhões nos EUA na semana passada, de acordo com Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês), ante expectativas de uma queda de 481 mil barris. Após o dado, o barril do petróleo WTI passou a cair 4,2% a US$ 51,02, ao mesmo tempo em que o barril do Brent – referência para a Petrobras – recua 0,2% a US$ 59,87. 

Noticiário corporativo

O Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) anunciou nesta manhã que o seu Conselho de Administração aprovou a venda da sua fatia da Via Varejo (VVAR3) - dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio - para Michael Klein a R$ 4,75 por ação.

O GPA afirma no documento que recebeu no último dia 11 carta de Michael Klein comunicando que, caso realize a venda de todas as ações que detém na Via Varejo em leilão na B3, o empresário apresentará, "individualmente (direta ou indiretamente) e em conjunto com outros investidores, uma ou mais ordens de compra para aquisição de todas as ações da Via Varejo detidas pela companhia pelo preço máximo de 4,75 reais por ação".

A Centauro (CNTO3) elevou pela segunda vez sua oferta para a aquisição da Netshoes, dessa vez para US$ 3,70 por ação, ante US$ 3,50 anteriormente. Dessa forma, o montante somaria US$ 114,9 milhões, valor 23% superior ao proposto pelo Magazine Luiza (MGLU3). A previsão é de que os acionistas da Netshoes deliberem sobre as propostas nesta sexta-feira, dia 14.

Ontem, em audiência na Câmara dos Deputados, o presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Roberto Castello Branco, afirmou que a empresa fez o possível para reduzir os preços dos combustíveis, ressaltando que a política depende de fatores externos. Adicionalmente, o Cade deu sinal verde para que a estatal possa se desfazer de seus ativos de refiro até 2021.

Em relação ao caso do Grupo Odebrecht, os grandes bancos brasileiros estão negociando em conjunto uma recuperação extrajudicial - ou seja, fora do ambiente da Justiça, afirmou ontem Octavio de Lazari, presidente do Bradesco (BBDC3; BBDC4).

"Trabalhamos com todos os cenários (sobre a Odebrecht)", disse Lazari. "Procuramos, porém, (priorizar) uma recuperação extrajudicial para que todos os atores possam sentar-se à mesa e chegar a um ajuste, com concessão de mais prazo e condição de pagamento diferenciada."

Ainda no noticiário corporativo, a Gerdau (GGBR4) negocia a compra da Siderúrgica Latino Americana (Silat), localizada em Caucaia, no Ceará, pertencente ao grupo espanhol Hierros Añón, diz o Valor Econômico.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CSNA3 SID NACIONALON 17,17 -5,76 +103,78 305,33M
 BTOW3 B2W DIGITAL ON 31,85 -4,35 -24,20 94,20M
 VVAR3 VIAVAREJO ON 4,84 -3,20 +10,25 260,03M
 NATU3 NATURA ON 56,65 -2,76 +26,58 342,18M
 MRVE3 MRV ON ED 16,84 -2,66 +39,18 56,53M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 QUAL3 QUALICORP ON 20,96 +2,75 +62,61 107,14M
 WEGE3 WEG ON 19,69 +1,65 +13,04 111,28M
 RADL3 RAIADROGASILON 74,00 +1,55 +29,82 118,76M
 JBSS3 JBS ON 22,13 +1,51 +90,96 136,43M
 BRML3 BR MALLS PARON 13,40 +0,83 +3,77 63,37M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 VALE3 VALE ON ATZ 51,49 +0,12 1,26B 1,09B 46.748 
 PETR4 PETROBRAS PN N2 26,85 -1,14 1,16B 1,33B 42.658 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 36,59 -1,16 792,95M 573,70M 42.851 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN ED 34,60 -0,57 612,47M 618,13M 31.627 
 B3SA3 B3 ON 37,64 -1,00 568,12M 325,23M 29.630 
 BBAS3 BRASIL ON EJ 52,26 -0,94 460,43M 519,13M 26.399 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 17,68 -0,23 370,06M 349,40M 37.978 
 NATU3 NATURA ON 56,65 -2,76 342,18M 169,84M 15.445 
 CSNA3 SID NACIONALON 17,17 -5,76 305,33M 205,15M 27.024 
 RENT3 LOCALIZA ON 38,70 -1,53 300,88M 135,93M 30.242 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

 

Contato