Em mercados / acoes-e-indices

Os melhores "pozinhos" para aproveitar o risco de queda do mercado com a guerra comercial

Luiz Fernando Roxo mostra em seu programa "A Hora das Opções" as melhores estratégias com opções para o atual cenário internacional

SÃO PAULO - A guerra comercial entre Estados Unidos e China voltou a agitar os mercados globais nas últimas semanas e não há qualquer previsão sobre um acordo entre os dois países. Isso tem deixado os investidores tensos e isso eleva o risco de queda das bolsas.

Mas é possível se aproveitar destas questões e "driblar" os riscos com estratégias de opções. O gestor de investimentos Luiz Fernando Roxo mostra em seu programa "A Hora das Opções" desta segunda-feira (20) quais são as melhores estratégias com pozinhos para este cenário internacional. Confira a análise completa no vídeo acima.

A opção é um derivativo negociado na Bolsa de Valores. E como qualquer derivativo, seu preço "deriva" da oscilação do ativo ao qual ela se lastreia - no caso de uma opção de ação, o contrato varia de acordo com as oscilações desta ação na Bovespa.

Quem compra uma opção está adquirindo o "direito" de comprar ou vender alguma ação; já quem vende a opção tem a obrigação de atender a exigência daquele que comprou o contrato.

Ou seja: se você vendeu uma opção de compra e essa opção for exercida, você terá que vender essa ação ao detentor da opção pelo preço estabelecido; se você vendeu uma opção de venda e ela for exercida, você terá que comprar esta ação ao preço estabelecido.

Existem dois tipos de opções: de compra (call) e de venda (put). Quando um investidor compra uma "call", ele está adquirindo o direito de comprar uma determinada ação a um preço já estabelecido (que é preço de exercício, ou "strike") até um dia de vencimento já firmado. Para o investidor que compra uma "put", ele está adquirindo o direito de vender uma ação até um dia determinado a um valor já estabelecido. 

Invista em opções com taxa ZERO para corretagem de ações: abra uma conta gratuita na Clear!

 

Contato