Em mercados / acoes-e-indices

Prejuízo histórico da Vale, números da Suzano e mais destaques do after-market

Confira as principais divulgações de demonstrações financeiras trimestrais que movimentaram o after-market desta quinta

Vale
(Bloomberg)

SÃO PAULO - A Vale teve um resultado para não esquecer tão cedo nesta quinta-feira (9). O prejuízo da mineradora foi de US$ 1,6 bilhão por conta dos efeitos negativos do rompimento da barragem de Brumadinho (MG) em janeiro. Além disso, Suzano também registrou prejuízo e decepcionou os analistas.

Confira quais foram os principais resultados que saíram depois do fechamento do pregão desta quinta-feira (9):

Vale

A mineradora Vale (VALE3) encerrou o primeiro trimestre de 2019 com um prejuízo líquido de US$ 1,642 bilhão, ante os US$ 1,59 bilhão de lucro registrados um ano antes. O número ficou bem abaixo dos US$ 2,05 bilhões esperados pelos analistas consultados pela Bloomberg. 

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) ajustado da mineradora ficou negativo em US$ 652 milhões entre janeiro e março deste ano, abaixo da expectativa de US$ 4,292 bilhões de resultado positivo. Foi o primeiro Ebitda negativo da história da empresa. 

Enquanto isso, a receita operacional líquida da mineradora passou de US$ 8,603 bilhões no primeiro trimestre de 2018 para atuais US$ 8,203 bilhões, uma queda de 4,65%. 

Suzano

A produtora de papel e celulose Suzano (SUZB3) teve um prejuízo líquido de R$ 1,229 bilhão no primeiro trimestre de 2019, contra um lucro de R$ 1,428 bilhão no mesmo período do ano passado. A mediana das expectativas dos analistas consultados pela Bloomberg era de lucro de R$ 1,281 bilhão. O Ebitda, por sua vez, foi de R$ 2,761 bilhões, em queda de 18% ante o primeiro trimestre de 2018, mas acima das estimativas de R$ 2,404 bilhões. A Receita líquida da companhia foi de R$ 5,699 bilhões, caindo 15% na comparação anual. 

B3

A Bolsa de Valores B3 (B3SA3) teve um lucro líquido de R$ 736,5 milhões no primeiro trimestre de 2019, um avanço de 64,3% sobre o lucro de R$ 448 milhões registrado no mesmo período do ano passado. O Ebitda foi de R$ 970,8 milhões, alta de 27,7% em relação ao do primeiro trimestre de 2018. Por fim, a Receita Líquida da B3 atingiu R$ 1,378 bilhão, crescimento de 24% na comparação anual. 

Rumo

A empresa de logística Rumo (RAIL3) teve um lucro líquido de R$ 27 milhões, ante prejuízo líquido de R$ 59 milhões no primeiro trimestre de 2018. O Ebitda da companhia ficou em R$ 802 milhões, em expansão de 12,7% sobre o mesmo período do ano anterior. A Receita líquida foi de R$ 1,635 bilhão, crescendo 17,1% em relação ao faturamento dos três primeiros meses de 2018.

BR Malls

A administradora de shopping centers BR Malls (BRML3) divulgou lucro de R$ 171 milhões no trimestre, alta de 13,8% sobre o mesmo período do ano passado. O Ebitda da companhia foi de R$ 234,6 milhões, o que corresponde a um crescimento de 0,5% na comparação ano a ano. 

Marisa

A varejista Marisa Lojas (AMAR3) registrou um prejuízo líquido de R$ 40,865 milhões, contra prejuízo de R$ 41,08 milhões no primeiro trimestre do ano passado. O Ebitda da empresa ficou em R$ 97,8 milhões, contra R$ 40,6 milhões na base anual.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

 

Contato