Em mercados / acoes-e-indices

Os 5 assuntos que vão agitar os mercados nesta quarta-feira

Confira no que ficar de olho na sessão desta quarta

CCJ da Câmara
(Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O Ibovespa encerrou ontem com alta de 1,41%, apoiado pela expectativa de aprovação da PEC da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), o que acabou se confirmando ao final da noite, quando, por 48 votos a favor e 18 contrários, os membros da comissão aprovaram a constitucionalidade do relatório da proposta.

O resultado foi comemorado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que reforçou a intenção de apressar a instalação da comissão especial que vai dar sequência à tramitação da PEC. No entanto, Maia alfinetou o governo afirmando que ele precisa trabalhar de “forma efetiva” sua base nas próximas etapas do encaminhamento da proposta.

Na política, o Superior Tribunal de Justiça reduziu a pena do ex-presidente Lula, o que poderá garantir a migração ao regime semiaberto ainda este ano. Enquanto isso, os militares coordenam uma estratégia para amenizar o desconforto entre os integrantes da família Bolsonaro e Mourão.

No exterior, as bolsas operam com sinais distintos. Já a cotação do petróleo opera com desvalorização após as altas das últimas sessões. O minério também segue em baixa.


1. Bolsas Internacionais

Na Ásia, as bolsas operam com sinais mistos. O recente aumento do petróleo pode impacto negativo para a economia do continente, diante das altas quantidades de importações líquidas do produto. Além disso há a preocupação quanto ao governo chinês reduzir medidas de estímulo para se concentrar na redução da sua desalavancagem, diante da expansão do PIB acima das expectativas.

O mercado seguirá atento às negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China. O representante do comércio dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, irão a Pequim para dar sequências às negociações, que até o momento se concentraram em questões como transferência de tecnologia, propriedade intelectual e reformas estruturais.

Na Europa, as bolsas operam predominantemente em baixa no aguardo da safra de resultados corporativos. Mesmo com o resultado acima do esperado do Credit Suisse, que abriu a temporada de balanços dos bancos europeus, a piora no desempenho do índice de sentimento empresarial na Alemanha alerta sobre os riscos da desaceleração do ritmo de crescimento da maior economia europeia. 

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

Entre as commodities, o preço do petróleo opera em queda, em meio aos sinais de que os mercados globais continuam abastecidos, mesmo com a pressão de Washington por sanções mais severas ao Irã. O minério de ferro também opera em baixa, diante da expectativa de retomada do aumento da produção no Brasil.


Confira o desempenho do mercado, segundo cotação das 07:11 (horário de Brasília):

*S&P 500 Futuro (EUA) -0,02%
*Nasdaq Futuro (EUA) -0,02%
*Dow Jones Futuro (EUA) +0,10%
*DAX (Alemanha) +0,57%
*FTSE (Reino Unido) -0,32%
*CAC-40 (França) -0,12%
*FTSE MIB (Itália) -0,57%
*Hang Seng (Hong Kong) -0,53% (fechado)
*Xangai (China) +0,09% (Fechado)
*Nikkei (Japão) -0,27% (fechado)
*Petróleo WTI -0,68%, a US$ 65,85 o barril
*Petróleo Brent -0,51%, a US$ 74,21 o barril
*Bitcoin US$ 5.513,68, -0,97 %
R$ 22.250, +1,37% (nas últimas 24 horas)
*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian recuavam 1,59%, a 619 iuanes (nas últimas 24 horas)

2. Agenda Econômica

No Brasil, a Fipe abriu o dia dos indicadores apontando uma alta de 0,36% no Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação de São Paulo, na terceira quadrissemana de abril, representando uma desaceleração em relação à alta de 0,42% da quadrissemana imediatamente anterior.

Hoje, às 8h30, está prevista a divulgação dos números de emprego de março publicados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e, às 10h30, o resultado da arrecadação de tributos federais e contribuições previdenciárias de março.

Atenção ainda para a CNI-Ibope do primeiro trimestre de 2019 às 10h. Realizado entre 12 e 15 de abril, com 2 mil pessoas em 126 municípios, levantamento mostra a avaliação do governo federal.

Nos Estados Unidos, o DoE divulga os números dos estoques de petróleo bruto, de gasolina, de destilados, de produção diária e de utilização das refinarias. Estão previstas as publicações dos balanços da AT&T, Caterpillar, Boeing, Carrefour, Facebook, Microsoft, Visa e Carrefour.

3. Noticiário Político

Além do recado de que o governo precisa articular melhor sua base de sustentação para as próximas etapas da aprovação da PEC da Previdência, Rodrigo Maia afirmou que o presidente Jair Bolsonaro precisa “fazer política” e assumir a importância da aprovação da reforma. Segundo o presidente da Câmara, Bolsonaro, que já deu indicações de que se pudesse não aprovaria a reforma, precisa ter a certeza de que a proposta é boa para o País.

Ainda na política, o Superior Tribunal de Justiça reduziu a pena do ex-presidente Lula pelo caso do triplex do Guarujá de 12 anos e 1 mês para 8 anos, 10 meses e 20 dias. Dessa forma, conforma a lei de execuções penais, o ex-presidente poderia migrar para o regime semiaberto ainda este ano. A defesa de Lula vai recorrer da decisão, pois quer a absolvição.

Já o Painel da Folha destaca que familiares e pessoas próximas ao presidente Bolsonaro defendem que o vice-presidente, Hamilton Mourão, seja “mantido em fogo alto”. Segundo esses interlocutores, o general se porta como opção a setores que desconfiam dos métodos e da agenda de Bolsonaro. Enquanto isso, os militares coordenam uma estratégia para amenizar o desconforto entre os integrantes da família Bolsonaro e Mourão.

4. Noticiário Econômico

Enquanto a proposta de reforma da previdência segue para sua próxima etapa de tramitação, instituições financeiras e consultorias têm estimado que a reforma previdenciária enviada ao Congresso seja desidratada e a economia apurada fique na ordem de R$ 500 bilhões e R$ 650 bilhões, destaca o jornal Valor Econômico. A intenção do governo, segundo o ministro Paulo Guedes, é poupar R$ 1,1 trilhão.

Os grandes bancos devem registrar avanço no lucro impulsionados pelo crédito à pessoa física, aponta o Valor, com base nas prévias dos resultados das maiores instituições financeiras que começam a divulgar os seus resultados a partir de amanhã. Juntos, Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Bradesco e Santander devem obter um lucro líquido recorrente de R$ 20 bilhões, representando uma alta de 16%. Os resultados devem refletir um aquecimento da oferta de crédito e a concentração das operações com spreads mais elevados.


5. Noticiário corporativo

O engenheiro de recursos hídricos da Vale Felipe Rocha disse ontem a diretoria da mineradora tinha conhecimento dos riscos de um possível desabamento da barragem de Brumadinho. Em declaração à CPI no Senado que apura as causas do acidente, ele afirmou que os riscos foram apresentados em um painel de especialistas e em um subcomitê da Vale. Rocha afirmou, entretanto, que não poderia afirmar se as apresentações chegaram ao conhecimento do ex-presidente, Fabio Schvartsman.

A Cielo registrou um lucro líquido de R$ 548,5 milhões no primeiro trimestre deste ano, cifra 40,4% menor que a registrada no mesmo intervalo do ano passado. O Ebitda recuou 34%, para R$ 1,243 bilhão, enquanto a receita líquida caiu 0,4%, para R$ 2,773 bilhões. O volume financeiro capturado pela empresa com suas maquininhas subiu 3%, para R$ 155,7 bilhões. A empresa informou que projeta um lucro líquido consolidado entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,6 bilhões este ano.

A Via Varejo, controladora das redes Casas Bahia e Ponto Frio, registrou um prejuízo líquido de R$ 49 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo um lucro apurado de R$ 64 milhões do mesmo período do ano passado. O resultado foi impactado pela menores vendas e margens brutas no período, mesmo com uma redução nas despesas. O Ebitda ajustado recuou 18,2%, somando R$ 521 milhões. A receita líquida recuou 4% e as vendas mesmas lojas caíram 1,9%.

O Carrefour registrou um crescimento de 9,9% das vendas consolidadas no primeiro trimestre, que somaram R$ 14,2 bilhões. A maior inflação dos alimentos contribuiu para o resultado. As vendas no conceito mesmas lojas cresceram 7,2%, excluindo gasolina e com GMV, o maior nível desde o primeiro trimestre de 2017, afirmou a companhia em relatório preliminar das vendas.

A JBS informou ontem que realizou por meio de empresas controladas nos EUA reabriu a emissão de três bônus no valor total de US$ 700 milhões. Os recursos da transação e o saldo em caixa serão usados para amortizar um saldo de US$ 1 bilhão do Term Loan da sua controlada JBS USA Lux com vencimento em outubro de 2022.

(Agência Estado e Bloomberg)

 

Contato