Em mercados / acoes-e-indices

Previdência na CCJ, feriado e PIB da China: tudo o que você precisa acompanhar nesta semana

Tudo que o investidor precisa saber antes de operar nesta semana

Investidor
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A semana passada terminou com pânico no mercado após a decisão do presidente Jair Bolsonaro de intervir no reajuste de preço do diesel anunciado pela Petrobras na quinta-feira. Isso criou uma aversão nos investidores e lembrou as atitudes tomadas pelo governo Dilma Rousseff, levando a uma forte queda da bolsa.

Em meio a isso, esta semana começa com um tom de cautela e com analistas e investidores ainda tentando crer que esta pode ter sido uma decisão isolada, como disse o vice general Hamilton Mourão. Não bastasse este problema, os próximos dias também serão muito importantes para a reforma da Previdência.

Era esperada a votação do parecer da proposta na CCJ da Câmara nesta semana, mas surgiu uma questão vinda do centrão, pressionando para que o texto do orçamento impositivo fosse apreciado antes da Previdência, o que pode atrasar o processo da reforma.

O presidente da comissão, Felipe Francischini (PSL-PR), manterá a Previdência como prioridade na sessão da próxima quarta-feira, disse o secretário especial da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, segundo notícia do Estadão. Agora o mercado ficará atento se dará tempo de votar as duas propostas esta semana, ou se o Orçamento realmente irá passar na frente da Previdência.

Ainda no ambiente político, o mercado seguirá atento às relações dentro do Congresso, principalmente após jornais noticiarem que perícia em sistemas da Odebrecht indicaram supostos pagamentos a codinomes atribuídos a Rodrigo Maia. Este caso pode complicar o cenário de negociações do governo com a Câmara dos Deputados.

Indicadores
Na agenda, destaque para o cenário externo, em especial a China, onde sairá uma bateria de dados (na madrugada de terça para quarta), incluindo PIB, produção industrial e vendas no varejo. Vale lembrar que dados chineses costumam impactar bastante as commodities e refletem diretamente no mercado brasileiro.

Além disso, serão apresentados dados de atividade da economia dos Estados Unidos. Diante dos números da desaceleração do crescimento global, estes indicadores ganham relevância na medida quem devem indicar a estabilidade de um ritmo mais fraco de desempenho da atividade no curto prazo.

Estes números podem ter impacto direto na política de juros do Federal Reserve, que, por sua vez, divulga o Livro Bege na quarta-feira. Vale destacar que na sexta-feira será feriado tanto na B3 quanto em Wall Street, ou seja, não haverá movimento de ADRs também.

Por aqui, a atividade econômica também ficará em foco, com a divulgação do IBC-Br de fevereiro, nesta segunda às 8h30, após dado de serviços abaixo do previsto reforçar dúvidas com a retomada da economia em meio aos sinais de atraso na reforma da Previdência.

Às 8h de hoje também será apresentado o IGP-10 - considerado uma prévia da inflação -, enquanto na quarta-feira sai a segunda prévia do IGP-M.

Clique aqui e confira a agenda completa de indicadores.

 

Contato