Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa Futuro sobe com cessão onerosa, Previdência e sinais positivos do exterior

Em dia de agenda lotada no cenário externo, índice futuro sobe com expectativas de que a situação de juros baixos na Europa irá se manter

Gráfico de ações
(Shutterstock)

São Paulo - O Ibovespa Futuro tem leve alta nesta quarta-feira (10) seguindo as bolsas internacionais após o índice à vista cair mais de 1% ontem. A agenda do exterior é repleta de drivers importantes e os investidores repercutem a leitura do parecer sobre a reforma da Previdência na CCJC (Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania) na Câmara dos Deputados, com sinalizações de que o cronograma para a votação seja cumprido à risca. 

Há pouco, o BCE (Banco Central Europeu) reiterou que vai manter os juros pelo menos até o fim de 2019. À tarde, sai a ata do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, explicando a última decisão de política monetária do banco central do país. Ainda fica no radar a reunião extraordinária do Conselho Europeu sobre o Brexit e o acordo para cessão onerosa com a Petrobras. 

Às 09h11 (horário de Brasília), o contrato futuro do Ibovespa para abril subia 0,5% a 96.870 pontos. Enquanto isso, o dólar futuro para maio tinha queda de 0,21% a R$ 3,848. No caso dos juros futuros, o DI para janeiro de 2021 registrava ganhos de dois pontos-base a 7,11% ao passo que o DI para janeiro de 2023 tem alta de dois pontos-base a 8,24%.

Por aqui, às 9h saiu a inflação oficial do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) do IBGE, que veio em 0,75% em março, acima do esperado. A expectativa mediana dos economistas consultados pela Bloomberg era de 0,63%. A taxa também veio acima do 0,43% registrado em fevereiro. O dado foi o maior para um mês de março desde 2015, quando a inflação subiu 1,32%. O IPCA acumulado no ano está em 1,51%. 

Há expectativas positivas para a abertura das ações da Petrobras em vista da aprovação surpresa da cessão onerosa na véspera, depois do fechamento do mercado. Os ADRs (American Depositary Receipts) sobem mais de 1% no pré-market na NYSE. 

Na política, em meio às tratativas das reformas, o governo tenta emplacar uma agenda positiva. Entre elas está a revogação de mais de 250 normas que, para a equipe econômica, atrapalham o ambiente de negócios. Além disso, o governo pretende criar um imposto federal único, com parte dos recursos compartilhados entre Estados e Municípios. Hoje, o ministro da Economia, Paulo Guedes, faz apresentação na “XP Investments Conference Brazil: First 100 Days”.

Noticiário corporativo

A União fechou acordo com a Petrobras para encerrar uma disputa de seis anos referente à revisão do contrato de cessão onerosa, após decisão do Conselho Nacional de Pesquisa Energética (CNPE), que na reunião anterior, já havia marcado o leilão do excedente para 28 de outubro. O valor acertado de US$ 9,058 bilhões, equivalente a R$ 33,6 bilhões, ficou em linha com o aguardado pelo mercado.

Os recursos, que serão destinados à petroleira pela União após o leilão, devem animar os investidores, em conjunto à venda da TAG, por US$ 8,6 bilhões, anunciada na última sexta-feira. O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, diz que os recursos serão utilizados para ampliar os aportes na área de exploração. Ainda sobre Petrobras, segundo a Coluna do Broadcast, a companhia está em conversas com bancos para a captação de debêntures de cerca de R$ 3 bilhões.

A Vale informou que a BSG Resources foi condenada a pagar à companhia brasileira um montante de US$ 1,246 bilhão, mais juros e despesas, por fraude e violações de garantias, por um tribunal arbitral em Londres. Segundo fato relevante, a empresa brasileira foi induzida a constituir uma joint venture para exploração da concessão de uma mina de minério de ferro na República da Guiné. A Vale pontuou, porém, que não garantias quanto a prazo e a valores de recebimento.

A Vale divulgou ontem ainda que vai publicar o balanço do primeiro trimestre, o primeiro que vai retratar os impactos financeiros e operacionais da tragédia de Brumadinho, no dia 9 de maio, após o fechamento do mercado. Já o relatório de produção será divulgado no dia 8 de maio, antes da abertura do mercado.

Os investidores devem ficar atentos ao movimento das ações da B2W e do Magazine Luiza, que estão negociando a compra da Netshoes, publicou ontem o Brazil Journal. Segundo o site, o comprador poderia desembolsar mais de R$ 415 milhões pela empresa, que é listada na NYSE.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

 

Contato