Em mercados / acoes-e-indices

Captação de US$ 3 bi da Petrobras, 2 resultados corporativos, renúncia de executivo e mais 3 notícias

Confira os destaques do radar corporativo da noite desta terça-feira

fachada Petrobras
(Agência Petrobras / Stéferson Faria)

SÃO PAULO - No dia em que o Ibovespa sofreu um leve ajuste após duas sessões de euforia e recuou 0,20%, fechando a 97.828 pontos, uma série de notícias corporativas chama atenção dos investidores e pode mexer com os preços dos ativos na reabertura do mercado na quarta-feira (12).

Pela temporada de resultados, Tenda e Sonae Sierra divulgaram seus balanços referentes ao exercício do quarto trimestre de 2018. Já a Petrobras teria fechado a captação de US$ 3 bilhões em bônus no mercado de dívida, com vencimento em 10 e 30 anos, e poderia ainda retirar do mercado US$ 3,2 bilhões ou mais de outras emissões, reduzindo sua dívida.

A BR Properties, por sua vez, anunciou a compra de um imóvel comercial por R$ 596 milhões, enquanto os conselhos de Unidas e Sanepar aprovaram programas de emissão de debêntures.

Confira esses e mais destaques corporativos no after market desta terça-feira (12):

Petrobras (PETR4)

Segundo o jornal Valor Econômico, a Petrobras fechou a captação de US$ 3 bilhões em bônus no mercado internacional de dívida. A informação foi confirmada por uma fonte sob a condição de anonimato.

De acordo com a reportagem, foram investidos US$ 750 milhões na reabertura do bônus com vencimento em 2029. O yield ficou em 5,95%, abaixo da taxa estimada, de 6,05%. Também foram vendidos US$ 2,25 bilhões em papéis de 30 anos, com yield de 6,90%. Segundo a fonte ouvida pela jornal, a demanda pelos papéis nos dois prazos superou US$ 10 bilhões.

Simultaneamente à oferta em novos bonds, a empresa também tem a intenção de retirar do mercado US$ 3,2 bilhões de outras emissões. De acordo com a reportagem, o valor de recompra pode ser elevado pela companhia, o que implicaria em uma redução no volume de sua dívida.

Tenda (TEND3)

A construtora Tenda apresentou um lucro líquido de R$ 48 milhões entre outubro e dezembro de 2018. O resultado corresponde a um crescimento de 87,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já a receita líquida somou R$ 454,6 milhões no quarto trimestre, uma alta de 27,3% no mesmo comparativo. No acumulado do ano, o indicador ficou em R$ 1,68 bilhão, 23,8% a mais do que em 2017.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês), por sua vez, foi de R$ 69,5 milhões entre outubro e dezembro, 18,9% a mais do que no quarto trimestre do ano anterior. No acumulado de 2018, foi de R$ 278,8 milhões, o que corresponde a um crescimento de 64,5%.

Sonae Sierra (SSBR3)

A incorporadora e administradora de shopping centers Sonae Sierra apresentou no 4º trimestre de 2018 um lucro líquido de R$ 96,7 milhões, aumento de 114% em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo a companhia, o desempenho deve-se ao melhor resultado operacional, menores despesas financeiras e à maior valorização das propriedades para investimento.

O Ebitda, por sua vez, somou R$ 59,1 milhões no trimestre, um crescimento de 8,3% em relação ao mesmo período em 2017. No período, a receita líquida ficou em 85 milhões (+10,2%) e as vendas nas mesmas lojas (SSS) encerraram o último trimestre do ano com alta de 5%.

Unidas (LCAM3)

O conselho de administração da empresa aprovou a emissão de 1 milhão de debêntures simples, não conversíveis em ações, no montante total de R$ 1 bilhão. Segundo comunicado ao mercado, o processo se dará em três séries, sendo que os papéis de primeira série terão prazo de vigência de 60 meses, contados a partir da data de emissão. Já os papéis de segunda e terceira série terão vigência de 96 e 120 meses, respectivamente.

Multiplus (MPLU3)

Ronald Domingues, renunciou ao cargo de diretor financeiro e de relações com investidores da Multiplus na última terça-feira. Domingues deve sair no dia 2 de abril e em seu lugar assumirá interinamente Roberto José Maris de Medeiros.

Sanepar (SAPR11)

A companhia de saneamento paranaense informou o mercado que o conselho de administração aprovou o encaminhamento da solicitação de reajuste tarifário para a Agepar, a reguladora paranaense para o setor. Em outro comunicado, também foi comunicada a autorização para emissão de R$ 350 milhões em debêntures não conversíveis em ações. Os recursos serão destinados ao complemento do plano de investimentos e capital de giro.

BR Properties (BRPR3)

A empresa informou o mercado sobre a compra do imóvel comercial “Torre Corporativa B1 – Aroeira”, localizado em São Paulo (SP), por R$ 596 milhões, sendo R$ 29,9 milhões a título de sinal. "A aquisição desta propriedade vai ao encontro da estratégia da companhia de consolidar seu portfólio em ativos 'Triple A', localizados nas regiões centrais da cidade de São Paulo, identificando oportunidades onde, através de sua gestão ativa das locações e da propriedade, a Companhia captura o potencial de seus ativos, gerando valor ao seu acionista", diz o comunicado.

Invista em ações com corretagem ZERO: abra uma conta na Clear

 

Contato