Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa acelera ganhos após Guedes afirmar que faltam 48 votos para aprovar Previdência na Câmara

Ministro da Economia concedeu entrevista para a Agência Estado e citou monitoramento do governo indicando que 160 deputados apoiam publicamente a reforma e outros 100 já indicaram voto a favor

Paulo Guedes
(Valter Campanato/Agência Brasil)

SÃO PAULO - O Ibovespa intensificou os ganhos e registra alta de 0,99%, a 95.271 pontos às 17h08  (horário de Brasília), após a fala do ministro da Economia Paulo Guedes de que faltam 48 votos para a reforma da Previdência passar na Câmara dos Deputados. 

Guedes concedeu entrevista para a Agência Estado e citou monitoramento do governo indicando que 160 deputados apoiam publicamente a reforma e outros 100 já indicaram voto a favor. Assim, dos 308 votos necessários para passar a Reforma na Casa, faltariam 48.

O ministro disse ainda que é fundamental que reforma proporcione economia de R$ 1 trilhão em 10 anos e um valor abaixo disso comprometeria a adoção do sistema de capitalização.

Com isso, as ações de grande peso no índice, caso dos papéis do setor bancário como Itaú Unibanco (ITUB4), Banco do Brasil (BBAS3) e Bradesco (BBDC3;BBDC4) aceleraram os ganhos, enquanto os papéis de estatais como Petrobras (PETR3;PETR4) diminuíram as perdas, também em meio a menor queda dos preços do petróleo. 

Mais cedo, o mercado já havia repercutido as mudanças recentes na comunicação do governo Jair Bolsonaro sobre a reforma uma vez que, desde ontem, o presidente passou a defender de forma mais enfática a reforma da Previdência em suas redes sociais depois da polêmica da quarta-feira sobre o vídeo de Carnaval. 

Falando a repórteres em Brasília, Bolsonaro afirmou que se reformas não forem feitas agora, a tendência do Brasil é chegar "à beira do caos". Ele reforçou ainda que o país não pode demorar um ano para aprovar a nova Previdência.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, disse que pretende instalar na quarta-feira (13) a comissão de Constituição e Justiça - a primeira a debater a reforma da Previdência, que em seguida passará por uma comissão especial e por dois turnos de votação no plenário.

Já o dólar comercial teve pouca reação à fala de Guedes e registra baixa de 0,44%, a R$ 3,87 na venda, acompanhando o ajuste no câmbio na maior parte das moedas de países emergentes. A moeda americana se enfraqueceu após o relatório de emprego nos EUA ficar muito aquém do esperado.  A maior economia do mundo criou 20 mil vagas, enquanto analistas consultados pela Bloomberg esperavam a criação de 180 mil vagas.

Os juros futuros, por sua vez, também encerraram a sessão em baixa, acompanhando o câmbio e a defesa mais enfática do governo à reforma da Previdência. O contrato futuro com vencimento em janeiro de 2021 recuou 5 pontos-base, a 7,14%, enquanto o DI para janeiro de 2023 caiu 8 pontos-base, para 8,28%. 

Maiores destaques da Bolsa

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 KROT3 KROTON ON 11,12 +7,23 +25,37 152,31M
 ESTC3 ESTACIO PARTON 27,79 +6,88 +16,96 55,00M
 RADL3 RAIADROGASILON 66,80 +6,40 +16,89 147,66M
 VVAR3 VIAVAREJO ON 4,64 +5,22 +5,69 60,37M
 QUAL3 QUALICORP ON 15,58 +4,56 +20,87 20,76M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CSNA3 SID NACIONALON 13,87 -5,90 +56,90 250,05M
 SUZB3 SUZANO PAPELON 47,28 -2,78 +24,16 270,37M
 ABEV3 AMBEV S/A ON 16,57 -0,72 +7,74 262,46M
 PETR3 PETROBRAS ON N2 29,05 -0,58 +14,37 216,77M
 LOGG3 LOG COM PROPON 17,15 -0,46 -4,83 4,03M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)



Cenário externo

No exterior, as bolsas dos Estados Unidos operam em queda - e caso terminem o dia assim será o quinto pregão seguido de perdas. Além dos dados fracos do mercado de trabalho dos EUA, a baixa também é puxada pelo mercado asiático, onde os índices caíram cerca de 2%, com a bolsa de Xangai desabando 4,4% após dados fracos da economia e também pelo relatório de emprego.

Segundo dados da Administração Geral das Alfândegas chinesa, o país registrou uma queda expressiva de 20,7% em suas exportações em dólar em fevereiro em relação a um ano antes, contra uma alta de 9,1% no mês anterior. O resultado ficou 4,8% abaixo do que esperavam os analistas.

Enquanto isso, as importações denominadas em dólar caíram 5,2% em fevereiro em relação ao mesmo período do ano passado. Economistas lembram que por conta do Ano Novo Chinês, os dados de fevereiro tendem a ser distorcidos. Por outro lado, no acumulado de janeiro e fevereiro, as exportações ainda mostraram queda de 4,6%.

Invista melhor: abra uma conta GRATUITA de investimentos na XP.

 

Contato