Em mercados / acoes-e-indices

Banrisul dispara após balanço; Petrobras avança 3% com 2 boas notícias e Sabesp ameniza queda após fala de Doria

Confira os destaques do mercado na sessão desta terça-feira (12)

Plataforma de petróleo
(Divulgação)

SÃO PAULO - Em uma sessão de ânimo para o mercado com um possível acordo para evitar novo shutdown nos EUA e possível alta de Bolsonaro nesta semana, os destaques de desempenho no pregão ficam com os ativos de empresas que divulgaram resultados. BB Seguridade cai, enquanto Banrisul dispara. Já Petrobras sobe forte com o alívio internacional e de olho no avanço na venda de ativos da Petrobras com o Valor informando que a venda da TAG para a Engie está na reta final. Confira no que ficar de olho nesta terça-feira (12):

BB Seguridade (BBSE3)

A BB Seguridade chegou a cair quase 4% no início do pregão, mas amenizou as perdas logo nos primeiros minutos da sessão. A empresa teve lucro líquido ajustado de R$ 839,8 milhões no quarto trimestre de 2018, 10,7% abaixo na base de comparação anual. Em termos líquidos, o lucro foi de R$ 716,9 milhões, 21% menor na comparação ano a ano. 

“A queda do lucro líquido ajustado no comparativo pode ser explicada pela contração de 43% do resultado financeiro, parcialmente compensada pela alta de 4,1% do resultado operacional não decorrente de juros”, afirmou a BB Seguridade no relatório de resultados.

Além da menor remuneração de seus títulos, dado que a Selic segue na mínima histórica de 6,5% ao ano, a empresa também acusou os efeitos da elevação na taxa de remuneração dos passivos financeiros da Brasilprev atrelados aos planos de previdência tradicionais.

O volume de prêmios caiu fortemente nas comparações sequencial e anual, desde a conclusão da venda de sua fatia numa joint venture para a sócia Mapfre, negócio que inclui seguros automotivo e de grandes riscos, por R$ 2,4 bilhões. Com isso, os negócios de risco e acumulação atingiram R$ 291,9 milhões no quarto trimestre, queda de 42,6%. Em contrapartida, a receita com os negócios de distribuição cresceu 27,8%, para R$ 544,6 milhões.

Já a rentabilidade sobre o patrimônio líquido da BB Seguridade caiu 0,8 ponto percentual, para 41,4%.

Juntamente com os resultados, a BB Seguridade previu crescimento de 5% a 10% de seu lucro ajustado de 2019 ante o ano passado. A empresa também previu aumento de 7% a 10% das reservas de previdência da Brasilprev e de 7 a 12 por cento dos prêmios emitidos pró-forma da BB Mapfre SH1.

"A companhia reportou dados fracos (abaixo de nossas estimativas que já estavam abaixo do consenso). Vimos dados fracos para Brasilprev e BB Mapfre SH2, e o destaque positivo ficou na comissão de incentivo", avalia o Itaú BBA. 

Comgás (CGAS5)

A Comgás teve um lucro líquido de R$ 858,8 milhões, 371% maior na comparação com o mesmo período de 2017, quando registrou um lucro de R$ 182,2 milhões. Já a receita bruta subiu 20,6% no mesmo período, para R$ 2,32 bilhões, enquanto a receita operacional líquida teve alta de 28%, para R$ 1,9 bilhão.

Em 2018, o lucro foi de R$ 1,34 bilhão em 2018, mais que o dobro do registrado no mesmo período de 2017, de R$ 640 milhões, enquanto a receita teve alta  23,5%, para R$ 6,84 bilhões. 

A companhia registrou uma receita financeira líquida de R$ 78,7 milhões, ante uma perda financeira líquida de R$ 225,5 milhões em 2017. A Comgás também reduziu em 89% suas despesas operacionais, em base anual, para R$ 95,2 milhões.

Vale ressaltar que a Comgás decidiu suspender a divulgação de projeções financeiras (guidance), devido à oferta pública para aquisição de ações (OPA) pela controladora Cosan S.A. Em comunicado ao mercado na noite desta segunda-feira, 12, após a divulgação do balanço do quarto trimestre e do ano de 2018, a distribuidora afirma que “manterá o mercado informado caso decida pela retomada da divulgação ao término de referida operação.”

A OPA é pela totalidade das ações preferenciais classe A da Comgás, cujo leilão está marcado para o dia 8 de março, às 12h. Na publicação do edital, em 31 de janeiro, consta que o preço oferecido por ação é de R$ 82.

Sabesp (SBSP3)

A ação da Sabesp chegou a registrar um forte movimento de queda, com baixa acima de 5%, em continuidade ao movimento da véspera, mas amenizou as perdas no início da tarde. O movimento coincidiu com a fala do governador de São Paulo, João Doria, em defesa da privatização da Sabesp. Contudo, ele lembrou que, para que isso aconteça, será necessário aprovar um projeto de lei no Congresso nacional. “Havendo a aprovação de um projeto de lei que está no Congresso (...) vamos privatizar a Sabesp, sim”, afirmou ele. Caso isso não ocorra, a capitalização seria o caminho. 

Nesta terça-feira, o Bradesco BBI reduziu a recomendação para as ações da companhia para neutra, destacando um aparente desalinhamento entre os principais nomes do governo estadual de São Paulo em relação à potencial privatização. "Em nossa opinião, essa desordem poderia até enfraquecer um resultado positivo do plano alternativo de 'capitalização'”, avaliam os analistas do banco. 

Ontem, as ações da Sabesp caíram mais de 9% após o vice-governador paulista, Rodrigo Garcia (DEM-SP), sinalizar que o governo prefere a capitalização da empresa à privatização da companhia “O que defendemos abertamente é que tenha uma emenda na medida provisória do saneamento excetuando as estatais não dependentes do Tesouro e, com isso, a Sabesp poderia continuar competitiva e a partir daí o projeto de capitalização”, afirmou Garcia. 

São Martinho (SMTO3)

A São Martinho registrou um lucro líquido de R$ 65,92 milhões referente à safra do terceiro trimestre de 2019, queda de 60,9% na comparação com o mesmo período do ano anterior. 

Já o Ebitda ajustado ficou em R$ 417,3 milhões, queda de 16,1%, enquanto o endividamento líquido teve alta de 26,1%, a R$ 3,1 bilhões. 

Segundo o Itaú BBA, os números foram negativos, com o Ebitda ficou 8,3% abaixo do consenso e 2% abaixo das projeções dos analistas. "O principal destaque foi diluição de custo menor que o esperado, e carryover de estoque de etanol para o próximo trimestre maior que o esperado", apontam os analistas. 

Banrisul (BRSR6)

O Banrisul registrou lucro recorrente de R$ 300,1 milhões no quarto trimestre, 41,9% abaixo frente o mesmo período de 2017. Já em 2018, o lucro foi de R$ 1,096 bilhão, alta de 20,3%.

A margem financeira foi de R$ 1,578 bilhão no quarto trimestre, com alta de 10,5% em 2018 e também de 10,5% em três meses. A carteira de crédito ampliada atingiu R$ 34,561 bilhões.

As despesas com provisão para devedores duvidosos foram de R$ 449,8 milhões no quarto trimestre, com altas de 27,4% e 81,7%, respectivamente. O índice de inadimplência ficou em 2,55% no quarto trimestre, de 2,91% no terceiro e 3,56% no quarto trimestre do ano passado.

O retorno recorrente anualizado foi de 17,6% no quarto trimestre, de 17,3% no terceiro e 20,2% no quarto trimestre do ano passado. 

Vale (VALE3)

 As ações da Vale buscam recuperação após mais uma sessão de queda, em um movimento que ocorre apesar da queda do minério de ferro nesta sessão. 

Porém, o mercado segue monitorando as incertezas para a mineradora em meio à tragédia do rompimento da barragem em Brumadinho. A companhia estava ciente no ano passado de que a barragem de rejeitos que entrou em colapso no mês passado, matando pelo menos 165 pessoas, tinha um risco elevado de ruptura, segundo um documento interno visto pela Reuters na segunda-feira.

O relatório, com data de 3 de outubro de 2018, mostra que, segundo a própria Vale, a barragem da mina de minério de ferro Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), tinha duas vezes mais chance de se romper do que o nível máximo tolerado pela política de segurança da empresa.

Ainda no radar da mineradora, o Ibama informou que está multando diariamente a empresa desde sexta-feira (8) e a empresa deve pagar R$ 100 mil por dia até executar um plano de salvamento de fauna silvestre e doméstica.

Tenda (TEND3)

A Tenda reportou seu guidance de pré-vendas de R$ 1.95 bilhão a R$ 2,15 bilhões e margem bruta ajustada entre 34 e 36% para 2019, o que foi visto como positivo pelos analistas do Itaú BBA.

"O guidance de margem bruta ajustada reforça a visão da companhia de que a nova curva de subsídio da faixa 1.5 do Minha Casa Minha Vida não leva necessariamente a uma desaceleração de ROE em 2019", avalia o Itaú BBA, que mantém recomendação de compra para os papéis e preço-alvo de R$ 38,50 por ação para 2019. 

Petrobras (PETR3;PETR4)

Duas notícias impulsionam os papéis da Petrobras. Em primeiro lugar, os preços do petróleo sobem cerca de 1% nesta terça-feira, apoiados por cortes de produção liderados pela Opep e sanções dos EUA contra o Irã e a Venezuela. Contudo, o mercado segue cauteloso com a produção nos EUA e o resultado das negociações comerciais entre EUA e China.

Em segundo lugar, segundo o jornal Valor Econômico, depois de um longo período parado, o processo de venda da Transportadora Associada de Gás (TAG) pela Petrobras entrou em fase de finalização, com uma oferta de US$ 8 bilhões pelo grupo francês de gás e energia Engie, segundo fonte próxima ao tema.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

Um incêndio no final da tarde de segunda-feira (11) atingiu um galpão de almoxarifado do Consórcio Construtor de Belo Monte, no Sítio Belo Monte, em Vitória do Xingu (PA).

Segundo nota divulgada pela Norte Energia, a brigada de emergência do canteiro de obras e o Corpo de Bombeiro de Altamira foram acionados e o fogo foi controlado. 

Segundo o consórcio Construtor, responsável pela área, não houve vítimas, apenas danos materiais. Por medida de segurança, todos os trabalhadores foram retirados do local.

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos

 

 

Contato