Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa arranca no fim com disparada da Vale, mas não evita queda de 2,6% na semana

Índice teve dia volátil e chegou a cair mais de 1% pela manhã, mas faltando menos de uma hora para o fechamento da bolsa, ganhou força com a mineradora

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Após duas quedas consecutivas, que deixou o Ibovespa mais distante de atingir os esperados 100 mil pontos, o mercado esboça uma reação apesar do dia de cautela no exterior e sem grandes novidades positivas. Mesmo assim, o índice ganhou força na reta final do pregão, ajudado pela arrancada das ações da Vale (VALE3), batendo sua máxima do dia.

O Ibovespa fechou com alta de 0,99%, aos 95.343 pontos, após chegar a cair 1,04% na mínima do dia. O volume financeiro ficou em R$ 16,149 bilhões. Apesar desta alta no fim, o índice não conseguiu evitar uma queda de 2,57% em sua primeira semana negativa no ano.

Já o contrato de dólar futuro com vencimento em março teve alta de 0,47%, a R$ 3,739, enquanto o dólar comercial fechou com ganhos de 0,63%, cotado a R$ 3,7340 na venda. Com esta nova alta, a moeda fechou a semana com valorização de 1,89%.

Se na véspera o mercado se preocupou com o estado de saúde de Jair Bolsonaro após a notícia de um quadro de pneumonia, nesta sexta as informações são mais positivas. O presidente teve o dreno e a sonda nasogátrica retirados hoje por conta da melhora do quadro intestinal e a boa aceitação da dieta líquida que tinha sido adotada.

O mercado teme que o prolongamento da internação de Bolsonaro possa adiar a entrega do novo projeto da reforma da Previdência. Por isso, os investidores acompanham de perto cada boletim médico, tentando projetar quando o governo conseguirá protocolar no Congresso a reforma.

Na agenda econômica, a inflação de janeiro medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) acelerou de 0,15% para 0,32% na comparação com dezembro e alcançou 3,78% no acumulado nos últimos 12 meses. O resultado ficou abaixo da expectativa mediana da pesquisa feita pela Bloomberg, que projetava alta de 0,37% ante dezembro e uma variação anual de 3,82%.

Com a aceleração nos preços de serviços reforçando a expectativa de Selic mantida em 6,50%, o contrato de juros futuros com vencimento em janeiro de 2021 subiu 7 pontos-base, para 7,22%, enquanto o contrato para janeiro de 2023 também avançou 7 pontos, a 8,33%.

Destaques de ações
No noticiário corporativo, a Vale (VALE3) deu início a uma evacuação em Barão de Cocais (MG) - a 100 km de Belo Horizonte - na última madrugada por determinação da ANM (Agência Nacional de Mineração) após uma empresa de consultoria negar a estabilidade da estrutura. Cerca de 500 pessoas serão realocadas e, de acordo com a empresa, as inspeções na barragem estão sendo intensificadas e a evacuação é uma medida é preventiva.

Não espere pela Previdência Social. Invista melhor seu dinheiro hoje: abra uma conta de investimentos na XP.

Ainda no radar da mineradora, o G1 teve acesso aos depoimentos dos funcionários e terceirizados que foram presos após o desastre em Brumadinho e publica que os sensores da estrutura da barragem que se rompeu em 25 de janeiro apontaram uma leitura com "anormalidade" no dia 10 de janeiro. 

De acordo com o depoimento de um geólogo, que já foi solto, as leituras mostravam que, caso o piezômetro não estivesse com problemas, "seria um sinal de que a barragem estaria com problemas".

As maiores altas, dentre as ações que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 SBSP3 SABESP ON 42,19 +6,09 +33,94 256,78M
 RENT3 LOCALIZA ON 33,28 +4,79 +11,87 269,70M
 VALE3 VALE ON 43,16 +3,78 -15,37 2,03B
 BRAP4 BRADESPAR PN 27,12 +3,47 -12,65 114,55M
 CSNA3 SID NACIONALON 9,85 +3,47 +11,43 115,00M

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 QUAL3 QUALICORP ON 15,16 -2,88 +17,61 44,46M
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,22 -2,83 +18,47 702,91M
 LOGG3 LOG COM PROPON 18,05 -1,90 +0,17 8,48M
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N2 19,26 -1,73 +21,28 70,85M
 MRFG3 MARFRIG ON 5,93 -1,66 +8,61 26,18M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 VALE3 VALE ON 43,16 +3,78 2,03B 1,57B 72.506 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN ED 37,31 +2,14 1,14B 902,28M 53.231 
 PETR4 PETROBRAS PN N2 25,13 +0,16 1,01B 1,40B 39.353 
 BBDC4 BRADESCO PN EJ 44,67 +1,06 825,12M 662,05M 35.331 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,22 -2,83 702,91M 468,48M 42.809 
 BBAS3 BRASIL ON 51,73 +0,14 520,22M 548,01M 24.883 
 ITSA4 ITAUSA PN 13,23 +3,20 502,76M 356,09M 37.327 
 B3SA3 B3 ON 31,33 +1,06 397,38M 393,31M 27.996 
 LREN3 LOJAS RENNERON 43,50 +0,35 382,60M 175,49M 21.929 
 SUZB3 SUZANO PAPELON 47,96 -1,36 321,38M n/d 20.186 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Bolsas mundiais
Os índices dos Estados Unidos operam em em queda diante das preocupações com o comércio global. Na tarde de ontem, o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que os Estados Unidos e a China estão longe de fechar um acordo comercial, azedando os mercados por lá na véspera.

Além disso, é improvável que um encontro entre Donald Trump e o presidente chinês Xi Jinping aconteça antes do término da trégua na guerra comercial entre os países, que termina neste mês. Questionado durante um evento no Salão Oval se haveria uma reunião antes de 1º de março, Trump disse: “não”.

As preocupações com o crescimento global também pesam no humor dos investidores após a Comissão Europeia anunciar o corte drástico de suas previsões para o crescimento do bloco econômico, uma vez que enfrenta uma série de desafios domésticos, além da tensão comercial global. 

As bolsas europeias operam perto da estabilidade e as bolsas asiáticas encerraram em queda com as novas preocupações sobre a guerra comercial entre China e Estados Unidos. Não chegar a um acordo significa que o governo Trump irá impor tarifas adicionais aos produtos chineses. 

Vale lembrar que a bolsa na China permanece fechada ao longo desta semana devido ao Ano Novo Lunar e o mercado de Hong Kong voltou a operar hoje após os quatro dias de feriado.

Os preços do petróleo operam em queda por cautela com crescimento global e incertezas sobre as disputas comerciais entre China e Estados Unidos. 

Os futuros de minério subiram mais de 5% para nível mais alto desde 2014 sob a preocupação de que a crise cada vez mais severa da Vale reduzirá o fornecimento global, trazendo condições mais apertadas ao mercado transoceânico e compensando o impacto de uma desaceleração na China, o maior importador.

O Goldman Sachs alertou que poderia haver "interrupção significativa" para a oferta brasileira no curto prazo, e os preços deverão ser elevados e voláteis, já que a produção em outros lugares não pode ser ajustada com rapidez suficiente para compensar a escassez, de acordo com um relatório do banco.

Não espere pela Previdência Social. Invista melhor seu dinheiro hoje: abra uma conta de investimentos na XP.

 

Contato