Em mercados / acoes-e-indices

Braskem sobe 3% à espera de avanço para venda; BRF e Marfrig caem 5% com retaliação da Arábia Saudita ao Brasil

Confira os destaques da B3 na sessão desta terça-feira (22)

frango

SÃO PAULO - Após várias sessões de ânimo no mercado, o Ibovespa registrou uma sessão de forte queda em meio às tensões comerciais entre EUA e China e também com os sinais de desaceleração da economia global. Com isso, as commodities registram queda, com destaque para o petróleo, que tem perdas de cerca de 2%, o que afetou as cotações da Petrobras. 

Apenas 3 ações fecharam em alta superior a 1% nesta terça-feira (22), com destaque para a Via Varejo (VVAR3) e para a Braskem (BRKM5), sendo que esta última que chegou a subir 7% em meio à expectativa sobre a reunião realizada nesta manhã entre o ministro da Economia Paulo Guedes com a holandesa LyondellBasell, uma das interessadas na petroquímica. 

Por outro lado, frigoríficos registraram forte queda, com destaque para BRF (BRFS3) e Marfrig (MRFG3) com a suspensão de importações de carne de frango de cinco frigoríficos brasileiros pela Arábia Saudita.

Enquanto isso, Magazine Luiza e B2W tiveram um novo dia de queda com a confirmação da expansão da Amazon no Brasil. Confira os destaques do mercado nesta terça-feira (22):

Braskem (BRKM5)

A Braskem chegou a subir 7% na máxima do dia em meio às expectativas pela reunião em Davos do ministro da Economia, Paulo Guedes, com a holandesa LyondellBasell, que poderia destravar a venda da Braskem. 

Em dezembro, a Bloomberg noticiou que LyondellBasell pretendia realizar oferta pela empresa neste ano, mas tinha intenção, antes, de falar com o novo governo brasileiro, segundo fontes a par do assunto.

Os papéis amenizaram os ganhos, mas ainda fecharam como um dos destaques de alta do Ibovespa. Durante o dia, não houve detalhes sobre a reunião entre Guedes e a LyondellBasell, mas o ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, falou sobre o assunto em entrevista à Bloomberg.

Santos Cruz afirmou que o governo não se oporia a potencial venda da Braskem.  Às vezes, uma "interpretação muito patriótica" acaba prejudicando a razão, diz ele.  “É questão de análise de até onde interessa controlar, até onde interessa deixar aberto para melhorar investimentos”, afirmou.

Vale (VALE3)

As ações da Vale repercutiram a baixa do minério de ferro, com a commodity negociada em Dalian registrando queda de 1,8%, a US$ 74,60. Contudo, no final do pregão, diminuíram fortemente as perdas. 

No radar da companhia, os analistas do Bradesco BBI reforçaram a visão positiva para VALE como um dos top picks na cobertura do setor de commodities para 2019 devido a cinco fatores: i) virada na divisão de metais básicos com expectativa de redução de custos e ganhos de eficiência de US$ 140 milhões; ii) dividendos + recompras que podem chegar a US$ 7 bilhões no ano, iii) potenciais fusões e aquisições em geração de energia ou em infra; iv) expectativa de que o minério negocie este ano em uma média de US$ 65 a tonelada, nível ainda bastante saudável, v) potenciais mudanças na base de acionistas com potencial saída total ou parcial da Litel e BNDES (mas também potencial aumento de participação pela Mitsui ou ate entrada de novo grupo de acionistas) e vi) resolução da Samarco finalmente em vista, podendo voltar à operação em 2020.

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras registrou queda de olho na baixa dos preços do petróleo, que caem cerca de 2% em meio aos temores sobre desaceleração econômica na China. 

Já no radar da estatal, o professor Nivio Ziviani foi indicado pelo governo federal para exercer o cargo de membro do Conselho de Administração da Petrobras. A companhia recebeu a comunicação de seu acionista controlador e agora a indicação passará pelos procedimentos internos de governança corporativa, incluindo análises de conformidade e integridade necessárias ao processo sucessório da estatal. 

De acordo com a Petrobras, Ziviani é graduado em engenharia mecânica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com mestrado em informática pela PUC-RJ e PhD em ciência da computação pela Universidade de Waterloo (Canadá). A nota da companhia informa que o professor é especialista em tecnologia da informação, sendo “destacado acadêmico e empreendedor”.

BRF (BRFS3), Marfrig (MRFG3) e JBS (JBSS3)

A BRF, Marfrig e a JBS, que mais cedo subiram forte com a notícia da Reuters de que o Ministério de Comércio da China aceitou uma proposta apresentada por exportadores brasileiros de carne de frango com o objetivo de encerrar uma disputa antidumping, registraram queda na Bolsa com uma má notícia vinda da Arábia Saudita. 

Enquanto a JBS fechou em leve queda, a BRF e a Marfrig caíram 5% após notícia de que a Arábia Saudita suspendeu a importação de carne de frango de 33 frigoríficos brasileiros. Mas, destes 33, apenas 5 realmente estão exportando para o país, incluindo frigoríficos da BRF e JBS. 

A desautorização de plantas foi causada por supostos problemas técnicos, conforme comunicou a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal).

Apesar da declaração de que a suspensão teria ocorrido por conta de problemas técnicos, há rumores de que a retirada de empresas brasileiras do mercado da Arábia Saudita possa ser o começo das barreiras econômicas colocadas devido intenção de transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém, em Israel.

Ao Estadão, o ex-secretário-geral da Liga Árabe (organização que reúne 22 países árabes), Amr Moussa, um dos diplomatas do Oriente Médio de maior influência na região, afirmou que "o mundo árabe está enfurecido (com o Brasil)”. 

Invista com a ajuda da melhor assessoria do Brasil: abra uma conta na XP - é de graça!

Embraer (EMBR3)

O Credit Suisse reduziu a recomendação para a Embraer de outperform para neutro, com preço-alvo de US$ 24 para o ADR, considerando o novo guidance menos favorável, além de um cenário de longo prazo mais cauteloso para a empresa pós joint-venture. 

TIM Participações (TIMP3)

 A TIM antecipou o pagamento de juros sobre capital próprio no valor de R$ 380 milhões, inicialmente previsto para 28 de janeiro, para o dia 24. O valor bruto por ação é de R$ 0,156997806.

Carrefour Brasil (CRFB3)

As vendas totais do Carrefour tiveram alta de 14,9%, para R$ 10,7 bilhões, no quarto trimestre. As vendas nas mesmas lojas subiram 7,4%, no maior aumento trimestral desde o o primeiro trimestre de 2017. A meta anual de 20 novas lojas foi atingida, com seis novas lojas e duas operações de atacado inauguradas nos últimos três meses de 2018. O ritmo de abertura de novas lojas será mantido em 2019. 

"Os dados foram neutros. Embora as vendas nas mesmas lojas do Atacadão tenham superado nossas expectativas, acreditamos que o patamar já estava alto, especialmente depois que o Assaí, seu principal concorrente, reportou 8,9% de SSS", avaliam os analistas do Itaú BBA.

Banco Pan (BPAN4)

De acordo com a Coluna do Broad, do Estadão, a Caixa Econômica Federal tem pressa em vender sua participação no banco Pan (ex-Panamericano), mas ainda não decidiu o formato. Os caminhos são oferecer para um parceiro estratégico ou partir para uma oferta de ações (follow-on), uma vez que a instituição tem capital aberto.

Magazine Luiza (MGLU3) e B2W (BTOW3)

A Amazon lança nesta terça uma série de novidades para o mercado brasileiro. A partir de agora, 11 categorias de produtos serão vendidas e entregues pela empresa (no modelo chamado 1P ou venda direta), incluindo 4 inéditas no país: Brinquedos, Bebês, Beleza e Cuidados Pessoais. Desde o ano passado essa expansão era aguardada no mercado brasileiro, mas a empresa afirma que o momento do lançamento não tem relação com a conjuntura econômica do país - apenas com maturidade do negócio em si.

Até hoje, a única categoria em que a empresa trabalhava no modelo “vendido e entregue pela Amazon” no Brasil era a de livros. A expansão coloca a varejista em outro patamar no mercado nacional, e pode ser considerada uma ameaça a nomes consolidados, como B2W (cuja ação caiu 3,26% na segunda, com os rumores sobre a novidade) e Magazine Luiza (queda de 4,13%).

Contudo, no início desta sessão, a baixa dos papéis tinha sido menos significativa, em meio à avaliação de que  o impacto da entrada da Amazon na venda direta no Brasil será limitado para a B2W e Magazine Luiza, pois as empresas estão à frente ao desenvolver um sistema de logística completo para as entregas do varejo on-line, valorizando a experiência do usuário e acoplando soluções de produtos financeiros.

"Para efeito de comparação, a B2W possui 15 centros de distribuição e Via Varejo tem 26. Acreditamos que a ameaça do gigante americana Amazon não é tão grande, porque o cenário competitivo e a logística são bem diferentes no mercado local, afinal aqui é o Brasil", destaca a equipe de análise da Levante. Contudo, a baixa se intensificou na reta final com as ações acompanhando o cenário global mais negativo. 

Suzano (SUZB3)

A Suzano anunciou novos preços de tabela para embarques de celulose para todas as regiões (Ásia, Europa e América do Norte), com vigência imediata. O preço para a Ásia é de US$ 780 a tonelada, US$ 1.010 na Europa e US$ 1.210 para a América do Norte. 

"Consideramos este anúncio como positivo, dado que i) o novo preço anunciado para a Ásia é US$ 30 a tonelada mais alto do que os atuais preços FOEX para a China (cerca de US$ 750 a tonelada); e ii) reforça o compromisso da empresa com a estratégia de 'valor' de longo prazo, uma vez que a Suzano optou por não reduzir seu preço de venda nos mercados à vista", apontam os analistas do Itaú BBA. Eles mantêm a recomendação outperform para a Suzano e para a Klabin, e tem preferência por esta última no curto prazo.

(Com Agência Estado e Agência Brasil)

Invista com a ajuda da melhor assessoria do Brasil: abra uma conta na XP - é de graça!

 

 

Contato