Em mercados / acoes-e-indices

Eletrobras dispara após Levy citar privatização; Taurus salta 15% após fala de ministro sobre posse de armas

Confira os destaques do mercado na sessão desta terça-feira (8)

Eletrobras
(Alexandre Marchetti /ItaipuBinacional)

SÃO PAULO - A terça-feira (8) foi marcada por mais um pregão morno para a bolsa brasileira, com o mercado à espera principalmente de novos sinais do governo de Jair Bolsonaro sobre as reformas estruturais (principalmente Previdência), enquanto as bolsas americanas sobem forte de olho nas novas negociações entre os EUA  e China. 

Contudo, algumas ações registram variações expressivas, como a BRF (BRFS3) e B2W (BTOW3), com ganhos de cerca de 5%, enquanto a Gol cai mais de 2%.  Fora do índice, o destaque fica, mais uma vez, com a Forjas Taurus, que avança mais de 14% após dois pregões de forte queda, de olho na fala de integrantes do governo Bolsonaro.  

Confira esses e mais destaques desta terça-feira:

B2W (BTOW3)

As ações da B2W tiveram uma sessão de ganhos após a companhia de comércio eletrônico fechar uma parceria com a Frete Rápido, do segmento de logística. A parceria vai possibilitar aos vendedores que utilizam essa plataforma disponibilizar a seus clientes uma ferramenta que realiza cotações de frete em tempo real - inferior a 500 milissegundos - e escolher a melhor opção de frete, considerando volume, características do produto adquirido e locais de retirada e entrega.

Petrobras (PETR3;PETR4)

As ações da Petrobras, que buscavam um novo dia de ganhos com o petróleo, não conseguiram sustentar a alta. Vale destacar que os ganhos estavam contidos desde o início do pregão após a forte alta da véspera; ontem, os ativos chegaram a disparar 5% com a notícia de que o governo pagaria US$ 14 bilhões à Petrobras sobre a revisão do contrato de cessão onerosa, o que foi negado posteriormente pelo ministério da Economia. Veja mais clicando aqui. 

Ainda no radar da empresa, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, indicou ontem Carlos Alberto Pereira de Oliveira para a diretoria executiva de Exploração e Produção. Em comunicado, a companhia informou que a dispensa de Solange da Silva Guedes, atualmente no cargo, será encaminhada à aprovação do Conselho de Administração.

Oliveira é graduado em Engenharia Mecânica pelo Instituto Militar de Engenharia e em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem mestrado em Finanças e Análise de Investimentos pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Janeiro. Atua na Petrobras há 38 anos, onde ingressou em 1981, especializando-se em Engenharia de Petróleo. Atualmente, lidera a Gestão de Portfolio, de Parcerias e de Desempenho da diretoria de Exploração e Produção da estatal.

Ainda no radar da empresa, a Petrobras emitirá R$ 3 bilhões em debêntures em 15 de janeiro, todas nominativas, escriturais, simples e não conversíveis em ações, em até 3 séries. Coordenam a emissão Itaú BBA, Bradesco BBI, BB Investimentos, Citibank e Santander. 

Forjas Taurus (FJTA3;FJTA4)

As ações da Forjas Taurus seguem em sua "montanha-russa" na Bolsa. Após duas fortes quedas depois de mais do que dobrar de valor de mercado após a posse de Jair Bolsonaro, os papéis voltaram a subir na B3. Os ativos subiam mais de 9% durante toda a sessão, mas engataram maiores ganhos, de cerca de 15%, no final do pregão. 

O movimento foi intensificado após o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmar em  entrevista à TV Globo que o decreto que flexibiliza a posse de armas será editado até a próxima semana. Ele afirmou que o assunto foi tratado na segunda reunião ministerial, que aconteceu nesta terça. 

Mais cedo, o mercado repercutia o encontro entre Bolsonaro e o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) para discutir a proposta de elaboração de um decreto que regulamenta a posse de armas de fogo no Brasil. Fraga é relator projeto de flexibilização do Estatuto do Desarmamento em tramitação na Câmara. Após o encontro, o parlamentar citou três aspectos do futuro decreto.

Um deles se referem à concessão de anistia de armas irregulares no país, permitindo que o cidadão que tem arma em casa, sem registro ou com o documento vencido, faça o recadastramento.

O texto deverá acrescentar, segundo Fraga, um dispositivo que vai tirar do delegado da Polícia Federal o poder de decidir se a pessoa poderá ou não obter a posse, e elevar o prazo do registro da arma de 3 para 10 anos.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

As ações da Eletrobras ganharam força durante a tarde, com os papéis ON chegando a disparar 5,76% na máxima do dia após o novo presidente do BNDES, Joaquim Levy, afirmar que o governo tem interesse em privatizar a companhia.

Sem dar muitos detalhes, Levy afirmou que portos, rodovias e complexos eólicos estão entre os projetos para privatização. Além disso, ele disse que o valor exato da devolução de recursos ao Tesouro vai depender da retomada da economia e do melhor uso do balanço do BNDES.

A Eletrobras estendeu o prazo para transferência de controle da Companhia Energética de Alagoas (Ceal) e da Amazonas Distribuidora para até 31 de março.

BRF (BRFS3)

As ações da BRF também avançam de olho na China e nos EUA. De acordo com a Reuters, os chineses compraram ao menos 3 cargas de soja dos americanos, o que mostra um alívio nas tensões comerciais.

Vale destacar que a restrição de compras entre os dois países estava levando a um forte aumento do preço da soja no Brasil devido a uma crescente demanda de produtos brasileiros para China, impactando os custos dos grãos para a BRF. Com os preços voltando a diminuir, a empresa se beneficia, assim como a JBS. 

Banco Inter (BIDI4)

O Banco Inter divulgou hoje os dados operacionais do 4º trimestre de 2018. No período, a instituição superou a marca de 1,45 milhão de correntistas, alta de 38% em relação a setembro. O número de clientes investidores teve alta de 35% ante o 3º trimestre de 2018, totalizando 115 mil. 

O banco também cita o lançamento de quatro novos serviços: Plataforma Aberta Inter, Consórcio Imobiliário, Proteção Financeira para Consignado e Letra Imobiliária Garantida (LIG).

Azul (AZUL4)

A Azul registrou um aumento de 13,4% no tráfego de passageiros consolidado em dezembro de 2018, frente a um aumento de 13,5% na capacidade, resultando em uma taxa de ocupação de 83%, próximo dos 83,1% registrados em dezembro de 2017. A taxa de ocupação doméstica totalizou 81,3%, representando uma diminuição de 0,4 p.p. comparado com o mesmo período de 2017, e a taxa de ocupação internacional foi de 88,0%, representando um aumento de 0,6 p.p..

Gol (GOLL4)

A Gol divulgou as estimativas preliminares e não-auditadas dos dados operacionais do 4º trimestre de 2018. O crescimento esperado na receita unitária de passageiro é de 6%-6,5% em relação ao mesmo período de 2017. A razão dívida líquida/Ebitda caiu para aproximadamente 2,3x no final do 4º trimestre. Já a margem Ebitda esperada é entre 25% e 25,5%.

BR Distribuidora (BRDT3)

A BR Distribuidora inicia hoje a etapa de divulgação do processo de venda da totalidade de sua participação de 49% na CDGN Logística, empresa carioca que presta serviços de tratamento e comercialização de gás natural, metano, gás carbônico e biogás.

Ainda no radar, a companhia estreou ontem na carteira teórica do Ibovespa e atingiu o seu maior valor de mercado desde o seu IPO, totalizando R$ 31,28 bilhões. As ações fecharam o pregão a R$ 26,85, com alta de 0,56% em relação à sexta-feira (4).

Banco do Brasil (BBAS3)

O novo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, indicou oito nomes para compor o conselho diretor da companhia: Antônio Gustavo Matos do Vale para vice-presidente de Gestão de Pessoas, Suprimentos e Operações; Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo para vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos Motta do Santos para vice-presidente de Distribuição de Varejo; Carlos Renato Bonetti para vice-presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos; Fábio Augusto Cantizani Barbosa para vice-presidente de Tecnologia; Flávio Augusto Corrêa Basílio, para vice-presidente de Governo;  Ivandré Montiel da Silva para vice-presidente de Agronegócios; e Márcio Hamilton Ferreira para vice-presidente de Negócios de Atacado.

Também no radar do banco, segundo o jornal Valor Econômico, o governo Bolsonaro planeja abrir o capital da BB DTVM, gestora de recursos do Banco do Brasil, responsável pela administração de R$ 948 bilhões em ativos.

BB Seguridade (BBSE3)

O Banco do Brasil, controlador da BB Seguridade, submeteu à Casa Civil a indicação de Bernardo de Azevedo Silva Rothe para o cargo de diretor-presidente, completando o mandato 2016/2019. Após todas as aprovações necessárias, a indicação será submetida para aprovação do conselho de administração da BB Seguridade.

Atualmente, Rothe atua como vice-presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores do Banco do Brasil.

Seja sócio das maiores empresas da bolsa: abra uma conta na XP - é de graça!

(Com Agência Estado e Agência Brasil)

 

Contato