Em mercados / acoes-e-indices

Votação da cessão onerosa é adiada, Renner, Magazine Luiza e B2W rebaixadas pelo HSBC e mais notícias

Confira os destaques corporativos desta quinta-feira (29)

Magazine Luiza
(Divulgação/Shopping Iguatemi Fortaleza)

SÃO PAULO - No radar do InfoMoney desta manhã, a votação da cessão onerosa foi adiada, o que pode refletir nos papéis da Petrobras, em um dia de queda do petróleo após a Rússia não mostrar qualquer urgência com cortes de produção

Além disso, o Cade aprova compra de até 49,99% da IMC pela Sapore, Magazine Luiza, Lojas Renner e B2W rebaixadas e mais notícias.

Confira os destaques corporativos desta quinta-feira:

Petrobras (PETR3; PETR4)

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), anunciou ontem que irá adiar a votação do projeto que revisa o contrato de cessão onerosa da Petrobras. Segundo o emedebista, por uma resistência da equipe econômica do governo Michel Temer, não foi possível chegar a um entendimento sobre o repasse para Estados e municípios, de 20% dos R$ 100 bilhões que devem ser arrecadados com o leilão.

"Entrei numa reunião com o governo atual e governo futuro para discutirmos essa matéria e fiquei até agora buscando entendimento. Até agora não se fez o entendimento. Não vou colocar essa matéria (cessão onerosa) em votação enquanto não houver entendimento. Vou transferir (a votação) para a próxima semana para encontrarmos um equilíbrio", afirmou.

Também no radar de Petrobras, a companhia reduziu o preço do diesel nas refinarias em 15%, de R$ 2,1228/litro para R$ 1,7984/litro, com preços válidos a partir desta quinta. Também foi divulgada a tabela válida para essa sexta, com manutenção do preço. O preço da gasolina segue inalterado em R$ 1,5007/litro.

Invista nas ações da Petrobras com TAXA ZERO de corretagem: abra uma conta na Clear

Ainda de acordo com a Petrobras, a companhia concluiu o reinício em unidade de craqueamento catalítico da Replan, maior refinaria de petróleo, no dia 25 de novembro. A refinaria fora atingida por um incêndio em 20 de agosto.

IMC (MEAL3)

De acordo com a Bloomberg, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a compra de até 49,99% da IMC (International Meal Company) pela Sapore.

Cemig (CMIG4); Light (LIGT3)

De acordo com a Reuters, um executivo da Cemig afirmou que o cancelamento da oferta de ações da Light ocorreu por falta de acordo de preço. O plano de venda, porém, permanece de pé.

“Trabalhamos fortemente na [venda da] Light, mas não deu certo momentaneamente. A Light já está preparada para o passo seguinte. Nada está descartado. Pequenas questões que estão na mesa ainda podem voltar”, disse o diretor de Finanças e Relações com Investidores, Maurício Fernandes Leonardo Júnior, em teleconferência com analistas e investidores.

Magazine Luiza (MGLU3)

O HSBC rebaixou os papéis de Magazine Luiza de “hold” para “reduzir”, elevando o preço-alvo de R$ 115 para R$ 128, implicando em um potencial de baixa de 25% em relação ao último fechamento.

Lojas Renner (LREN3)

A Renner também foi rebaixada pelo HSBC: de “buy” para “manutenção”. O preço-alvo foi elevado de R$ 35 para R$ 38, o que implica em um potencial de baixa de 3,8% em relação ao fechamento do último pregão.

B2W (BTOW3)

A B2W, anteriormente classificada como “buy” foi rebaixada a “manutenção” pelo HSBC. O papel teve o preço-alvo elevado de R$ 31,50 para R$ 38 - implicando em um potencial de baixa de 3,3% em relação ao último fechamento.

Copel (CPLE6)

A elétrica paranaense informou que o BNDES liberou R$ 674 milhões em financiamentos acertados com a instituição de fomento para projetos da companhia. De acordo com a Copel, na primeira liberação de recursos dos financiamentos foram autorizados R$ 513 milhões para a implantação do empreendimento Eólico Cutia e R$ 164 milhões para a Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu.

Com Agência Estado

Seja sócio das maiores empresas da Bolsa com taxa ZERO de corretagem: abra uma conta na Clear

 

Contato