Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa se divide entre exterior negativo e esperança para previdência ainda em 2018; dólar cai 1%

As declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, hoje e amanhã também estão no radar

Ibovespa compra venda
(Shuttertock)

SÃO PAULO - O tom é de cautela no pregão da véspera do feriado nacional de Proclamação da República, em que a Bolsa brasileira estará fechada, em meio a pressão no mercado de petróleo e bolsas internacionais em baixa. O Ibovespa alterna entre os patamares positivo e negativo ao longo do dia.

Por outro lado, esse cenário é contrabalanceado por notícias sobre possibilidade de aprovação da reforma da Previdência ainda neste ano e uma agenda intensa do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) em Brasília. As declarações do presidente do Fed (Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, hoje e amanhã também estão no radar.

Neste contexto, às 15h09 (horário de Brasília), o Ibovespa subia 0,27%, a 85.143 pontos. O contrato de dólar futuro com vencimento em dezembro tinha queda de 0,38%, cotado a R$ 3,793, e o dólar comercial caía 1,20%, para R$ 3,784 na venda. 

O dólar acentuou a queda após a divulgação de inflação de 0,3% em outubro, em linha com a estimativa do mercado, mas ligeiramente abaixo na comparação anual quando excluídos energia e alimentos. As bolsas em Wall Street caem com as perdas das ações do setor bancário.

No mercado de commodities, o petróleo tem leve recuperação após despencar 7,1% na última sessão em meio a preocupações com o aumento da oferta e desaceleração econômica global.

Foi a maior perda em um único dia em mais de três anos, após o presidente dos Estados Unidos Donald Trump dizer que Arábia Saudita não deve cortar sua produção e com o alerta da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) de que a demanda pelo produto está caindo rapidamente.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na XP e conte com assessoria especializada e gratuita

Previdência ainda em 2018?

Antes resistente à votação da reforma da Previdência, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), sinalizou que há brechas para que a proposta ande no Congresso ainda neste ano. A mudança de postura foi verbalizada logo após o senador ter recebido na residência oficial do Senado o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. 

"Da nossa parte, não há nenhuma indisposição, nenhum interesse de atrapalhar o governo. Pelo contrário, atrapalhar o governo é atrapalhar o Brasil e nós queremos que o Brasil avance", disse Eunício, ao final do encontro.

Eunício afirmou que o presidente Michel Temer poderia suspender a intervenção federal no Rio de Janeiro, liberando o Congresso para analisar a reforma. Pelas regras atuais, uma proposta que altere a Constituição Federal não pode ser analisada pelos parlamentares enquanto uma intervenção estiver em vigor em algum estado do País.

Destaques da Bolsa

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 JBSS3 JBS ON 10,52 +6,80 +7,81 114,74M
 BRML3 BR MALLS PARON 11,91 +4,38 -6,44 81,37M
 SUZB3 SUZANO PAPELON 37,89 +4,35 +103,71 253,49M
 ESTC3 ESTACIO PARTON 22,92 +4,09 -29,52 116,64M
 CYRE3 CYRELA REALTON 13,49 +3,37 +6,16 40,52M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 ENBR3 ENERGIAS BR ON 13,37 -5,58 -0,92 79,62M
 USIM5 USIMINAS PNA 9,05 -3,83 -0,11 113,98M
 CIEL3 CIELO ON 9,99 -3,66 -54,59 112,08M
 VALE3 VALE ON 54,60 -2,97 +41,11 910,57M
 ELET6 ELETROBRAS PNB 25,31 -2,54 +11,50 31,94M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

 

 

Contato