Em mercados / acoes-e-indices

Bolsa cai puxada por Petrobras e dólar alcança R$ 3,80 de olho na transição de governo

Os preços do petróleo recuam pelo 12º dia de queda consecutivo, e atingem o menor patamar neste ano, após Trump criticar o plano da Arábia Saudita de cortar a produção da commodity em dezembro

Petróleo queda
(Shutterstock)

SÃO PAULO - A Bolsa brasileira opera em queda pressionada pelas perdas de mais de 2% da Petrobras, seguindo as desvalorizações do petróleo. O investidor entra em ritmo de cautela antes do feriado nacional na quinta-feira (15) e à espera de novidades do governo de Jair Bolsonaro (PSL) .

"A equipe econômica de Bolsonaro apenas divulga nomes muito bons para fazer parte do novo governo, mas não divulga ainda planos. Assim, a bolsa fica sem tração e perto de 85.000 pontos e dólar/real tem facilidade de ficar acima de R$ 3,75", afirma Faria Júnior, diretor técnico da Wagner Investimentos.

Às 13h05 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 0,97%, aos 84.693 pontos. O contrato de dólar futuro com vencimento em dezembro tinha alta de 0,91%, cotado a R$ 3,806, e o dólar comercial subia 1,09%, para R$ 3,797 na venda. 

Os preços do petróleo recuam mais de 2%, no 12º dia de queda consecutivo, e atingem o menor patamar neste ano, após Trump criticar o plano da Arábia Saudita de cortar a produção da commodity em dezembro. 

Além disso, de acordo com o Financial Times, o governo iraquiano está se aproximando de um acordo com autoridades Curdas que poderia permitir que uma produção adicional de 200 a 400 mil barris/dia no território disputado de Kirkuk alcançasse os mercados globais.

Com relação à Rússia, o país está em desacordo com a Arábia Saudita sobre se a produção deve ser reduzida ou não, dado o aumento esperado da produção de suas estatais petrolíferas, e sua preocupação de que preços mais altos do petróleo estimulem demasiadamente a produção de petróleo de Xisto nos Estados Unidos.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na XP e conte com assessoria especializada e gratuita

As taxas de juros futuros recuam pela primeira vez em sete dias em meio a um mercado que aguarda catalisadores para definir direcional. Os investidores seguem acompanhando o anúncio de novos nomes do governo de Bolsonaro e digerem a informação dada por sua equipe de que a reforma da Previdência ficará para o ano que vem.

Destaques da Bolsa

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 MRVE3 MRV ON 11,45 -4,90 -20,10 28,77M
 PETR3 PETROBRAS ON N2 27,05 -3,36 +60,60 97,02M
 TIMP3 TIM PART S/AON 11,50 -3,12 -10,70 63,12M
 BRKM5 BRASKEM PNA 49,86 -3,11 +21,32 56,93M
 BRFS3 BRF SA ON 19,39 -2,86 -47,02 47,55M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BTOW3 B2W DIGITAL ON 34,12 +2,99 +66,44 31,33M
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON 155,86 +1,51 +94,83 149,25M
 ENBR3 ENERGIAS BR ON 13,95 +1,45 +3,38 13,70M
 SUZB3 SUZANO PAPELON 34,52 +0,94 +85,59 87,73M
 VIVT4 TELEF BRASILPN 43,97 +0,92 -2,41 25,96M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

(Com Bloomberg)

 

Contato