Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa cai 1% e se descola do exterior de olho no cenário político; dólar sobe para R$ 3,77

O Congresso segue insensível aos apelos de reforma ainda este ano e o Senado se prepara para votar o que pode ser uma pauta-bomba para o governo de Jair Bolsonaro

Donald Trump
(Shealah Craighead/Casa Branca)

SÃO PAULO - Após abrir em alta, o Ibovespa perdeu força e virou para queda, se descolando das bolsas norte-americanas, que abriram com ganhos de mais de 1% nesta quarta-feira (7) após as eleições legislativas. O resultado mostra que os democratas reconquistaram a maioria na Câmara, enquanto os republicanos se mantiveram à frente no Senado.

Às 13h04 (horário de Brasília), o Ibovespa tinha queda de 1,11%, aos 87.683 pontos, praticamente na mínima do dia após chegar a subir 1,01% na máxima do pregão. No exterior, o Dow Jones avança 0,68%, enquanto o S&P 500 tem alta de 0,88%.

O câmbio também virou, seguindo outros emergentes, que são pressionados pelo peso mexicano após temores sobre o acordo do Nafta com as eleições. O contrato de dólar futuro com vencimento em dezembro tinha alta de 0,44%, para R$ 3,784, e o dólar comercial subia 0,50%, cotado a R$ 3,7771 na venda. 

No Brasil, o Congresso segue insensível aos apelos de reforma ainda este ano e o Senado se prepara para votar o que pode ser uma pauta-bomba para o governo de Jair Bolsonaro.  

O presidente do Senado, Eunício de Oliveira, surpreendeu seus colegas e colocou em votação a inclusão de um projeto de lei na pauta que estabelece o aumento de salários dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) de R$ 33 mil para R$ 39 mil. Veja aqui todas as implicações do projeto

Vale ficar atento também às agendas dos futuros integrantes do novo governo em Brasília. Paulo Guedes coordena hoje a reunião inaugural da equipe econômica de transição, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), onde integrantes dos dois governos ficarão até o final de dezembro.

Já o presidente eleito Bolsonaro inicia hoje formalmente o governo de transição ao se reunir, à tarde, com o presidente Michel Temer. Paralelamente, vários ministros já confirmados na futura gestão estão em Brasília para despachos e reuniões.

Proteja seu dinheiro das instabilidades: abra uma conta gratuita na XP, a melhor assessoria de investimentos do Brasil

Corrida para a reforma

A primeira visita de Jair Bolsonaro a Brasília desde que foi eleito trouxe à tona diversos obstáculos para seus planos amplamente anunciados, como a antecipação do voto da reforma da Previdência e falta de afinidade de discurso com membros de sua equipe.

Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, defendeu uma “prensa” no Congresso para que os parlamentares votem ainda este ano a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo presidente Michel Temer. A declaração foi mal recebida entre os congressistas, que recomendaram aos assessores de Jair Bolsonaro “cuidado com as palavras”.

O episódio se soma ao mal-estar que existe entre algumas lideranças do Congresso: o ministro da transição Onyx Lorenzoni integrou a oposição à reforma da Previdência durante sua tramitação na comissão especial na Câmara.

Líderes do Congresso já avisaram Bolsonaro que não há como aprovar reformas antes de sua posse. Eles querem esperar que o presidente eleito apresente com clareza suas ideias e as discuta com o novo Congresso que assumirá em 2019.

Segundo o jornal Valor Econômico, há 10 propostas de reforma da Previdência nas mãos de Guedes. Diante da complexidade do assunto, ganha força na equipe de Bolsonaro a ideia de que o melhor caminho seria começar com algo mais simples, que não altere o atual sistema de repartição. Se essa alternativa prevalecer, um projeto mais ambicioso, de implantação do regime de capitalização, como Guedes defende, ficaria para 2020.

Destaques da Bolsa

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON 145,81 -8,01 +82,26 366,03M
 BTOW3 B2W DIGITAL ON 31,77 -3,43 +54,98 34,77M
 RENT3 LOCALIZA ON 27,52 -3,10 +25,40 41,50M
 VVAR11 VIAVAREJO UNT N2 15,79 -2,77 -35,40 14,31M
 PETR4 PETROBRAS PN N2 26,46 -2,68 +65,09 1,10B

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 TAEE11 TAESA UNT N2 23,53 +2,35 +19,77 19,66M
 UGPA3 ULTRAPAR ON 43,54 +1,97 -40,51 118,31M
 EGIE3 ENGIE BRASILON 41,79 +1,93 +23,49 13,50M
 JBSS3 JBS ON 10,47 +1,85 +7,30 27,64M
 WEGE3 WEG ON 19,00 +1,60 +3,96 16,09M
* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)

 

 

Contato