Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa Futuro sobe 1% com reação global positiva às eleições nos EUA

Prévias do resultado das urnas mostram vitória dos republicanos no Senado e derrota do partido na Câmara

Estados Unidos EUA
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O mercado doméstico deve ter um pregão positivo nesta quarta-feira (7) com a reação otimista global com o provável resultado das eleições norte-americanas.

Prévias do resultado das urnas mostram vitória dos republicanos no Senado e derrota do partido na Câmara. Enquanto isso, no Brasil, o Congresso segue insensível aos apelos de reforma ainda este ano. A agenda brasileira traz como destaque o IPCA, além de uma intensa temporada de balanços com nomes como Gerdau e CSN. 

Às 9h11 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro avançava 0,83%, a 90.000 pontos. O contrato de dólar futuro com vencimento em dezembro tinha queda de 0,56%, cotado a R$ 3,746.

O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura

Bolsas mundiais

A sessão desta quarta foi mista para as bolsas asiáticas e é de alta para os mercados europeus. Os investidores ficam de olho principalmente no resultado das eleições legislativas americanas, com os republicanos não obtendo controle total do Congresso dos EUA uma vez que os democratas retomaram a Câmara, o que podem dificultar medidas fiscais mais amplas que vêm levando à alta dos rendimentos dos Treasuries e do dólar. 

Os democratas garantiram mais do que 218 assentos necessários para obter o controle da Câmara, segundo tabulações da Associated Press; no Senado, os republicanos preservaram a maioria, o que pode afetar os próximos dois anos de Donald Trump na presidência dos EUA.

No mercado de commodities, o petróleo fica próximo à estabilidade, enquanto metais têm desempenho variado em Londres, com o mercado à espera dos dados da balança comercial de outubro. 

Agenda do dia

Na agenda doméstica, o destaque fica para a inflação medida pelo IPCA, que será divulgada às 9h e deve acelerar para 0,56% em outubro na comparação mensal, de 0,48% na medição anterior, e de 4,53% para 4,67% ao ano, de acordo com estimativa mediana em pesquisa Bloomberg. Às 12h30, o Banco Central divulga o fluxo cambial semanal; às 17h, a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis) realiza a segunda etapa da assinatura dos contratos da 15ª Rodada, no Rio de Janeiro. 

Proteja seu dinheiro das instabilidades: abra uma conta gratuita na XP, a melhor assessoria de investimentos do Brasil

Já a China deve divulgar entre hoje e amanhã a balança comercial de outubro, com estimativa de alta forte tanto de exportações quanto importações.

Noticiário político

A primeira visita de Jair Bolsonaro a Brasília desde que foi eleito trouxe à tona diversos obstáculos para seus planos amplamente anunciados, como a antecipação do voto da reforma da Previdência e falta de afinidade de discurso com membros de sua equipe.

Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, defendeu uma “prensa” no Congresso para que os parlamentares votem ainda este ano a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo presidente Michel Temer. A declaração foi mal recebida entre os congressistas, que recomendaram aos assessores de Jair Bolsonaro “cuidado com as palavras”.

O episódio se soma ao mal-estar que existe entre algumas lideranças do Congresso: o ministro da transição Onyx Lorenzoni integrou a oposição à reforma da Previdência durante sua tramitação na comissão especial na Câmara.

Líderes do Congresso já avisaram Bolsonaro que não há como aprovar reformas antes de sua posse. Eles querem esperar que o presidente eleito apresente com clareza suas ideias e as discuta com o novo Congresso que assumirá em 2019.

Segundo o jornal Valor Econômico, há 10 propostas de reforma da Previdência nas mãos de Guedes. Diante da complexidade do assunto, ganha força na equipe de Bolsonaro a ideia de que o melhor caminho seria começar com algo mais simples, que não altere o atual sistema de repartição. Se essa alternativa prevalecer, um projeto mais ambicioso, de implantação do regime de capitalização, como Guedes defende, ficaria para 2020.

A corrida para a formação de seu governo continua. Bolsonaro sinalizou que convidará o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, para continuar no cargo. No BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), três nomes da equipe de transição estão bem cotados: os economistas Rubem Novaes e Carlos Alexandre da Costa, ex-diretores do banco oficial de fomento, e Roberto Castello Branco, ex-diretor da Vale, segundo a Folha de S. Paulo.

Novo governo em Brasília

Vale ficar atento ainda às agendas dos futuros integrantes do novo governo em Brasília. Paulo Guedes coordena hoje a reunião inaugural da equipe econômica de transição, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), onde integrantes dos dois governos ficarão até o final de dezembro.

Já o presidente eleito Bolsonaro inicia hoje formalmente o governo de transição ao se reunir, à tarde, com o presidente Michel Temer. Paralelamente, vários ministros já confirmados na futura gestão estão em Brasília para despachos e reuniões.

Bolsonaro começa o dia com um café da manhã com o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Ele também tem agendados encontros com os presidentes do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha. Às 16h será a primeira vez que Bolsonaro e Temer se encontrarão para selar o início simbólico do governo de transição. 

O futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro,  vai se encontrar com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para formalmente receber informações sobre a pasta. Ontem (6), durante entrevista coletiva, Moro disse que quer ouvir os “colegas mais experientes” para iniciar os trabalhos.

Noticiário corporativo

A Iguatemi teve lucro líquido de R$ 65,6 milhões no terceiro trimestre, superando em 23,6% o resultado de um ano antes, impulsionado pelo crescimento das receitas em meio à redução dos descontos sobre aluguel cobrado de lojistas e ao fortalecimento das vendas nos empreendimentos, além de menos despesas.

A Cemig informou que sua subsidiária Cemig Geração e Transmissão realizou a recompra de 24.565 debêntures de sua 5ª emissão, no valor de R$ 132 milhões.

O Conselho de Administração da Eletropaulo aprovou o nome do engenheiro Max Xavier Lins para assumir o cargo de diretor presidente da companhia em substituição a Charles Lenzi.

A TIM teve lucro líquido de R$ 1,338 bilhão no terceiro trimestre, montante 379,3% superior ao do mesmo período do ano passado, refletindo um crédito fiscal de R$ 950 milhões.

A JBS assinou memorando de entendimentos com a Win Chain, subsidiária do grupo chinês Alibaba, para exportar carnes do Brasil ao país asiático nos próximos três anos. O acordo envolve US$ 1,5 bilhão, segundo o Valor Econômico.

A CSN informou que a conclusão da ferrovia Transnordestina requer investimentos adicionais de R$ 6,7 bilhões e não vai ocorrer antes de 2027 - 17 anos depois do prazo original.

A Comgás reviu algumas de suas projeções para 2018, aumentando a estimativa de investimento no ano para entre R$ 470 milhões e R$ 530 milhõe, ante valor entre R$ 450 milhões e R$ 500 milhões na previsão anterior.

(Com Agência Estado e Agência Brasil)

Proteja seu dinheiro das instabilidades: abra uma conta gratuita na XP, a melhor assessoria de investimentos do Brasil

 

 

Contato