Em mercados / acoes-e-indices

Fundador da Qualicorp terá que comprar R$ 150 mi em ações; Petrobras vira 'call de compra' e mais notícias no radar

Confira os destaques do radar corporativo desta segunda-feira (8)

gasolina
(Thinkstock)

SÃO PAULO - O petróleo caiu para cerca de US$ 83 o barril nesta segunda-feira (8), pressionado pelas expectativas de que algumas exportações de petróleo iraniano continuarão fluindo depois que os EUA reajustarem as sanções, diminuindo a pressão sobre os estoques. Mas a notícia não deve impactar as ações da Petrobras (PETR3; PETR4), que deve registrar um dia de euforia após o resultado da eleição do primeiro turno que mostrou força de Jair Bolsonaro (PSL) para a eleição, assim como as demais estatais. 

No radar, JBS é processada após contaminação por salmonela, enquanto a Gol quer aumentar suas receitas em dólar. Confira os destaques do radar corporativo desta segunda-feira (8):

Petrobras (PETR3; PETR4)

Em relatório, o Bradesco BBI elevou a recomendação dos papéis da companhia para Outperform (performance acima da média do mercado). De acordo com os analistas, o resultado das eleições contribui para uma assimetria de risco-retorno para as ações da Petrobras. A instituição financeira estima um preço-alvo de R$ 40, o que totaliza um potencial de alta de 67% em relação ao fechamento do dia 5. 

A Petrobras reduziu nesta segunda-feira o preço da gasolina nas refinarias de R$ 2,2159 para R$ 2,1889, com preços válidos para as refinarias na próxima terça-feira. Também no radar da companhia, o Brasil importou menos diesel, gasolina e nafta no mês de setembro.

Uma matéria na Revista Veja sobre sobre a participação da Petrobras no procedimento arbitral como forma de solução do impasse com a Schahin levou a companhia a se posicionar. Em comunicado, a empresa afirmou que “agiu em consonância com o posicionamento da sua área técnica, assim como geralmente ocorre nos demais procedimentos arbitrais instaurados pela companhia, por meio da qual foram avaliados aspectos jurídicos, contratuais, comerciais, dentre outros”.

De acordo com a petroleira, apesar dos argumentos apresentados por ela na arbitragem, foi proferida sentença desfavorável à companhia, tendo a Petrobras honrado com o pagamento de R$ 150 milhões em benefício da Schahin.

Gol (GOLL4)

A Gol Linhas Aéreas está apostando em um novo avião que consome 15% menos combustível e pode voar 20% mais longe que os jatos usados atualmente, o que pode ampliar em quase 40% a oferta de assentos em rotas internacionais no próximo ano, incrementando a fatia de dólares no faturamento total da companhia.

A receita em dólar é importante para a companhia, porque mais de 50% de suas despesas operacionais, além de cerca de 80% de sua dívida de R$ 8 bilhões, variam de acordo com a moeda americana.

De acordo com o jornal Valor Econômico, a Gol deve começar a expansão internacional a partir de 4 de novembro, quando decola o primeiro voo internacional com o novo Boeing 737 Max-8.

JBS (JBSS3)

Uma mulher de Kentucky está processando o braço da JBS nos EUA alegando ter sido hospitalizada após consumir carne moída da empresa contaminada por salmonela. O processo veio um dia após a JBS ter feito um recall de 2,9 mil toneladas de produtos de carne crua contaminados e enviados para lojas de todo o país.

Também no radar de JBS, a companhia desabou com o aumento de volume de negociações antes da eleição.

Qualicorp (QUAL3)

A Qualicorp informou ontem que o conselho de administração decidiu que todas as novas operações com partes relacionadas (como o acordo que impede o presidente da companhia, José Seripieri Filho, de vender ações da companhia, por exemplo) sejam obrigatoriamente submetidas à aprovação em assembleia geral de acionistas.

Seripieri afirmou ainda que vai renunciar à totalidade da remuneração variável como diretor-presidente no exercício social corrente. Além disso, se comprometeu a comprar ações da Qualicorp ao longo dos pregões em um valor mínimo equivalente à indenização de R$ 150 milhões que ele recebeu como parte do acordo.

Houve ainda a criação de um comitê de governança, que terá como objetivo identificar, recomendar, aprimorar e auxiliar na adoção de melhores práticas globais em governança corporativa.

Usiminas (USIM5); Duratex (DTEX3); Gerdau (GGBR4)

Em relatório, o Bradesco BBI destacou alguns dos ativos que mais devem se beneficiar com o resultado do segundo turno das eleições presidenciais. São eles: Usiminas, Duratex e Gerdau. Enquanto Usiminas vende 85% de sua produção para o mercado interno, um aumento no preço do aço no Brasil e uma recuperação dos volumes em 2019 terão um forte impacto no Ebitda (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização, na sigla em inglês) da companhia.

Com relação à Gerdau, apesar de uma valorização do real representar uma receita negativa para a companhia, visto que quase metade de sua receita é fora do Brasil, as estimativas do Bradesco BBI Já assumem a moeda mais valorizada. Além disso, as operações brasileiras, que representam cerca de 55-60% do Ebitda consolidado da empresa, devem se beneficiar de um potencial ciclo de crescimento.

Duratex, por sua vez, deve se beneficiar por conta de maior parte de seu Ebitda (90%) estar exposto ao rico-Brasil.

Forjas Taurus (FJTA4)

A fabricante de armas Forjas Taurus informou que seu conselho de administração aprovou a emissão de R$ 74 milhões de bônus de subscrição de ações preferenciais. O objetivo é reduzir o endividamento da companhia.

Quer investir em ações pagando ZERO de corretagem? Abra uma conta na Clear

 

Contato