Em mercados / acoes-e-indices

Dólar dispara 2%, para R$ 4,15, e Ibovespa cai com pesquisa eleitoral e crise na Argentina

Moeda tem nova alta forte em dia de feriado nos EUA após divulgação de pesquisa e tensão entre emergentes

Dólar
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Em dia de feriado nos EUA, o que reduziu bastante a liquidez da bolsa brasileira, o dólar voltou a ser o grande destaque desta segunda-feira (3), disparando para mais de R$ 4,15 após um alívio na última sessão por conta da atuação do Banco Central. Mais uma vez o mercado ficou de olho no cenário eleitoral, diante de uma nova pesquisa.

O Ibovespa fechou com queda de 0,43%, aos 76.303 pontos, com o volume financeiro atingindo R$ 4,625 bilhões. Já o dólar comercial, por sua vez, disparou 1,96%, cotado a R$ 4,1520. Vale destacar que o mês de agosto terminou com a forte queda de 3,21% do índice e a disparada de mais de 8% do dólar decorrente não só do mau humor externo, mas também da tensão eleitoral, que deve crescer conforme se aproxima a definição do pleito.

Além do dia de alta para o dólar no exterior, o mercado brasileiro repercute a decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de barrar a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-presidente apareceu no programa de TV do PT durante o fim de semana, apesar de ter sido impedido de concorrer. No entanto, nesta segunda-feira (3), o TSE determinou a suspensão de veiculação de propaganda eleitoral que apresente Lula como candidato ao Palácio do Planalto.

Atenção ainda para a primeira pesquisa eleitoral FSB/BTG Pactual após o início da propaganda eleitoral na televisão e depois da candidatura de Lula ser barrada. O levantamento mostrou um cenário de leve variação para cima nas intenções de voto para o provável substituto do petista, Fernando Haddad, enquanto Jair Bolsonaro (PSL) segue na dianteira das intenções de voto em um cenário sem o ex-presidente. Veja a pesquisa completa aqui. 

Para os analistas da GO Associados, a pesquisa do BTG não teve uma alteração relevante na avaliação do cenário, considerando que a proporção de votos na candidatura de Centro (Geraldo Alckmin) continua estacionada em 6%, quando se coloca Lula como candidato e apontando uma pequena queda de 9% para 8% no cenário alternativo.

"As 'novidades' seriam o crescimento da intenção de voto em Ciro Gomes, situando-se em patamar superior à Marina, um contexto diferenciado em relação às pesquisas Ibope e DataFolha quando Marina se encontra acima de Ciro. De qualquer forma, avaliamos que o viés é negativo, considerando que a proporção de intenção de votos que não votariam em Haddad recuou de 64% para 61%", afirma o time de análise da GO Associados, em relatório.

Na América Latina, atenção para a Argentina.O presidente Mauricio Macri anunciou nesta segunda-feira (3) que vai cortar pela metade o número de ministérios e criar um imposto sobre as exportações. O intuito das medidas é reduzir a zero o déficit fiscal do país em 2019. Com essa proposta, o ministro da Fazenda, Nicolas Dujovne, viaja a Washington para começar a renegociar amanhã (4) o acordo que fechou com o Fundo Monetário Internacional (FMI) em junho e que – diante da nova crise cambial – precisa rever.

No mercado de commodities, o preço do petróleo WTI se sustentou acima de US$ 70 com investidores voltando sua atenção para os riscos à oferta no Irã, a despeito de sinais de que a produção dos Estados Unidos está crescendo.

Destaques da Bolsa

Em um dia de leve alta para o petróleo, a sessão foi de queda para a Petrobras, com os investidores de olho, principalmente, na cena política. Do outro lado, o dólar registrou forte alta e impulsionou as ações de empresas exportadoras, caso de Suzano e Fibria.

Outro destaque de alta foi a Ultrapar, que teve forte valorização com os rumores de que o fundo norte-americano Advent mira o Grupo Ultra, dono da Ipiranga e Ultragaz. Segundo o colunista Lauro Jardim, o fundo gigante quer comprar uma fatia que lhe permita fazer parte do bloco de controle.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 VVAR11 VIAVAREJO UNT N2 16,30 -3,55 -33,31 29,75M
 ELET6 ELETROBRAS PNB 17,50 -3,31 -22,91 14,68M
 GOLL4 GOL PN N2 10,86 -3,12 -25,62 30,35M
 ELET3 ELETROBRAS ON 15,35 -2,97 -20,63 24,42M
 CVCB3 CVC BRASIL ON 41,30 -2,94 -13,56 28,84M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CPFE3 CPFL ENERGIAON 23,00 +4,07 +20,21 14,20M
 SUZB3 SUZANO PAPELON 49,04 +3,66 +163,65 152,53M
 UGPA3 ULTRAPAR ON 42,50 +3,23 -41,93 124,28M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON 7,30 +2,82 -38,34 14,46M
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N2 21,94 +2,76 +27,76 34,30M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN N2 19,00 -1,35 478,16M 1,12B 22.983 
 VALE3 VALE ON 54,05 +0,80 233,57M 848,45M 9.219 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN ED 41,67 -1,38 180,13M 522,59M 10.263 
 BBAS3 BRASIL ON 29,39 -2,36 174,27M 350,12M 12.094 
 SUZB3 SUZANO PAPELON 49,04 +3,66 152,53M n/d 13.544 
 BBDC4 BRADESCO PN 28,13 -0,88 140,36M 354,11M 12.721 
 UGPA3 ULTRAPAR ON 42,50 +3,23 124,28M 91,78M 7.324 
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON 126,46 -2,91 104,87M 199,49M 3.415 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,63 -1,17 92,51M 277,09M 11.849 
 FIBR3 FIBRIA ON 80,17 +1,25 89,91M 161,34M 5.713 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

 

Contato