Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras encontra presidenciáveis, fundo americano de olho no grupo Ultra e mais destaques

Confira os destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira

refinaria-petrobras-pasadena-eua
(divulgação)

SÃO PAULO - A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) decidiu reajustar a tabela de preços mínimos do frete devido à recente alta no preço do diesel. Ainda não foi divulgada a nova tabela. Além disso, encontros de executivos da Petrobras com candidatos à Presidência, acordo entre Boeing e Embraer e fundo de olho em Ultrapar estão no foco dos investidores.

Confira os destaques do noticiário corporativo desta segunda-feira (3).

Petrobras (PETR3;PETR4)

Os executivos da Petrobras vão se reunir com auxiliares econômicos dos candidatos à Presidência neste mês para discutir suas agendas para a estatal, segundo publicação do jornal O Estado de S.Paulo de domingo (2).

Os encontros com os assessores econômicos ainda estão sendo marcados e devem acontecer em setembro, antes que o debate fique ainda mais acalorado. Três dos principais executivos da companhia abriram espaço nas agendas para levar aos presidenciáveis a mensagem de recuperação financeira dos últimos anos. Com eles, vão as mesmas apresentações que costumam mostrar aos investidores - um conjunto de métricas e estatísticas que demonstram onde a Petrobras estava no auge da crise, em 2014, e onde está atualmente.

Embraer (EMBR3)

Segundo a coluna de Lauro Jardim, no jornal O Globo, o acordo oficial entre a Boeing e a Embraer já estaria fechado, mas só será anunciado depois das eleições. O governo atual já teria aprovado tudo, mas a Boeing quer ter a certeza de que o presidente eleito não vetará o acordo.

Suzano (SUZB3) e Fibria (FIBR3)

Segundo o Valor Econômico, a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deve concluir nos próximos meses a análise sobre a fusão entre as produtoras de papel e celulose Suzano e Fibria. De acordo com fontes ligadas ao tribunal ouvidas pelo jornal, a interpretação atual dessa área do órgão é que a operação não causa problemas concorrenciais e, por isso, deve ser aprovada sem restrições.

Ao longo dos últimos meses, os rumores sobre a aprovação trouxeram bastante volatilidade para as ações. "Apesar de acreditarmos no cenário de aprovação com pouca ou nenhuma restrição até o começo do ano que vem, notícias ao longo deste período ainda devem trazer volatilidade", afirma a equipe de análise da XP Research.

Ultrapar (UGPA3)

O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, escreve que a Universidade Positivo é disputada por três compradores. Além disso, o mesmo colunista informa que, depois de comprar o Walmart no Brasil, o fundo norte-americano Advent mira em outro gigante: o Grupo Ultra, dono da Ipiranga e Ultragaz. Segundo o colunista, o fundo gigante quer comprar uma fatia que lhe permita fazer parte do bloco de controle.

Usiminas (USIM5)

Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a Usiminas acompanha CSN e aumenta o preço do aço. A CSN anunciou aumento do preço do aço em 10,25% na teleconferência de resultado do segundo trimestre, que entraria em vigor nesta segunda-feira.?

Quer proteger seus investimentos das incertezas das eleições? Clique aqui e abra sua conta na XP Investimentos

Contato