Em mercados / acoes-e-indices

ANP retira interdição em instalações de refinaria da Petrobras não afetadas por acidente

A Replan foi interditada na última sexta-feira, 24, "com o intuito de garantir a segurança operacional das instalações e evitar novos acidentes"

Reduc-Petrobras_refinaria
(divulgação)

SÃO PAULO - A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) autorizou a retomada da operação na Refinaria de Paulínia (Replan), em São Paulo, onde, no último dia 20, três unidades produtivas foram incendiadas. A desinterdição diz respeito apenas aos equipamentos que não foram afetados pelo acidente. Após a sinalização do regulador, a Petrobras anunciou que começaria a religar as máquinas ainda na quarta-feira (29).

A Replan foi interditada na última sexta-feira, 24, "com o intuito de garantir a segurança operacional das instalações e evitar novos acidentes", informou a ANP, em comunicado oficial. A estatal estava prestes a reiniciar a produção, quando foi impedida pela agência, que exigiu a apresentação de documentos comprobatórios de segurança operacional da refinaria, além da realização de uma inspeção nos equipamentos. Nos últimos dois dias, representantes da Petrobras estiveram no escritório da ANP e, segundo a petroleira, todos as exigências foram cumpridas.

Com o sinal verde dado pelo regulador, a Petrobras já anunciou que, em uma semana, metade da produção será recuperada. A capacidade da Replan é de 415 mil barris por dia. A estatal não informou qual volume será produzido.

"As unidades não afetadas iniciam a retomada das atividades no dia de hoje. No cronograma está prevista a normalização da destilação em dois dias, das unidades de craqueamento catalítico e hidrotratamento em três dias e das demais unidades não afetadas em até uma semana", informou a empresa, em nota.

Quer proteger seus investimentos das incertezas das eleições? Clique aqui e abra sua conta na XP Investimentos

Contato