Em mercados / acoes-e-indices

Os 5 assuntos que vão agitar os mercados nesta sexta-feira

Confira os principais eventos deste pregão

Geraldo Alckmin
(Rovena Rosa/Agência Brasil)

SÃO PAULO - Após uma sessão de forte alta para o Ibovespa acompanhando o exterior, o dia começa mais uma vez com alta para as principais bolsas mundiais enquanto que, no Brasil, o mercado segue de olho no cenário fiscal, enquanto a Eletrobras recebe a notícia de que o leilão das distribuidoras foi suspenso. No noticiário político, Geraldo  Alckmin se anima com apoio do PSD e busca DEM, enquanto PT e Ciro disputam PSB. Confira os destaques do mercado clicando aqui:

1. Bolsas mundiais

Seguindo a recuperação de quinta-feira, a semana promete fechar com mais um dia positivo para as bolsas mundiais, enquanto a guerra comercial entre EUA e China é colocada no plano de fundo por ora - as tensões têm um alívio hoje, com a percepção de uma postura mais conciliatória vinda dos chineses.

Com isso, embora os índices futuros americanos ainda estejam bem próximos à estabilidade, a expectativa é de mais um pregão com ganhos, de olho na divulgação dos resultados trimestrais dos bancos JPMorgan, Wells Fargo e Citigroup. Para as bolsas asiáticas, a última sessão foi positiva, com o índice japonês de Nikkei liderando as altas em 1,85%, enquanto Xangai é a única bolsa a apresentar leve queda após subir mais de 2% na quinta-feira. Na Europa, o dia também é de leves altas para todos os principais índices.

No vaivém dos preços do petróleo, mais um dia de queda após as altas de ontem, que vinham recuperando uma despencada de 6% na quarta-feira. O movimento ocorre pela percepção quanto ao fornecimento da commodity, hoje tranquilizada com a reabertura de portos de exportação na Líbia e a expectativa de que o Irã ainda conseguirá exportar a alguns países, mesmo encarando sanções dos EUA.

Às 8h (horário de Brasília), este era o desempenho dos principais índices:

*S&P 500 Futuro (EUA) +0,06%

*Dow Jones Futuro (EUA) +0,08%

*Nasdaq Futuro (EUA) +0,12%

*DAX (Alemanha) +0,23%

*FTSE (Reino Unido) +0,52%

*CAC-40 (França) +0,36%

*FTSE MIB (Itália) +0,39%

*Hang Seng (Hong Kong) +0,16% (fechado)

*Xangai (China) -0,23% (fechado)

*Nikkei (Japão) +1,85% (fechado)

*Petróleo WTI -0,37%, a US$ 70,07 o barril
*Petróleo brent -0,75%, a US$ 73,89 o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian -0,43%, a 463 iuanes (nas últimas 24 horas)

*Bitcoin US$ 6.260,28 +0,96%
R$ 24.500 -0,93% (nas últimas 24 horas)

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

2. Agenda econômica e pesquisa XP

Na agenda desta sexta-feira, o IBGE anuncia o volume de serviços de maio às 9h e, nos EUA, será revelado o dado de preço dos importados. Haverá, ainda, a confiança do consumidor de Michigan de julho  às 11h e o discurso do presidente do Federal Reserve de Atlanta, Raphael Bostic.

No campo político, será divulgada ainda nesta manhã a pesquisa telefônica XP Investimentos/Ipespe, realizada entre os dias 9 e 11 de julho. Confira o resultado das pesquisas anteriores clicando aqui. 

O mercado também fica de olho nas notícias sobre o ajuste fiscal, em meio ao temor de "farra fiscal" com o Congresso adotando diversas medidas que podem gerar um impacto de cerca de R$ 100 bilhões nas contas públicas. Contudo, conforme aponta a Eurasia, o governo tem meios para evitar escorregão fiscal em 2018. A maioria das medidas será vetada pelo presidente Michel Temer, suspensa pelos tribunais ou compensada por outros aumentos de impostos; apesar de todo o ruído, as perspectivas para as finanças públicas no curtíssimo prazo melhoraram, afirma a consultoria.

O Valor, por sua vez, ressalta que o relator do projeto de lei da LDO aprovada na quarta, senador Dalirio Beber (PSDB-SC), incluiu no texto alguns dispositivos - que estão sendo chamados na área técnica de "jabutis do bem". O artigo 109 -A, por exemplo, mantido no texto, estabelece que uma despesa obrigatória sujeita ao teto de gasto só poderá ser criada em 2019 se outra despesa obrigatória em montante equivalente for cancelada. Com este comando geral, reajustes salariais ou criação de cargos poderão até ser propostos, mas quem o fizer terá que indicar qual despesa obrigatória será cortada. 

3. Política na IMTV

O Conexão Brasília desta sexta-feira recebe o analista político Rafael Cortez, da Tendências Consultoria. Na pauta, além do imbróglio jurídico que quase culminou na soltura do ex-presidente Lula no último domingo, destaque para as intermináveis negociações entre partidos e candidatos, que antecede o pontapé oficial da corrida eleitoral. O programa é transmitido ao vivo, a partir das 14h45 (horário de Brasília), pela IMTV e pela página do InfoMoney no Facebook.

4. Notícias do dia

Em destaque no noticiário, está a entrevista do presidenciável tucano Geraldo Alckmin à Folha de S. Paulo. Ele afirmou que, no que depender dele, estará junto com o DEM, em busca do apoio de um aliado histórico do PSDB, mas que tem flertado com o presidenciável Ciro Gomes (PDT).

Já o Estadão informa que Alckmin teve uma vitória, ao selar aliança com o PSD, de Gilberto Kassab. Enquanto isso, Ciro também se movimenta, e vai a São Paulo para negociar com o governador paulista, Márcio França. Já o PT, em cartada final, oferece apoio a candidatos do PSB (que também negocia aliança com o PSB) em cinco estados.

5. Noticiário corporativo

No radar corporativo, más notícias para Eletrobras: o BNDES suspendeu o leilão de suas distribuidoras, agendado para o dia 26 de julho, seguindo decisão da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro. Ontem, o governo havia demonstrado intenção de seguir com o leilão, apesar de informações de que o Senado não votaria o projeto de lei da privatização antes do recesso de julho. O BNDES agora busca recursos legais para continuar com o certame e afirma que um novo cronograma será divulgado assim que haja autorização legal.

Já na expectativa da temporada de resultados, uma série de empresas divulgou hoje suas prévias operacionais para o trimestre. A construtora MRV reporta aumento de 5,4% nas vendas contratadas em comparação ao mesmo período no ano passado, chegando a R$ 1,53 bilhões, enquanto sua concorrente EZTec apresenta vendas líquidas em R$ 79,7 milhões. A Neoenergia informou aumento na geração de energia em 16,3% em comparação segundo trimestre de 2017. Reportando ainda sobre o primeiro trimestre do ano, a empresa de alimentos Camil registrou lucro líquido de R$ 32,6 milhões.

A Braskem também informou, esclarecendo notícia divulgada no jornal Valor Econômico de que o acordo para venda da participação da Odebrecht à LyondellBasell deve ser assinado até outubro, não há previsão de data ainda para a conclusão das negociações entre as duas empresas. Por fim, o presidente da Embraer, Paulo Cesar de Souza e Silva, deve se reunir hoje às 9h30 com o Sindicato dos Metalúrgicos para discutir o acordo da empresa com a Boeing. Os sindicatos já têm se posicionado como contrários à joint venture entre as duas empresas, chamando por um veto do governo. Por outro lado, o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, afirmou na quinta-feira que a Embraer “não deve valer muita coisa” sem a Boeing, e ressaltou a importância do acordo à sobrevivência da companhia.

(Com Agência Estado, Bloomberg e Agência Brasil) 

Contato