Em mercados / acoes-e-indices

Volume da Bolsa despenca 56% durante o jogo entre Brasil x México

Giro do Dólar Futuro recuou 60% em relação ao visto no mês passado

Brasil e México
(Divulgação/Mowa)

SÃO PAULO - Diferente de outras Copas, a B3 decidiu que não irá interromper as negociações durante os jogos do Brasil neste ano, o que faz sentido, já que os mercados pelo mundo estão operando normalmente, independente das partidas. Porém, o volume bem abaixo da média verificado nesta segunda-feira (2), assim como visto durante a fase de grupos, revela como será difícil dividir audiência com os jogos do Brasil.

Para entender empiricamente esse efeito no mercado, o InfoMoney fez um levantamento com a média de volume em junho na hora do jogo do Brasil x México entre as principais blue chips da Bolsa, como do próprio Ibovespa, assim como verificou o giro dos contratos futuros de Ibovespa e Dólar. Pelos números, é possível perceber que o jogo da seleção afastou os traders do mercado.

Leia também: 
- Atenção, traders: veja os riscos de operar na Bolsa durante os jogos do Brasil
- "Nada muda nos horários de negociação", diz B3 após volume despencar no jogo do Brasil
- Brasil x Sérvia: volume da Bolsa recua forte durante o jogo da seleção
- Queda de volume = menor receita: quanto a B3 pode deixar de ganhar com os jogos do Brasil?

Durante o mês passado, o volume médio registrado pelo Ibovespa das 11h00 (início do jogo do Brasil) até o apito final do jogo (13h00) foi de R$ 1,197 bilhão, enquanto nesta segunda-feira o giro da Bolsa ficou em R$ 528,69 milhões neste mesmo horário, ou seja, uma queda de 56%. A mesma queda foi verificada entre as ações, com destaque para os papéis do Itaú Unibanco (ITUB4), cujo volume recuou 76%.

Confira a tabela para as principais blue chips e Ibovespa:

Volume Bovespa
Ativo Volume médio de junho entre 11h e 13h* Volume registrado no mesmo horário nesta quarta Diferença (%)
Ibovespa R$ 1,197 bi R$ 528,69 mi -55,84%
Vale (VALE3) R$ 130,99 mi R$ 41,08 mi -68,64%
Itaú Unibanco (ITUB4) R$ 79,18 mi R$ 18,67 mi -76,41%
Petrobras (PETR4) R$ 180,94 mi R$ 86,90 mi -51,97%

*Entre 1º de junho e 29 de junho

O mesmo pode ser verificado no mercado futuro, falando especificamente para os contratos de Ibovespa e Dólar. Considerado um dos ativos mais líquidos do mercado brasileiro, o volume médio do Dólar Futuro durante o período de estudo foi de R$ 11,022 bilhões, ao passo que foi reduzido para R$ 3,966 bilhões durante o mesmo horário desta segunda-feira, ou seja, uma queda de 64%.

Confira a tabela para o Ibovespa Futuro e Dólar Futuro:

Volume BM&F
Ativo Volume médio de junho entre 11h e 13h* Volume registrado no mesmo horário nesta quarta Diferença (%)
Ibovespa Futuro R$ 991,26 mi R$ 308,44 mi -68,88%
Dólar Futuro R$ 11,02 bi R$ 3,966 bi -64,02%

*Entre 1º de junho e 29 de junho

Por isso, se está pensando em operar nos próximos dias de jogos do Brasil, a melhor forma para driblar a falta de liquidez é operar pequeno para não gastar toda sua munição do dia em um ambiente de baixa volatilidade e liquidez, assim como recomendado pelos analistas técnicos entrevistados pelo InfoMoney, e não deixe de marcar na agenda os próximos possíveis jogos do Brasil até o final da Copa.

Quartas de final
- 6/7 (sexta-feira) - início: 15h00; previsão de término no tempo normal: 17h00 (término às 18h00 em caso de prorrogação e pênaltis)

Semifinal
- 10/7 (terça-feira) - início: 15h00; previsão de término no tempo normal: 17h00 (término às 18h00 em caso de prorrogação e pênaltis)

Final ou disputa 3º lugar serão no fim de semana dos dias 14 e 15 de julho

Contato