Em mercados / acoes-e-indices

Por que o Ibovespa subiu 2.000 pontos antes de fechar o semestre? Análise "puxamentalista" talvez explique isso

Há alguma razão para isso? Não há uma certeza absoluta na resposta, mas um evento técnico que costuma acontecer a cada fechamento de trimestre ou semestre pode ser um bom palpite para isso

Alta
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Que o humor do mercado financeiro está complemente azedo, isso não é novidade pra ninguém: com queda de 14,7% entre abril e junho, o Ibovespa teve seu pior trimestre desde o terceiro trimestre de 2015. Mas mesmo sem nenhuma grande novidade, o benchmark da bolsa brasileira subiu 2.100 pontos nos dois últimos pregões do semestre, chegando a 5 altas nas últimas 6 sessões. Há alguma razão para isso? Não há uma certeza absoluta na resposta, mas um evento técnico que costuma acontecer a cada fechamento de trimestre ou semestre pode ser um bom palpite para isso.

O evento não tem um nome fixo: há quem chame de “Movimento Técnico de Fechamento de Semestre”. No final do semestre, muitos gestores de fundos aproveitam para fazer o rebalanceamento da carteira, vendendo algumas ações que já subiram demais e comprando papéis que tiveram duras perdas. Esses ajustes acabam provocando distorções nos preços destes ativos, por conta do volume extra de dinheiro que entra no mercado neste dia.

Nas palavras de um gestor de fundos com mais de 10 anos de experiência no mercado e explicou ao InfoMoney este evento: “nos fechamentos de período como semestre ou ano, percebemos um movimento técnico de fechamento de período, que acaba provocando uma valorização muito forte de alguns papéis pelo fato de gestores estarem recalibrando seus portfólios ou recomprando de ativos para recompor a participação deles nas carteiras dos fundos, pois quando essas ações caem demais em um período elas perdem participação dentro de um portfólio mesmo mantendo a mesma quantidade de papéis. É um movimento bem técnico mesmo que acaba inflacionando um pouco o preço desses ativos”.

Por isso que o gestor atribui as altas recentes do Ibovespa à “análise puxamentalista”, fazendo uma neologismo cômico à escola de análise fundamentalista. A explicação é válida também para o movimento oposto, quando ações vinham em alta mas caem forte no último dia do período.

A saber: o Ibovespa saltou 350 pontos apenas nos últimos 15 minutos do último pregão deste 1º semestre de 2018, fechando a 72.762 pontos.

LEIA TAMBÉM:
- Os 7 eventos do semestre que explicam a queda de 5% da bolsa e a alta de 16,9% do dólar

 

Contato