Em mercados / acoes-e-indices

Fundo que ganhou 6.000% com salto do VIX faz nova aposta ousada

A firma que administra US$ 7,5 milhões enxerga problemas para um produto elaborado para lucrar com o cenário de turbulência nos mercados

ações alta bolsa
(Shutterstock)

(Bloomberg) -- Um fundo de hedge que obteve ganho gigantesco com a volatilidade dos mercados nos EUA em fevereiro está de olho em um novo alvo.

A Houndstooth Capital Management teve retorno de 6.000 por cento apostando contra um ativo negociado em bolsa atrelado à calmaria nos mercados.

Agora, a firma que administra US$ 7,5 milhões enxerga problemas para um produto elaborado para lucrar com o cenário oposto — de turbulência nos mercados acionários. O raciocínio é que forças técnicas no complexo de volatilidade ajudarão a desencadear um rápido retorno à estabilidade após um grande tombo, em um processo que irá massacrar o produto-alvo.

Embora a Houndstooth espere outra disparada das oscilações de preços, a firma usa opções de venda com vencimento no curto prazo para apostar contra o ProShares Ultra VIX Short-Term Futures ETF, que movimenta US$ 413 milhões e é conhecido pela sigla UVXY. Este é um dos fundos negociados em bolsa (ETFs, na sigla em inglês) mais líquidos e alavancados para ganhar com o aumento da volatilidade. A expectativa é que, após um salto inicial, a volatilidade irá desabar e dizimar o produto.

“Procuramos áreas nas quais instrumentos de compra e venda de volatilidade estão com preços inadequados, ou pelo menos onde enxergamos uma equação muito boa entre risco e retorno”, explicou Lincoln Edwards, fundador da Houndstooth. “Há risco de outra disparada maciça do VIX destruir o UVXY em um único dia”, acrescentou ele, se referindo ao Cboe Volatility Index, que mede a volatilidade do mercado acionário dos EUA.

Tucker Hewes, porta-voz da linha de produtos financeiros ProShares por meio da Hewes Communications, se recusou a comentar.

O capital apostado é modesto, mas ressalta uma questão polêmica. A grande pergunta é se produtos como o UVXY podem exercer pressão desproporcional sobre os contratos que acompanham, exacerbando sua volatilidade.

O investimento em volatilidade cresceu muito nos últimos anos, com a oferta de veículos líquidos e baratos que interessam gestores profissionais e investidores individuais. Agora, com Wall Street alertando para um período cheio de riscos adiante e para a volta de um regime normal de volatilidade após dois anos plácidos, muitos apostam em oscilações maiores nos preços dos ativos no segundo semestre.

Foi assim que a Houndstooth gerou o espetacular ganho de fevereiro. A firma sediada em Austin, Texas, comprou opções de venda do ProShares Short VIX Short-Term Futures ETF (mais conhecido como SVXY), esperando que a alta do VIX acabaria com o torpor dos vendedores. De fato, o índice teve alta recorde em um único dia, provocando uma queda de 83 por cento no ETF.

Cenários

Para a nova estratégia da Houndstooth dar certo, os contratos futuros do VIX precisariam perder dois terços do valor em um único dia. Teoricamente, isso bastaria para zerar o preço do UVXY, que tem alavancagem equivalente a 1,5.

“Mesmo se os futuros do VIX avançarem 200 por cento ou 10.000 por cento em um só dia, uma queda diária de 66 por cento faz o UVXY valer zero, não importa o quanto subiu”, explicou Edwards.

O cenário não se concretizou após a disparada recorde do VIX em 5 de fevereiro. No dia seguinte, o índice volatilidade recuou em um quinto, o que fez o UVXY perder somente um terço do valor.

--Com a colaboração de Melissa Karsh e Luke Kawa.

©2018 Bloomberg L.P.

Quer investir em ações pagando só R$ 0,80 de corretagem? Clique aqui e abra sua conta na Clear

Contato