EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

Intervenção do BC não acalma o mercado e dólar atinge R$ 3,91; Ibovespa futuro vira para queda

Juros futuros também sobem forte apesar dos leilões anunciados

Dólar
(Marcos Santos/USP Imagens)

SÃO PAULO - Depois de inciar o dia em alta, os contratos futuros do Ibovespa com vencimento em julho recuavam 1,02%, aos 74.815 pontos, às 9h22 (horário de Brasília) desta quinta-feira (7), com o clima de incerteza voltando a tomar conta do mercado em vista da dispara do dólar e dos juros futuros, que seguem em alta mesmo com nova intervenção do Banco Central.

Diante da forte turbulência acompanhada nos últimos dias, Banco Central e Tesouro Nacional anunciaram uma intervenção conjunta no mercado nesta quinta-feira. Será realizada a venda de títulos públicos com compromisso de recompra daqui a 9 meses, sendo que serão ofertadas LTNs com vencimentos de 2019 até 2022, além de NTN-Bs para 2019 até 2055, como NTN-Fs com resgates que vão de 2021 a 2029. Do lado câmbio, o BC ofertará até 8.800 contratos de swap cambial para rolagem de vencimento de julho, entre 11h30 e 11h40, como também realizará adicionalmente um leilão qual irá ofertar 15.000 contratos, cujo resultado será divulgado às 9h50. 

Apesar de todo o esforço para frear a volatilidade, o dólar com vencimento em julho registrava valorização de 1,21%, aos R$ 3,903, Enquanto os juros futuros com vencimento em janeiro de 2019 registravam alta de 15 pontos-base, cotados aos 7,30%, ao passo que os contratos de janeiro de 2021 subiam 7 pontos, aos 9,51%.

Bolsas mundiais

O dia é positivo para os principais índices acionários globais, em meio a um maior clima de otimismo com o crescimento global e as sinalizações positivas de ações de tecnologia norte-americanas. O dólar recua contra moedas mais fortes, mas sobe ante paras do real, como rand, peso mexicano e lira turca. Os yields dos treasuries e títulos britânicos e alemães, por sua vez, sobem, mas as taxas italianas e espanholas recuam, em meio a um ambiente político que ainda inspira cautela.

Às 9h24, este era o desempenho dos principais índices:

*S&P 500 Futuro (EUA) +0,12%

*Dow Jones Futuro (EUA) +0,27%

*Nasdaq Futuro (EUA) -0,06%

*DAX (Alemanha) +0,21%

*FTSE (Reino Unido) +0,16%

*CAC-40 (França) +0,29%

*FTSE MIB (Itália) -0,21%

*Hang Seng (Hong Kong) +0,81% (fechado)

*Xangai (China) -0,20% (fechado)

*Nikkei (Japão) +0,87% (fechado)

*Petróleo WTI +0,96%, a US$ 65,35 o barril

*Petróleo brent +1,59%, a US$ 76,56 o barril

*Bitcoin +1,80%, R$ 29.712 (confira a cotação da moeda em tempo real)

Notícias do dia

A coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, noticia que o empresário Benjamin Steinbruch, da siderúrgica CSN, enviou uma carta à Fiesp comunicando seu afastamento temporário da função de vice-presidente da entidade. Com o ato, ele cumpriu a regra legal que exige a desincompatibilização de funções para disputar a eleição, o que amplia especulações sobre a participação em uma chapa encabeçada pelo ex-governador cearense Ciro Gomes (PDT) à presidência da República. A iniciativa é bem vista pelo senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, partido ao qual o empresário se filiou.

Também chama atenção notícia veiculada pelo jornal O Estado de S.Paulo, de que o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) se prontificou a entregar à Justiça Federal de São Paulo relatório que aponta “operações financeiras suspeitas” em relação ao ex-presidente Lula, sua empresa de palestras, a L.I.L.S, e ao Instituto Lula e seu presidente Paulo Okamotto. A assessoria de Lula disse que todos os sigilos foram quebrados há mais de dois anos e não foram encontradas irregularidades.

Outro destaque vem de Brasília. O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na noite de ontem, o Projeto de Lei 1220/15, do deputado Celso Russomanno (PRB-SP), que disciplina os valores a receber pelo mutuário na desistência da compra de imóvel. A matéria, aprovada na forma de um substitutivo do relator, deputado Jose Stédile (PSB-RS), será enviada ao Senado. 

Quando o empreendimento tiver seu patrimônio separado do da construtora, em um mecanismo chamado de patrimônio de afetação, o comprador que desistir do imóvel terá direito a receber 50% dos valores pagos, após dedução antecipada da corretagem.

Se o empreendimento não estiver com seu patrimônio assegurado dessa forma, a multa que ficará com a incorporadora será de 25% dos valores pagos se o comprador desistir do imóvel. O projeto original fixava 10% de desconto na restituição das parcelas pagas para qualquer caso. Um destaque do PT tentou recolocar esse índice menor, mas foi rejeitado pelo Plenário.

Agenda econômica

Entre os indicadores econômicos, a zona do Euro registrou crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de 0,4%, desempenho em linha com a mediana das estimativas de economistas consultados pela Bloomberg.

Ainda na agenda, destaque para os dados de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, a serem apresentados às 9h30 (horário de Brasília). A expectativa dos economistas é por cerca de 225 mil solicitações feitas na última semana. Também na maior economia do mundo, às 16h, serão apresentados os números do crédito concedido ao consumidor em abril. As projeções giram em torno de US$ 14 bilhões.

Na agenda doméstica, a ANP (Agência Nacional de Petróleo e Gás) realiza a 4ª rodada de licitações do pré-sal no modelo de partilha de produção. O bônus de assinatura total fixo é de R$ 3,2 bilhões. O consórcio vencedor será o que oferecer a maior parcela de lucro à União após deduzidas todas as despesas e gastos no projeto.

IMTV

O programa Papo com Gestor desta quinta-feira recebe Fernando Cortez, head of sales e diretor-vice-presidente da Schroders Brasil. O executivo deverá detalhar as estratégias adotadas do fundo Schroder Liquid  Alternatives IE FIM, que conseguiu ficar praticamente estável (-0,03%) em um mês em que o câmbio flertou com R$ 3,80 e o Ibovespa despencou quase 11%, no seu pior desempenho em três anos e meio. A entrevista é transmitida pela IMTV a partir das 11h40 (horário de Brasília).

Confira a grade completa da IMTV clicando aqui.

Radar corporativo

O Itaú Unibanco é alvo de uma ação movida por empresa contra suposta cobrança indevida. Uma condenação pode custar até R$ 7,6 bilhões à instituição financeira em valores corrigidos. A instituição financeira considera remoto o risco de perda e diz que vai recorrer da decisão referente aos critérios de correção a serem aplicados. A Câmara dos Deputados aprovou, ontem, um projeto de lei para regulamentar o distrato imobiliário. O texto estabelece uma taxa de 25% a 50% sobre o valor pago no imóvel em caso de devolução para a construtora. As companhias dos setores siderúrgico e químico vão entrar na Justiça contra a reoneração em vigor para sustentar a redução dos preços do diesel. Também serão levadas aos tribunais as alterações nas alíquotas do Reintegra, programa de ressarcimento de resíduos tributários a exportadoras, e a medida que revogou o Reiq (Regime Especial da Indústria Química).

Clear oferece a menor corretagem do Brasil; Clique aqui e abra sua conta

O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura

Contato