Em mercados / acoes-e-indices

Os 5 assuntos que vão agitar os mercados nesta quinta-feira

Confira no que se atentar nesta sessão 

Donald Trump
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Após um forte rali na véspera com commodities e o mercado de olho nas sinalizações dos pré-candidatos à presidência da república, o mercado brasileiro deve seguir de olho no exterior, em um dia mais "calmo". Por outro lado, as eleições seguem dando o tom do noticiário, com notícias pró-mercado de candidatos como Marina Silva e Joaquim Barbosa e com o DEM apontando que deve apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin. Confira os destaques desta quinta-feira:

1. Bolsas mundiais

A sessão é de leves perdas para os índices futuros em Wall Street e para as bolsas europeias, em um dia de agenda fraca nos Estados Unidos. Enquanto isso, as principais bolsas asiáticas fecharam em alta generalizada pelo segundo dia consecutivo nesta quinta-feira, favorecidas pela diminuição de tensões geopolíticas e por um forte avanço do petróleo, que estimulou o apetite por ativos mais arriscados. 

Além disso, melhorou o clima geopolítico. A recente ofensiva militar liderada pelos EUA na Síria não gerou mais repercussão e, ao mesmo tempo, Washington dá sinais de que busca superar suas diferenças com o regime da Coreia do Norte. Em coletiva de imprensa ontem, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que ele e sua equipe farão “o que for possível” para que seu planejado encontro com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, seja bem-sucedido. A expectativa é que Trump e Kim se reúnam até o fim de maio ou começo de junho. 

Já no âmbito comercial, China e EUA não voltaram a trocar ameaças significativas, embora Pequim tenha decidido aplicar medidas antidumping temporárias a importações de borracha dos EUA, da União Europeia e de Cingapura, a partir de amanhã.

No mercado de commodities, os metais estendem o rali enquanto investidores seguem de olho sobre os impactos potenciais das sanções à Rússia sobre o mercado. Já o petróleo também estende alta, mas em magnitude menor, com otimismo sobre estoques americanos antes de encontro da Opep. 

Às 8h (horário de Brasília), este era o desempenho dos principais índices:

  • *S&P 500 Futuro (EUA) -0,18%

*Dow Jones Futuro (EUA) -0,11%

*DAX (Alemanha) -0,09%

*FTSE (Reino Unido) +0,09%

*CAC-40 (França) +0,16%

*FTSE MIB (Itália) -0,03%

*Nikkei (Japão) +0,15% (fechado)

*Shangai (China) +0,85% (fechado)

*Hang Seng (Hong Kong) +1,40% (fechado)

*Petróleo WTI +0,44%, a US$ 68,77 o barril

*Petróleo brent +0,61%, a US$ 73,89 o barril

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian +6,50%, a 475 iuanes (nas últimas 24 horas)

*Bitcoin US$ 8.237,36 +1,80%
R$ 28.328 +1,44% (nas últimas 24 horas)

Quer comprar ações e ainda pagar a menor corretagem do Brasil? Clique aqui e abra sua conta na Clear

2. Agenda do dia

Eduardo Guardia, ministro da Fazenda, e Ilan Goldfajn, presidente do BC, cumprem agenda em eventos do FMI, Banco Mundial e G20 nos EUA. Em sua agenda, Guardia tem reunião privada de ministros das Finanças sobre Venezuela e encontro com o ministro das Finanças da Argentina, Luis Caputo. Ilan concede entrevista à Bloomberg TV, reúne-se com investidores em encontro organizado pelo HSBC e faz palestra em evento do Itaú. 

Nos EUA, às 9h30, serão divulgados os pedidos de auxílio-desemprego e índices de preços importados. Às 18h, atenção para o discurso do presidente do Federal Reserve de Minneapolis, Neel Kashkari. 

3. Papo com Gestor na IMTV

O papo com gestor desta semana recebe George Kerr, diretor de desenvolvimento de negócios da Aberdeen Standard Investments, gestora que possui US$ 780 bilhões em ativos sob gestão no mundo, sendo US$ 15 bilhões no Brasil. Kerr falou do fundo Aberdeen Multi Asset Growth, produto que investe 100% do capital em ativos fora do Brasil e considerado por distribuidores como "um dos únicos fundos multimercado de verdade", tendo em vista que ele pode aplicar em mais de 30 classes de ativos totalmente descorrelacionados do mercado. A entrevista vai ao ar às 11h na InfoMoneyTV. 

Você já "deu tilt" nos trades? Comprou e levou um stop; vendeu e o mercado veio contra? Quando lembrou que podia subir, abriu uma nova compra e a Bolsa mais uma vez te deu uma rasteira? No programa "Você, Trader!" desta quinta-feira, o analista Rodrigo Cohen, da Rico Investimentos, comentará exatamente sobre isso. Como parar de perder o controle da situação e passar a ter consistência nas operações. Mande suas dúvidas na transmissão ao vivo pelo Facebook a partir das 17h30.  Veja a grade completa clicando aqui.  

4. Notícias do dia

As notícias sobre o desdobramento das eleições seguem dando o tom dos jornais desta quinta-feira. O Valor Econômico aponta que, no STF, os votos de Joaquim Barbosa como ministro eram de viés liberal, citando votos favoráveis à quebra do monopólio da Petrobras e ao status de ministro para presidente do Banco Central. A Folha destaca ainda que a campanha de Barbosa fará aceno ao mercado financeiro; o PSB pressiona o ex-ministro a fazer acenos ao mesmo tempo simpáticos ao mercado e à distribuição de renda. Segundo um aliado, Barbosa esteve em ao menos dois eventos de bancos de investimentos nos últimos anos e tentará contato com Armínio Fraga. Barbosa se reuniu com Delfim Netto há cerca de um ano e Eduardo Gianetti há cerca de seis meses. O partido se reunirá com ex-ministro hoje. O deputado Júlio Delgado (PSB), disse que Barbosa defende a reforma da Previdência e a privatização, mas salvaguardando setores estratégicos como energia, o que deixaria Eletrobras de fora.

Enquanto isso, o Valor noticia que Marina Silva irá reciclar programa de 2014 em sua proposta econômica. O equilíbrio fiscal deve ganhar destaque junto com reformas da Previdência, tributária e trabalhista. O economista Ricardo Paes de Barros, especialista em combate à pobreza, integra equipe da pré-candidata. Já matéria da Folha destaca cálculos de aliados do pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) de que ele já teria o apoio de 10% da Câmara. O Estadão, por sua vez, informa que a pré-candidatura ao Palácio do Planalto do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), perdeu força e começa a ser reavaliada pela cúpula do DEM, que passou a procurar nomes como o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) para conversar sobre futuras alianças.

5. Noticiário corporativo

O destaque no radar corporativo fica para a BRF, após Pedro Parente aceitar convite para indicação de chairman da companhia. Seu nome deve ser submetido à Assembleia Geral de Acionistas que será realizada no próximo dia 26.
Caso se confirme a sua eleição, Parente apresentará pedido de renúncia à posição de presidente do conselho da B3, enquanto não haverá qualquer mudança no exercício de sua função de presidente da Petrobras. 

Atenção ainda para a Eletrobras: decreto que incluiu a Eletrobras no programa de desestatização poderá ser publicado hoje. Ainda sobre elétricas, a CVM determinou que o leilão das OPAs da Energisa e da Enel pela Eletropaulo seja feito conjuntamente em 18 de maio.

Já no InfoTrade de hoje, destaque para o Ibovespa, que depois da forte alta nos últimos dois dias, deve ter dificuldades para superar 86 mil pontos e sofrer uma correção. No "Gráfico do Dia", atenção para as ações da Magazine Luiza (MGLU3), que abrem caminho para um importante suporte e uma reação positiva será uma boa oportunidade de entrada. Veja clicando aqui. 

(Com Agência Estado e Bloomberg)

 

Contato