EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

Contra fluxo não há argumento: os estrangeiros querem o Brasil – e o mercado comemora

Tesouro emite US$ 1,5 bilhão de dívida no mercado norte-americano e demanda foi 4 vezes maior

Henrique Meirelles
(Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

SÃO PAULO - Sem perder o fôlego, o Ibovespa renovou seu topo histórico e retomou os 81.000 pontos nesta sexta-feira (19), caminhando para quinta semana consecutiva de alta. Às 12h42 (horário de Brasília), o índice subia 0,32%, aos 81.222 pontos, acompanhando o bom humor das bolsas internacionais, que ignoram a queda do petróleo, e refletindo o forte interesse dos estrangeiros pelo Brasil demonstrado pela última emissão de dívida brasileira no mercado internacional.

O Tesouro Nacional confirmou na noite da última quinta-feira (18) a captação de US$ 1,5 bilhão com a reabertura do bônus Global 2047. Os títulos de dívida foram emitidos no mercado norte-americano com yield de 5,6% ao ano e sua demanda foi 4 vezes maior que o volume emitido, apontou o Tesouro, comprovando a percepção positiva dos estrangeiros com o rumo da economia brasileira mesmo após o recente rebaixamento de rating pela S&P. Esse otimismo também é comprovado no fluxo no mercado de ações.

O saldo dos investidores estrangeiro no segmento Bovespa segue muito forte e registrou a 10ª variação positiva consecutiva este ano, segundo dados publicados pela B3 nesta sexta-feira. O fluxo entre a última segunda-feira (15) e terça-feira (16) aumentou em R$ 413 milhões no mercado de ações, somando no ano R$ 4,54 bilhões e acumulando R$ 9,3 bilhões nos últimos 24 pregões, justamente o período em que o Ibovespa disparou 10%, saindo de 72.730 pontos para alcançar 79.831 pontos.

Até a última terça-feira, os estrangeiros compraram R$ 46,16 bilhões em ações e venderam R$ 41,62 bilhões. Com 47% de participação nas negociações na bolsa brasileira, segundo os últimos dados publicados pela B3, acompanhar as movimentações dos estrangeiros sempre foi um bom indicativo sobre a tendência do Ibovespa, tendo em vista que cerca de metade de todas as transações efetuadas partem desses investidores.

Na contrapartida, os investidores institucionais acumulam até o dia 16 de janeiro fluxo negativo de R$ 2,12 bilhões, com vendas de R$ 27,21 bilhões e compras atingindo R$ 25,09 bilhões. No mesmo ritmo, o segmento pessoa física registra saldo negativo de R$ 2,11 bilhões, com as posições vendidas de ações somando R$ 20,29 bilhões, enquanto as compradas em R$ 18,19 bilhões. Vale lembrar que o saldo divulgado pela B3 tem atraso de 2 dias.

Destaques do mercado
Na ponta positiva, destaque para as ações da Embraer (EMBR3), que sobem com as novidades envolvendo as negociações para união com a Boeing (veja mais aqui). Do outro lado, os papéis da Telefônica Brasil (VIVT4) após o Credit Suisse rebaixar a recomendação para a empresa de "compra" para "neutro".

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 EMBR3 EMBRAER ON 20,09 +2,66 +0,45 28,89M
 USIM5 USIMINAS PNA 11,15 +2,01 +22,53 29,21M
 KLBN11 KLABIN S/A UNT N2 17,83 +1,89 +1,31 4,51M
 QUAL3 QUALICORP ON 32,94 +1,51 +6,26 4,96M
 VVAR11 VIAVAREJO UNT N2 22,85 +1,47 -6,62 21,71M

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 VIVT4 TELEF BRASILPN 49,63 -2,13 +2,08 16,19M
 GOAU4 GERDAU MET PN 6,70 -1,76 +15,72 27,01M
 GGBR4 GERDAU PN 14,30 -1,65 +15,51 53,58M
 RENT3 LOCALIZA ON 24,12 -0,94 +9,34 4,00M
 LREN3 LOJAS RENNERON 36,56 -0,79 +3,01 2,18M
* - Lote de mil a??es
1 - Em reais (K - Mil | M - Milh?o | B - Bilh?o)

Temer: Previdência e caso Rodrimar
A Michel Temer enviou ao STF (Supremo Tribunal Federal) as respostas às perguntas feitas pela Polícia Federal no inquérito que investiga o suposto favorecimento da empresa Rodrimar por meio da edição pelo presidente do chamado "Decreto dos Portos". Nas respostas, Temer negou qualquer favorecimento para Rodrimar S/A ou recebimento de doações.

Em outra das 50 respostas enviadas à PF, Temer diz não ter recebido ofertas para acrescentar no decreto dispositivos que beneficiassem determinadas empresas: “não recebi nenhuma oferta de valor para inserir dispositivos mais benéficos no Decreto dos Portos, ainda que em forma de doação de campanha eleitoral. Em tal hipótese, minha reação seria de enérgica repulsa, seguida da adoção das medidas cabíveis”, afirmou.

Destaque ainda para as últimas tacadas de Temer para aprovar a reforma da Previdência. Ontem, ele participou de gravações no SBT nos programas de Silvio Santos e Ratinho para mostrar os benefícios das medidas para o futuro da população: "foi uma honra e uma alegria participar do programa do Silvio Santos, no SBT. Tive a oportunidade única de explicar a importância de uma reforma da Previdência mais justa para todos e que combata os privilégios", escreveu o presidente através de sua conta no Twitter. 

Já o Estadão informa que, para aumentar o apoio entre os deputados, o goveno vai abrir as torneiras das emendas parlamentares para aprovar a reforma da Previdência antes do fim de fevereiro e consolidar a estratégia de montar uma ampla frente eleitoral com todos os partidos da base aliada. O valor do “arsenal” de Temer, como em restos a pagar de emendas parlamentares e novas emendas do Orçamento, pode superar R$ 30 bilhões, informa a publicação.

Lula: carta aos brasileiros e julgamento chegando
Na próxima quarta-feira (24), o recurso do ex-presidente Lula em segunda instância ganha todos os holofotes. Enquanto isso, destaca o Estadão, a equipe do petista tenta dar ares de normalidade à sua pré-campanha à Presidência e finaliza a nova Carta ao Povo Brasileiro do petista. O documento será apresentada em 26 de fevereiro – quando o PT completa 37 anos –, seja qual for o resultado do julgamento em Porto Alegre.

Contudo, diz o jornal, ao contrário da Carta ao Povo Brasileiro de 2002, feita para acalmar o mercado financeiro receoso diante da possibilidade da primeira eleição de Lula, o texto de 2018 será voltado para a classe média, especialmente para o eleitorado que já votou no PT, mas culpa Dilma pela crise econômica e associa o partido aos escândalos de corrupção revelados pela Operação Lava Jato.

Bolsas mundiais
As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, ignorando o desempenho negativo da bolsa dos EUA na última quinta-feira por conta das preocupações por um possível "shutdown" do governo. Na noite de ontem, a Câmara dos Representantes aprovou projeto que amplia o teto de endividamento, mas a votação no Senado nesta sexta-feira é cercada por incertezas, onde democratas alegam ter votos suficientes para bloquear a medida e "travar" o governo.

No mercado de commodities, o petróleo interrompe rali e tem baixa moderada nesta manhã mesmo após a nova queda dos estoques nos EUA, enquanto os contratos futuros de minério de ferro negociados na China sobem após o Barclays elevar suas previsões para a commodity.

Às 12h42, este era o desempenho dos principais índices:

*Dow Jones (EUA) +0,05%

*S&P 500 (EUA) +0,24%

*Nasdaq (EUA) +0,37%

*CAC-40 (França) +0,53%

*FTSE (Reino Unido) +0,34%

*DAX (Alemanha) +0,97% 

*FTSE MIB (Itália) +0,95%

*Hang Seng (Hong Kong) +0,43% (fechado)

*Xangai (China) +0,41% (fechado)

*Nikkei (Japão) +0,19% (fechado)

*Petróleo WTI -0,73%, a US$ 63,48 o barril

*Petróleo brent -0,81%, a US$ 68,75 o barril

*Bitcoin -0,04%, a R$ 40.188 (confira a cotação da moeda em tempo real)

*Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian +1,59%, a 543,5 iuanes (nas últimas 24 horas)

Clear oferece a menor corretagem do Brasil; clique aqui e abra sua conta

Contato