Em mercados / acoes-e-indices

Força de compra: Vale e Usiminas reagem ao teste de importante referência de suporte

Recuperação neste pregão será fundamental para a retomada da tendência de alta principal

Monitor de ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Depois de recuar 1,26% na última segunda-feira (25) e registrar o pior pregão desde 20 de junho, resultado do aumento da aversão ao risco causada pela escalada das tensões entre EUA e Coreia do Norte, o Ibovespa confirmou a força de compra presente na faixa de 74 mil pontos e às 15h21 (horário de Brasília) sobe 0,48%, dando o primeiro passo para a retomada da sua tendência de alta de curto prazo.

Assim como o índice, as ações preferenciais classe A da Usiminas (USIM5), que ontem foram destaque de baixa do Ibovespa com queda de 12,45%, reagem positivamente ao teste de uma importante referência de suporte: a média móvel exponencial de 21 dias. Com valorização superior de 4% e volume projetado acima da média, a siderúrgica está entre os destaques positivos do índice e o fechamento do papel será fundamental para projetar os próximos passos.

Encerrando o pregão com o candle de indefinição sobre a referência de suporte e superando a máxima (R$ 8,71) na próxima quarta-feira (27), o cenário de recuperação será consolidado e o caminho estará aberto para o rompimento da última máxima em R$ 9,63, tendo como objetivo o topo cravado entre março e abril de 2014 em R$ 10,26.

Chega de baixa?
Depois do movimento de correção gerado pelo pivô de baixa armado na perda de R$ 34,47, que rendeu uma operação de venda contra a tendência (veja mais aqui), a mineradora cravou mínima em R$ 31,00 na segunda-feira e com a abertura em gap de alta nesta terça-feira comprovou a força de compra presente neste patamar, por onde passa a média móvel exponencial de 21 semanas.

Portanto, superando R$ 31,93 no próximo pregão, a mineradora irá confirmar um candlestick de reversão conhecido como Harami de Alta (veja mais aqui) fora da banda inferior de Bollinger, o que abre caminho para a retomada da tendência de alta de curto prazo, tendo como objetivo fechar o gap aberto em R$ 33,17. A expectativa será anulada com a perda justamente de R$ 31,00.

 

Contato