Em mercados / acoes-e-indices

Esperando uma correção do Ibovespa para comprar? Queda recente pode ser essa oportunidade

Porém, um padrão de baixa pode estragar a festa dos comprados

ações

SÃO PAULO - Com a queda de 1,39% às 16h13 (horário de Brasília) desta segunda-feira (25), movimento que foi acelerado após a Coreia do Norte chamar os EUA para guerra (veja mais aqui), o Ibovespa de fato está passando por uma correção e caminha para o pior pregão desde 20 de junho, quando recuou 2,01%. Para quem estava esperando por uma correção mais forte para ir às compras, essa pode ser a oportunidade tão esperada.

Ao deixar para trás 75.028 pontos, o índice acionou um pivô de baixa no intraday (linhas vermelhas) e tem como objetivo testar justamente 74.196 pontos, suporte intermediário cravado na última quarta-feira (13) e onde o mercado deve encontrar maior pressão de compra, podendo oferecer uma nova oportunidade de compra a favor da tendência de curto prazo.

De fato respeitando o suporte marcado na região de 74 mil pontos, o investidor que está de olho em boas oportunidades de compra deve colocar no radar as seguintes ações: Bradesco (BBDC4), B3 (ex-BM&FBovespa, BVMF3), Estácio (ESTC3), Itaú Unibanco (ITUB4), Kroton (KROT3), Lojas Americanas (LAME4), RD (ex-Raia Drogasil, RADL3). Todos esses papéis estão em tendência de alta em todos os tempos gráficos e uma reação positiva ao teste da média móvel exponencial de 21 dias oferecerá uma nova oportunidade de compra.

Mais correção?
Reagindo ao teste da faixa de 74 mil pontos, o mercado estará em um verdadeira dilema em termos gráficos: isso porque, ao projetar uma valorização até 75.610 pontos pelo gráfico de 60 minutos, o índice poderá formar um OCO (Ombro-Cabeça-Ombro) - padrão de reversão de baixa. Vale lembrar que o estudo trata-se apenas um esboço e de uma formação que ainda está longe de ser formada, pois depende de todas as variáveis levantadas.

Contundo, respeitando a resistência em 75.610 pontos no movimento de recuperação previsto ao teste de 74.196 pontos e perdendo o suporte, o padrão de reversão será confirmado e a projeção, que é derivada da altura entre a máxima e a mínima do movimento, aponta para uma correção até a faixa de 72 mil pontos.

Para que a expectativa de baixa gerada pelo OCO seja anulada, o mercado precisa superar 75.610 pontos com boa margem percentual, o que, inevitavelmente, abrirá caminho para o rompimento do topo histórico em 76.419 pontos e um novo momentum de alta no curto prazo, tendo como objetivo a base superior do canal de alta de longo prazo em 79 mil pontos.

 

Contato