Em mercados / acoes-e-indices

Itaúsa de olho na compra da Alpargatas; paralisação na Petrobras e mais notícias no radar

Confira os principais destaques corporativos da noite desta segunda-feira (26)

Havaianas Alpargatas chinelo calçados
(Facebook)

SÃO PAULO - Noticiário agitado na noite desta segunda-feira (26), com destaque para o interesse da Itaúsa na aquisição de 50% da Alpargatas, empresa do grupo J&F. Chamam atenção ainda a Petrobras e a paralisação da produção de uma de suas plataformas e mais. Confira os destaques: 

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras precisou paralisar a produção da plataforma P-35, no campo de Marlim, na Bacia de Campos, após registrar vazamento de pequena quantidade de água oleosa no mar, informou a companhia em um comunicado à imprensa.

A petroleira explicou que o vazamento, já contido, não deixou feridos, e que a plataforma encontra-se em condição segura. "A companhia já mobilizou embarcação para estimar o volume vazado no local", afirmou a empresa.

Não havia informação no comunicado se a produção continuava paralisada, após o vazamento, registrado na tarde desta segunda-feira.

Itaúsa (ITSA4) e Alpargatas (ALPA4)
A Itaúsa, braço industrial do grupo Itaú Unibanco, informou nesta segunda-feira que aprovou a participação em análises da Cambuhy para compra de participação da J&F na Alpargatas.

"A Itaúsa tem por objetivo adquirir 50 por cento da participação detida pela J&F e firmar acordo de acionistas com a Cambuhy para gestão compartilhada da Alpargatas", afirmou a Itaúsa em comunicado.

Mais cedo, a Alpargatas havia informado que a J&F fechou acordo de confidencialidade com a Cambuhy para possível venda de participação na Alpargatas. A Cambuhy é o veículo de investimentos da família Moreira Salles.

Fleury (FLRY3)
O Grupo Fleury informou que foi aprovada por unanimidade o desdobramento das ações ordinárias de emissão da companhia, na proporção de duas ações para cada uma ação existente, resultando em um aumento de 100% do número das ações.

A empresa destacou que o valor de seu capital social permanece inalterado, mas passará a ser representado por 314.791.538 ações ordinárias.

O desdobramento terá como base a posição acionária desta segunda-feira, com os papéis passando a negociar na forma "ex" a partir desta terça-feira, dia 27. O crédito das ações desdobradas será realizado em 30 de junho.

Natura (NATU3)
A empresa de cosméticos Natura anunciou ter concluído nesta segunda-feira a compra de 100% da marca britânica The Body Shop que pertencia à francesa L'Oreal. A compra foi feita por meio da Natura International, que tem sede na Holanda.

A Natura afirmou que pretende convocar uma assembleia-geral extraordinária de acionistas para votar sobre a operação. O fechamento da operação segue condicionado às aprovações regulatórias, especialmente no Brasil e nos Estados Unidos.

A Natura havia informado no dia 9 que entrou em negociações exclusivas com a L'Oreal para comprar dela a The Body Shop, num negócio que pode movimentar 1 bilhão de euros.

Bradesco (BBDC3; BBDC4)
O Bradesco anunciou a renovação de seu programa de recompra de ações. De acordo com a companhia, poderão ser recompradas até 15 milhões de papéis, sendo 7,5 milhões de ON e 7,5 milhões PN. O período da recompra é entre 27 de junho de 2017 a 26 de junho de 2018.

(Com Reuters)

 

Contato