Em mercados / acoes-e-indices

Insider ou sorte? Buffett vendeu 9 milhões da Fox antes de escândalo de assédio

Desde que a polêmica estourou, os papéis da companhia mergulharam mais de 14%, o que poderia ter custado US$ 42 milhões para Buffett

Warren Buffett
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Um movimento estranho feito pela Berkshire Hathaway, empresa de Warren Buffett, tem chamado atenção dos investidores e analistas em Wall Street. Enquanto ele defende papéis polêmicos que ele possui, como Wells Fargo e a United Airlines, uma outra empresa teve sua participação zerada poucos antes de um escândalo atingir as ações: a Fox.

A companhia de Buffett divulgou na segunda-feira (15) que se desfez de sua participação na Fox no primeiro trimestre deste ano, pouco antes de um grande escândalo de assédio sexual atingir um apresentador da Fox News, que culminou na demissão do comentarista político Bill O'Reilly.

A Berkshire vendeu todas as suas quase 9 milhões de ações da Fox, uma participação que valia cerca de US$ 290 milhões no fim de março. Desde 1 de abril, quando a polêmica com O'Reilly estourou, os papéis da companhia mergulharam mais de 14%, o que poderia ter custado US$ 42 milhões para Buffett.

Não há como saber se foi apenas uma coincidência ou se o Oráculo de Omaha tinha alguma informação sobre este escândalo antes de alienar sua posição na Fox. Porém, o mais provável é que ele tenha discordado da forma como a empresa lidou com a situação, tentando comprar o silêncio das mulheres envolvidas no caso.

Em reunião anual de acionistas da Berkshire no início deste mês, Buffett comentou sobre a culpa que viu na Wells Fargo, onde uma cultura de vendas de alta pressão foi culpada por criar uma atmosfera que levou os funcionários a criar cerca de 2 milhões de contas falsas para os clientes. Mesmo assim ele defende manter sua participação na empresa, diferente do que ocorreu com a Fox.

 

Contato