Em mercados / acoes-e-indices

Euforia com commodities cessa e Ibovespa vira para queda de olho no Fomc e política

Mercado segue atento aos desdobramentos da lista de Janot e segue à espera do Fomc, o que deve garantir fortes emoções ao índice

Trader Bolsa surpreso feliz
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Após a abertura em alta, chegando a ganhos de 0,75%, o Ibovespa vira para leve queda, com a Petrobras e os bancos zerando a alta registrada mais cedo. O noticiário é bastante movimentado, com um cenário de tensão pré-Fomc e a repercussão do pedido do Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, para abrir 83 inquéritos envolvendo políticos com foro privilegiado. Contudo, no início da sessão, esse noticiário foi ofuscado pela forte alta das commodities e a fala de Henrique Meirelles garantindo o cronograma da reforma da Previdência. 

O petróleo e o minério de ferro têm uma sessão de forte alta; contudo, isso não foi suficiente para manter a alta das ações da Petrobras, que agora oscilam próximas à estabilidade, enquanto a Vale também amenizou os ganhos. Com isso, o benchmark da bolsa registra queda de 0,19%, a 64.577 pontos às 11h04 (horário de Brasília). Enquanto isso, o dólar registra leve queda: o comercial registra baixa de 0,08%, a R$ 3,1666 na venda, enquanto o contrato futuro com vencimento em abril tem baixa de 0,06%, a R$ 3,183, também amenizando as perdas registradas mais cedo. 

No noticiário econômico, vale destacar a negativa do governo sobre um eventual atraso na reforma da Previdência, após as notícias da véspera sobre o assunto. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse na noite desta terça-feira que continua trabalhando com calendário de  aprovação da reforma da Previdência em abril na Câmara. Além disso, Meirelles afirmou que a divulgação da lista dos políticos que serão investigados após citação por delatores na operação Lava Jato não deve prejudicar o andamento da reforma da Previdência,

A análise de consultorias políticas vai neste mesmo sentido. De acordo com a Eurasia, o  impacto da lista de Janot é maior sobre a corrida presidencial de 2018  do que na agenda de reformas de Temer. 

Noticiário internacional e destaques da Bovespa
Os investidores globais seguem cautelosos à espera da decisão de juros do Fomc. às 15h. Na China, os mercados acionários tiveram pouca variação nesta quarta-feira. Uma coletiva de imprensa do primeiro-ministro da China, Li Keqiang, que não trouxe surpresas também contribuiu para manter a volatilidade baixa. Li deu garantias sobre a economia chinesa, dizendo que as previsões de um pouso forçado devem parar. Ele também enfatizou que Pequim não quer uma guerra comercial com os Estados Unidos e pediu conversas entre os dois lados para alcançar um plano comum.

O bom-humor no continente favorece a alta do minério de ferro, em meio ao retorno do otimismo com a demanda. Os contratos futuros negociados na bolsa de Dailian registram avanço de 5,5% e Qingdao avançou 3,16%, a US$ 90,93, ajudando a sustentar inclusive índices da Europa neste pregão. Por lá, as principais bolsas oscilam entre leves altas e baixas, com as atenções voltadas para as eleições na Holanda e para a perspectiva que a rainha Elizabeth II autorize o início formal do Brexit nesta quinta-feira (16). 

Além do minério, o petróleo volta a subir após cair ontem abaixo de US$ 48 com uma surpreendente queda dos estoques nos EUA, de acordo com os dados do Instituto americano de energia, enquanto AIE diz que é preciso tempo para reduzir o excesso mundial de oferta. O WTI tem alta de 1,59%, a US$ 48,48 o barril, enquanto o brent sobe 1,41%, a US$ 51,62.

No radar da Petrobras, destaque para duas notícias. Em primeiro, a produção brasileira nos campos de petróleo e gás natural do pré-sal operados pela Petrobras atingiu, em fevereiro deste ano, 1,53 milhão de barris de óleo equivalente (boed). O valor representa aumento de 41% em relação a produção de fevereiro de 2016.

Além disso, nesta quarta-feira, o TCU deve julgar se o plano de venda de ativos da estatal terá de voltar à estaca zero. Segundo a notícia do Broadcast, o ministro José Múcio não pretende liberar a venda do controle acionário da BR Distribuidora a partir do estágio em que se encontra. Outros integrantes da corte, no entanto, estão inclinados a abrir exceção também neste caso. A decisão final do TCU dependerá do entendimento da maioria presente em plenário. 

Vale destacar que esta quarta marca o vencimento de opções sobre o Ibovespa. 

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BRML3 BR MALLS PARON 14,33 -3,24 +19,92 4,72M
 RAIL3 RUMO S.A. ON 8,43 -2,66 +37,30 7,53M
 EMBR3 EMBRAER ON 18,18 -2,10 +13,63 10,82M
 NATU3 NATURA ON 27,86 -1,97 +21,64 5,35M
 BVMF3 BMFBOVESPA ON 18,50 -1,60 +12,12 17,99M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

C?d. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 FIBR3 FIBRIA ON 27,39 +2,62 -14,11 12,52M
 VALE3 VALE ON 31,65 +1,54 +23,25 32,37M
 BRKM5 BRASKEM PNA 30,83 +1,41 -9,99 4,69M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON 8,96 +1,01 +8,74 3,46M
 VALE5 VALE PNA 29,91 +0,95 +28,15 131,08M
* - Lote de mil a??es
1 - Em reais (K - Mil | M - Milh?o | B - Bilh?o)




 

Contato