Em mercados / acoes-e-indices

O segredo da alta: Dow Jones dispara e supera 21 mil pontos - mas motivo não foi a fala de Trump

Índices norte-americanos sobem mais de 1% após discurso de Trump no Congresso e Dow Jones tem sua alta de 1.000 pontos mais rápida da história

Wall Street
(Juan Novakosky / Shutterstock.com)

SÃO PAULO - Em sua alta de 1.000 pontos mais rápida da história, o Dow Jones superou os 21.000 pontos nesta quarta-feira (1) com o bom humor dos investidores americanos com o discurso de Donald Trump no Congresso na véspera. O índice fechou a sessão com alta de 1,45%, aos 21.114 pontos, puxando também o S&P 500 (+1,36%, 2.395 pontos) e o Nasdaq (+1,35%, 5.904 pontos).

É inevitável que o discurso do presidente ajudou a puxar os índices, mas segundo o portal MarketWatch, a explicação para esta alta tão forte neste pregão vai além da fala. O movimento foi, em grande parte, técnico, diante do posicionamento  dos investidores na noite de ontem.

O que aconteceu é que todos esperavam uma queda da Bolsa hoje diante do que seria dito por Trump no Congresso após o fechamento do mercado. Com isso, muitos investidores ficaram vendidos - ou seja, esperavam queda das ações hoje -, mas acabaram surpreendidos quando, ainda no pré-market, Wall Street apontava para uma alta nesta sessão.

O portal americano cita um relatório de posição da consultoria Arora, indicando uma grande posição vendida do mercado. Sem a queda hoje, os investidores precisaram cobrir suas posições, o que desencadeou a forte alta, em um movimento conhecido como "short squeeze". Um gráfico divulgado pela consultoria mostra ainda que ocorreram três "etapas" deste movimento nesta sessão.

A primeira ocorreu ainda antes da abertura da Bolsa, quando os índices futuros já mostravam a alta hoje. Na segunda "etapa", logo na abertura, com a valorização dos papéis, computadores acabaram lançando ordens também para ajustar suas posições, puxando ainda mais os índices. Por fim, ainda ocorreu uma terceira "pernada" durante a tarde por conta do desencadeamento de outras ordens para cobrir as posições. Veja o gráfico clicando aqui.

Na véspera, Donald Trump fez seu primeiro discurso no Congresso americano. Ele adotou um tom mais brando do que o de costume, o que foi bem recebido pelos mercados, que estavam temerosos e fecharam em baixa na última terça.

Trump defendeu a redução da entrada de imigrantes com baixa qualificação profissional e destacou a presença, no plenário, de familiares de vítimas de crimes cometidos por estrangeiros sem documentação. Apesar disso, ele sugeriu que republicanos e democratas busquem um consenso para reformar o sistema de imigração. 

Antes de ir ao Capitólio, o presidente conversou reservadamente com jornalistas na Casa Branca, onde afirmou que "este é o momento certo para uma projeto de lei de imigração, desde que haja compromisso de ambas as partes".

 

Contato