Em mercados / acoes-e-indices

Crédito da Vale à Samarco, foco do Bradesco no HSBC, "poupança" da Petrobras e mais 7 notícias

Confira os principais destaques do noticiário corporativo desta sexta-feira (25)

Revista InfoMoney | Ed. 53 - Após o pico, o vale
(Divulgação)

SÃO PAULO - Enquanto as atenções se voltam à nova crise instalada no Palácio do Planalto e seus possíveis efeitos sobre os mercados nesta sexta-feira (25), o noticiário corporativo do dia também traz informações que podem mexer com os preços das ações na Bovespa. Entre os destaques, a Vale mostrou intenção em disponibilizar linha de crédito à Samarco, a Petrobras tem registrado gastos menores em acordos de indenização com investidores e o Bradesco reforçou prioridade nos ganhos com o HSBC. Confira as notícias do radar das empresas:

Petrobras (PETR3; PETR4)
As indenizações já pagas pela Petrobras nos acordos fechados com investidores que processaram a empresa nos Estados Unidos ficaram abaixo dos valores estimados inicialmente. Segundo o jornal Valor Econômico, a quantia a ser paga em 11 novos acordos ficará dentro dos US$ 364 milhões provisionados pela estatal no balanço do 3º trimestre. Analistas avaliam as negociações como positivas.

Bradesco (BBDC3; BBDC4)
O presidente do banco, Luiz Carlos Trabuco, afirmou que o foco da companhia para o triênio 2017-2020 será nos ganhos com o HSBC Brasil. A aquisição, anunciada em agosto do ano passado e aprovada em junho deste ano pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), foi concluída em julho com o custo informado de R$ 16 bilhões.

O presidente do conselho de administração banco brasileiro, Lázaro de Mello Brandão, disse que o preço da compra foi "um pouco salgado", mas representou uma oportunidade única. Segundo ele, a integração da mais recente aquisição do banco, o HSBC Brasil, se "mostra como atividade prioritária". Dos ganhos de sinergia esperados, 30% virão com a redução da inadimplência na carteira de crédito do banco britânico. O resto, da melhora de custo de funding e de ganho de eficiência operacional.

Vale (VALE3VALE5)
A Vale informou nesta quinta que pretende disponibilizar em uma linha de crédito de curto prazo à Samarco no valor de até US$ 115 milhões para apoiar as operações de sua controlada no primeiro semestre do ano que vem. "Os fundos serão liberados à medida que forem necessários, sujeitos ao cumprimento de determinadas condições pela Samarco", disse a mineradora em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nesta noite. 

BHP Billiton também pretende tornar disponível para Samarco linhas de crédito de curto prazo em termos e condições similares. A Vale estima contribuir em torno de US$ 181 milhões no primeiro semestre do ano que vem para cumprir obrigações de acordo para restauração do meio ambiente e das comunidades afetadas pela ruptura da barragem da Samarco. A quantia será descontada da provisão de R$ 3,7 bilhões registrada no 2° trimestre deste ano. 

BRF (BRFS3)
A BRF deve abrir sua primeira fábrica na China no prazo de três a cinco anos, segundo o responsável pelas operações da companhia na Ásia, Simon Cheng, informa o Valor Econômico. A maior produtora global de carne suína não descarta ainda antecipar esta etapa do processo de internacionalização, caso surjam boas oportunidades de aquisição.

Light (LIGT3)
Os acionistas minoritários da Light questionaram, junto à CVM, a realização de uma assembleia geral extraordinária (AGE) agendada para esta quinta-feira (24). Segundo o Valor Econômico, porém, a concessionária cancelou o evento antes mesmo que o caso fosse analisado. A contestação por parte dos minoritários é relacionada a mudanças no conselho de administração da companhia.

Oi (OIBR3; OIBR4)
O comitê internacional de credores da Oi anunciou a G5/Evercore como assessor financeiro no processo de reestruturação da companhia, segundo a Bloomberg. Este comitê foi formado em 11 de novembro e é representado por por Corrado Varoli da G5/Evercore, Allan Brilliant da Dechert nos EUA, Marcelo Carpenter do Sergio Bermudes no Brasil, e Frederic Verhoeven do Houthoff Buruma na Holanda.

Paranapanema (PMAM3)
O conselho de administração da Paranapanema informou a renúncia de seu diretor presidente, Christophe Malik Akli. Para seu lugar, o conselho anunciou Marcos Paletta Camara, atual diretor financeiro e de relações com investidores, que ocupará o cargo de diretor presidente interinamente. Em comunicado enviado ao mercado, o conselho da empresa agradeceu Akli pelo empenho, dedicação e significativa contribuição à companhia durante o período em que exerceu suas funções. 

Technos (TECN3)
A Technos anunciou nesta noite a renúncia de seu diretor Manoel Lins, que deixará o cargo a partir de 31 de dezembro de 2016, exercendo até lá todas as atribuições atinentes ao cargo. 

BR Malls (BRML3)
A BR Malls informou que a T. Rowe Price Associates alcançou aproximadamente 4,89% do seu capital social, ou 29.697.238 ações ordinárias. Segundo o comunicado, o objetivo da participação é estritamente investimento, não objetivando alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa da empresa.  

Triunfo (TPIS3)
A Triunfo comunicou que fará o resgate antecipado obrigatório aos debenturistas da 3ª e 4ª emissão no dia 29 de novembro de 2016, segundo comunicado enviado à CVM. 

 

Contato