Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras fecha venda bilionária, reesutrutração da Eletropaulo, ADRs da Lojas Renner e mais 5 destaques

Confira as principais notícias corporativas divulgadas após o fechamento do pregão desta quinta-feira

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - O fim da temporada de balanços deixou o noticiário corporativo mais morno, mas ainda assim o radar é inundado por uma série de notícias na noite desta quinta-feira (17). Entre os destaques, a Petrobras confirmou a venda da Liquigás para a Ultrapar, conforme rumores já apontavam nesta manhã. A operação sairá por R$ 2,8 bilhões. Além disso, os metalúrgicos da Embraer aprovaram a proposta de reajuste salarial, enquanto a Lojas Renner anunciou um programa de ADR (American Depositary Receipts). 

Confira abaixo os principais destaques corporativos da noite desta quinta-feira:

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras aprovou, em reunião do conselho de administração realizada nesta quinta-feira, a venda de sua divisão de gás de cozinha, a Liquigás, para o grupo Ultra, dono da Ultragaz e da rede de postos Ipiranga. A operação foi fechada por R$ 2,8 bilhões. A venda faz parte do programa de desinvestimentos para reequilibrar o caixa da Petrobrás.

Em comunicado ao mercado, a Ultrapar disse que seu conselho de administração aprovou a contratação da carta de crédito junto ao Bradesco e Bradesco BBI para a aquisição da Liquigás, no valor equivalente ao preço a ser pago à Petrobras. Com a transação, Ultra passará a deter 45% do segmento de venda de botijão de gás no País.. Em outubro, as duas companhias informaram ao mercado que estavam em conversas adiantadas para um acordo. 

A empresa disputou o ativo com concorrentes como a holandesa Supergasbras (SHV); a Nacional Gás, do grupo nordestino Edson Queiroz; e a Copagaz, do empresário Ueze Zahran. Também tiveram interesse pelo negócio investidores de fora, como a turca Aygaz. Nos últimos meses, a Nacional Gás e a Copagaz chegaram a fazer proposta conjunta pelo ativo. 

Em relatório, o BTG Pactual comentou que a notícia era bastante positiva para ambas as companhias. "A Petrobras está vendendo mais um ativo num múltiplo bom, acima de 10 vezes o valor da empresa sobre o Ebitda e se aproximando da meta de desinvestimentos para 2015-2016 e a Ultrapar compra um ativo menos eficiente do que a sua própria operação de gás, com upside relevante de Ebitda por sinergias e pelo maior poder negocial que terá por subir sua participação de mercado para algo perto de 45%", avaliam os analistas.  

 Lojas Renner (LREN3)
O conselho de administração da Lojas Renner aprovou nesta quinta-feira programa de recibos de ações nos Estados Unidos (ADRs), com objetivo de melhorar a visibilidade e liquidez dos papéis da rede de varejo. Cada ADR será equivalente a uma ação ordinária da companhia. A instituição depositária será o Bank of New York Mellon e a instituição custodiante será o Itaú Unibanco.

Embraer (EMBR3)
Os metalúrgicos da Embraer em São José dos Campos aprovaram nesta quinta-feira a proposta de reajuste salarial apresentada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que representa a empresa nas negociações com os empregados. 
A proposta em questão, referente à data-base 2016, prevê um abono fixo no valor de R$ 4 mil por empregado, independentemente da faixa salarial, a ser pago em 30 de novembro de 2016, somado a um reajuste salarial de 5% sobre o salário nominal a partir de janeiro de 2017.

A Embraer também se comprometeu a estender o reajuste e o abono aos trabalhadores que aderiram ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) da companhia. O reajuste será aplicado aos salários a partir de primeiro de janeiro, enquanto o abono será pago já em novembro. Os funcionários que recebem salário superiores a R$ 11.835,52 terão ainda um fixo de R$ 591,77.  

Em nota, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos ressalta que a proposta apresentada pela Fiesp representa um avanço em relação aos termos apresentados em reuniões anteriores - na primeira negociação, a oferta era de abono de R$ 4 mil, mas com reajuste zero. Também em nota, a Embraer informa que aguarda a apreciação nas demais regiões.

Itaú Unibanco (ITUB4)
O Itaú Unibanco está atento a oportunidades de aquisições para ampliar as receitas com prestação de serviços, disse nesta quinta-feira o presidente-executivo do grupo, Roberto Setubal, que também reclamou que o modelo de negócios do banco não é corretamente percebido pelo mercado. "As ações do Itaú estão baratas", repetiu Setubal várias vezes durante encontro com investidores da Apimec.

O executivo frisou que o crédito representou apenas cerca de um terço do lucro de 16,3 bilhões de reais do conglomerado nos primeiros nove meses de 2016. Em contrapartida, quase dois terços vieram de receitas com serviços e seguridade e essa tendência deve se consolidar adiante.

"O mercado ainda olha o Itaú como uma empresa de crédito, mas isso não reflete a realidade", disse. "Há uma reação exagerada do mercado durante crises de inadimplência, sem considerar que há uma base mais sólida do nosso modelo de negócios e, na minha forma de ver, isso não se justifica."

Apesar de acumular alta superior a 50% em 2016, praticamente em linha com o Ibovespa, a ação do Itaú Unibanco tem tido performance mais fraca do que o índice nos últimos cinco anos, apesar de ter tido lucro crescente e mais estável do que a média das empresas no indicador, disse ele. As afirmações de Setubal ocorrem em meio a iniciativas dos bancos para diversificar receitas, num cenário em que a recessão no país tem imposto menores receitas com crédito e mais despesas com provisões para perdas com calotes.

Eletropaulo (ELPL4)
A AES Brasil e o BNDESPar, braço de investimento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, celebraram nesta quinta-feira acordo para reorganização societária, de forma que ambos passarão a ter participação direta na distribuidora de energia AES Eletropaulo.

Segundo fato relevante, a reestruturação vai se dar por meio das cisões parciais da Brasiliana Participações e da AES Elpa, com a subsequente incorporação dos respectivos acervos cindidos pela AES Eletropaulo, de forma que os atuais acionistas da Brasiliana (AES Brasil e BNDESPar) e da AES Elpa passarão a deter participação direta na AES Eletropaulo.

Tal reestruturação, disse a AES, visa à simplificação das estruturas acionárias das companhias, promovendo maior agilidade na tomada de decisões e melhora na liquidez dos investimentos e na geração de caixa futura da AES Eletropaulo, estimada em torno de 700 milhões de reais até o final da concessão, o que contribuirá para redução do nível de endividamento.

A reestruturação será precedida de proposta de conversão de até 10.823.521 ações ordinárias da AES Eletropaulo em preferenciais --na proporção de uma para uma--, com os mesmos direitos das atuais ações preferenciais da AES Eletropaulo.

Rumo (RUMO3)
A Rumo informou hoje à noite que não existe nenhum documento assinado e/ou vinculante a respeito da venda de participação acionária de seu complexo portuário de Santos, mas que constantemente conduz estudos e avalia oportunidades dentro de seu plano de negócios. O comunicado da empresa veio para esclarecer rumores sobre uma proposta de R$ 2 bilhões para venda de uma fatia majoritária no porto de Santos. 

Even (EVEN3)
A Even comunicou que um fundo de investimentos da Nova Milano Investimentos atingiu nesta quinta-feira 45,2% do seu capital social, ou 101.727.500 ações. Desse total, 1.361.275 papéis foram emprestados a terceiros, no âmbito do sistema BTC da BM&FBovespa.  

Segundo informações da BM&FBovespa, atualizada a última vez dia 16 de setembro, o fundo detinha 40,17% do total de ações da empresa, ou 90.382.500 papéis. 

Cesp (CESP6)
A estatal paulista Cesp acredita que um leilão para a venda das ações detidas pelo governo do Estado de São Paulo na companhia poderá ser realizado no início de 2017, de acordo com projeção apresentada pelo diretor financeiro da companhia, Almir Martins, em teleconferência com investidores nesta quinta-feira. O governo paulista já abriu uma licitação para contratar uma consultoria para apoiá-lo no processo de venda, inclusive na preparação da modelagem da privatização. Os interessados têm até 22 de novembro para enviar suas propostas.

(Com Reuters e Agência Estado)

 

Contato