EXPERIMENTE!

Clique e experimente a
versão rápida do

Em mercados / acoes-e-indices

5 ações do Ibovespa renovam máxima histórica; Petrobras dispara 4% e varejista salta 20% em 2 pregões

Confira os principais destaques de ações da Bovespa desta segunda-feira

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Depois de manhã instável, em dia de vencimento de opções sobre ações, o Ibovespa ganhou força nesta segunda-feira, puxado pelas ações ligadas a commodities. Com o início do horário de verão no Brasil, a BM&FBovespa aumentou hoje em uma hora as negociações do mercado à vista, que se encerram às 18h (horário de Brasília). Mas, como os Estados Unidos seguem em seu próprio horário de verão até 6 de novembro, o mercado americano só abre às 11h30, o que deixa uma janela aberta de fraca liquidez para o mercado local durante a manhã. 

Com a forte alta do índice, 5 ações renovaram hoje suas máximas históricas: Itaú Unibanco, Bradesco, Santander, Raia Drogasil e Braskem. Já o Banco do Brasil atingiu máxima desde 24 de novembro de 2014, enquanto a Petrobras alcançou seu maior patamar desde 22 de outubro de 2014. 

Chamou atenção também as ações da Embraer, que figuraram entre as maiores altas do Ibovespa, seguindo o bom desempenho da última sexta-feira. Hoje, o trader profissional Wagner Caetano, diretor da Top Traders, comprou mais 3.000 ações da companhia durante o programa Na Mira do Trader, da InfoMoneyTV, totalizando uma posição de 25.000 papéis. Na última sexta-feira, André Moraes, da Clear Corretora, recomendou a compra da ação acima  

Confira abaixo os principais destaques de ações da Bovespa nesta sessão:

Petrobras (PETR3, R$ 18,41, +2,85%; PETR4, R$ 16,90, +3,94%)
As ações da Petrobras ganharam força nesta tarde, após o vencimento de opções sobre ações na BM&FBovespa, que normalmente deixa os ativos de risco instáveis. A alta dos preços do petróleo no mercado internacional também ajudou a manter o tom positivo, mesmo com um corte de recomendação pelo HSBC. O contrato do Brent subiu 0,79%, a US$ 51,54 o barril, enquanto o WTI avançou 0,87%, a US$ 49,91 o barril. Hoje, o HSBC cortou a recomendação da ação para manutenção pelo HSBC. 

No radar, a Petrobras informou na noite de sexta que está em negociações avançadas com a Ultrapar Participações (UGPA3, R$ 71,73, +0,46%) para a venda da Liquigás Distribuidora. "A transação depende ainda da finalização das negociações e da aprovação pelas instâncias internas de ambas as Companhias e pelos órgãos reguladores competentes", diz comunicado da estatal. A companhia ainda ressalta que qualquer novidade sobre o assunto será informado imediatamente ao mercado.

Ainda sobre a Petrobras, após a redução dos preços de combustíveis realizada pela companhia na última sexta-feira, o presidente Michel Temer negou neste sábado que o governo pretenda elevar a Cide, tributo que incide sobre combustíveis. "A Cide não, não há nenhuma previsão neste momento para esta espécie ou não", disse Temer a jornalistas, na cidade indiana de Goa, na cúpula dos Brics --grupo de países formado, além do Brasil, por China, Rússia, Índia e África do Sul.

Além disso, a empresa divulgou uma alta na produção total de petróleo e gás de 1,4% em setembro na comparação mensal, para 2,88 milhões de barris de óleo equivalente por dia, sendo 2,75 milhões no Brasil e 0,13 no exterior, sendo um novo recorde mensal.

A produção de petróleo e gás natural operada pela Petrobras (parcela própria e dos parceiros) na camada pré-sal foi de 1,46 milhão de boed, alta de 7,3% na base mensal. O pré-sal também bateu novo recorde mensal em setembro.

Cielo (CIEL3, R$ 31,91, -0,28%)
As ações da Cielo perderam força e fecharam em leve queda, após subirem até 1,22%, a R$ 32,39 nesta sessão. Na última sexta-feira, os papéis desabaram, pressionadas pela notícia de renúncia do CEO da companhia, Rômulo Dias. Hoje, a empresa teve a recomendação elevada de equalweight (exposição em linha com a média do mercado) para overweight (exposição acima da média do mercado) pelo Barclays, com preço-alvo de R$ 42,00. 

Via Varejo (VVAR11, R$ 8,65, +11,04%)
As ações da Via Varejo, empresa do Grupo Pão de Açúcar que detém as marcas Pontofrio e Casas Bahia, disparam mais de 20% nos últimos dois pregões. O volume financeiro atingiu R$ 56,4 milhões, contra média diária de R$ 16,7 milhões dos últimos 21 pregões. A varejista anunciou na última quarta-feira que conseguiu a aprovação de 94,6% dos minoritários para a reorganização societária que envolve a união dos ativos da empresa com a Cnova Brasil. A empresa também aprovou: novo programa de stock option para a Cnova Brasil; os números revisados da Via Varejo para 2015; e o pagamento de dividendos totalizando R$ 2,7 milhões (ou R$ 0,006197 por unit).

Segundo os analistas do Credit, a notícia é neutra para a ação. Eles seguem com a opinião de que, do ponto de vista estratégico, a transação é bastante importante e que as sinergias devem aparecer relativamente rápido, principalmente em capital de giro, na parte comercial e despesas gerais e administrativas. Por outro lado, eles lembraram que a Cnova Brasil está em um processo inicial bastante complexo de reestruturação e precisa estabilizar as vendas, sendo que as sinergias iniciais só devem mitigar a pressão no fluxo de capital do negócio. 

Além disso, a companhia informou na semana passada seus dados operacionais do 3° trimestre. A Via Varejo apurou receita líquida de R$ 4,113 bilhões no período, resultado 0,4% maior do que o registrado no mesmo período de 2015. O desempenho foi afetado pelo fechamento de lojas da Via Varejo no final de 2015 e começo deste ano. Desconsiderando esse efeito, as vendas em unidades abertas há mais de um ano subiram 1,8% na comparação anual.

Eletropaulo (ELPL4, R$ 10,65, +0,85%)
O BTG Pactual reduziu a recomendação para as ações da Eletropaulo para neutra, destacando que as despesas operacionais são a principal preocupação para a companhia. O preço-alvo para os papéis ELPL4 é de R$ 12,00 por ativo. 

Gol (GOLL4, R$ 7,23, -0,55%)
Em entrevista para o jornal O Globo, o presidente da Gol Paulo Kakinoff afirmou que a companhia aérea continua olhando oportunidades de redução de dívida. "Não falamos em valores, projetamos alavancagem (razão entre dívida líquida e geração de caixa) na faixa de 6 até o fim do ano. No fim do ano passado estava em 11", apontou.

Além disso, a Gol divulgou os dados prévios de tráfego do mês de setembro. O volume de decolagens no sistema total reduziu 18,9% e o total de assentos disponibilizados ao mercado recuou 18,3% no mês de setembro. No acumulado de 2016, o volume de decolagens e o total de assentos foram reduzidos em 16,4% e 16,2%, respectivamente. A oferta no mercado doméstico reduziu 0,5% em setembro comparado ao mesmo período de 2015. No acumulado do ano até setembro, a capacidade reduziu 5,7% frente ao terceiro trimestre do ano passado.

Já a demanda doméstica aumentou 1,8% no mês, levando a taxa de ocupação para 78,3% ou 1,8 p.p. superior quando comparada ao mesmo período de 2015. Até o mês de setembro, a demanda doméstica recuou 6,6%, com uma taxa de ocupação de 77,9%. A oferta e a demanda da GOL no mercado internacional em setembro de 2016 reduziram 22,7% e 21,8%, respectivamente, levando a taxa de ocupação para 74,3%. No acumulado do ano, a oferta apresentou queda de 17,6%, enquanto a demanda recuou 14,9% o que resultou em uma taxa de ocupação 2,4 p.p superior e registrando 74,3%.

Lojas Renner (LREN3, R$ 26,60, +1,14%)
O GIC Private Limited, que administra recursos do governo de Cingapura e da Autoridade Monetária de Cingapura, informou que reduziu a participação acionária na Lojas Renner de 5,01% para 4,93% no dia 14 de outubro. Com isso, o governo de Cingapura passa a deter 3,87% das ações da companhia e a Autoridade Monetária de Cingapura, outros 1,06%. 

TIM (TIMP3, R$ 8,40, +0,24%)
A TIM Participações teve a recomendação elevada de equalweight para overweight também pelo Barclays, com o preço-alvo passando de R$ 12,50 para R$ 15,00.

Cia Hering (HGTX3, R$ 19,47, +4,01%)
As ações da Cia Hering dispararam até 4,59%, a R$ 19,58, na máxima do dia, sem nenhuma notícia específica sobre a empresa no radar. O volume financeiro movimentado com a ação atinge R$ 9,5 milhões, contra média diária de R$ 4,8 milhões dos últimos 21 pregões. 

Durante o programa Visão Técnica, da última sexta-feira, o analista gráfico André Moraes, da Clear Corretora, recomendou a compra da ação nos R$ 14,90, com alvo em R$ 18,07, oferecendo um ganho de 21%. A compra foi sinalizada junto com outras 3 ações que, segundo ele, subiria mesmo se o Ibovespa caísse nos próximos dias (confira o programa clicando aqui).  

Vale e siderúrgicas 
As ações da Vale (VALE3, R$ 18,24, +1,22%; VALE5, R$ 16,91, +2,36%) ganharam força nesta tarde, após vencimento de opções sobre ações na Bovespa e em meio à alta do minério de ferro. A commodity encerrou esta sessão em alta de 1,92%, a US$ 58,35 a tonelada, no Porto de Qingdao, na China. 

Acompanharam o movimento as ações das siderúrgicas, com Gerdau (GGBR4, R$ 9,54, +1,06%), Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 3,84, +1,05%), CSN (CSNA3, R$ 10,30, +0,78%) e Usiminas (USIM5, R$ 3,58, +0,56%). 

Segundo informações da coluna Radar Online, da Veja, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco esteve numa reunião recente com Temer, para tratar da troca de comando na Vale, hoje sob a batuta de Murilo Ferreira. O governo quer substituir, mas o banco é contra, diz a coluna. Ficou então decidido que, se a mudança for feita, uma empresa de headhunting comandará o processo profissionalmente.

Já de acordo com informações do jornal Valor Econômico, a Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais considera que a Samarco, joint venture entre a Vale e a BHP Billiton, poderá retomar suas atividades em meados de 2017. A afirmação foi feita na sexta-feira pelo secretário-adjunto, Germano Vieira, que encabeça na secretaria as discussões sobre o processo de licenciamento da empresa. A mineradora de ferro está parada há quase um ano. Em novembro, uma de suas barragens de rejeito de minério, na cidade de Mariana (MG), se rompeu.

Embraer (EMBR3, R$ 15,30, +3,52%)
As ações da Embraer dispararam nesta sessão, seguindo a euforia da última sexta-feira, quando os papéis subiram forte após dados operacionais do terceiro trimestre. A empresa entregou 29 jatos comerciais no período, alta de 38% na comparação anual. A carteira de pedidos firmes a entregar atingiu US$ 21,4 bilhões, com 479 registros. O papel sobe hoje mesmo em dia de queda do dólar frente ao real. Neste momento, o dólar comercial recuava 0,27%, a R$ 3,1950 na compra e R$ 3,1956 na venda. 

Hoje, o trader profissional Wagner Caetano comprou ao vivo durante o programa Na Mira do Trader, na InfoMoneyTV, 3.000 ações da Embraer, totalizando uma posição comprada em 25.000 papéis. Já na última sexta-feira, durante o programa Visão Técnica, o analista André Moraes, da Clear Corretora, comentou que a ação da Embraer poderia abrir compra mesmo se o Ibovespa não subisse. A entrada na operação ocorreu nos R$ 14,90, com alvo nos R$ 18,07, oferecendo um ganho de 21%. Além dela, ele citou outros três papéis para ficar de olho (para conferir, clique aqui). 

CCR (CCRO3, R$ 17,50, +3,86%)
A CCR dispararam após ter sua recomendação elevada de neutra para compra pelo Bank of America Merrill Lynch e preço-alvo de R$ 19,00 por ação. A revisão ocorre em meio à percepção de que ativos de crescimento, como a CCR, podem ganhar foco e "momentum" dos investidores, tendo em vista que o Banco Central deve iniciar na próxima semana o ciclo de corte da Selic. 

QGEP (QGEP3, R$ 5,32, -2,39%)
A QGEP acertou assumir fatias da Pacific Brasil em 3 blocos exploratórios nas bacias de Foz do Amazonas e de Pará-Maranhão (PAMA), segundo comunicado.

“Como parte do acordo, a Pacific quitará a inadimplência atual referente à aquisição de sísmica para os blocos de PAMA e também antecipará à QGEP o valor de US$ 10 milhões, como parte das obrigações mínimas assumidas nos blocos. Dessa forma, a QGEP se tornará o único concessionário nos blocos de PAMA, possibilitando futuras operações de farm-out nessas áreas”, afirmou a empresa em comunicado. O valor adicional de compromissos assumidos do Programa Exploratório Mínimo (PEM) pela QGEP com o aumento de participação nestes blocos é de R$ 132 milhões. “Este valor será reduzido para R$ 86 milhões até o final do próximo ano, considerando o abatimento das obrigações referentes à sísmica já realizada nos blocos”. A transação está sujeita à aprovação da ANP e demais órgãos reguladores. 

Prumo Logística (PRML3, R$ 6,80, -0,73%)
A Prumo informou que seu Conselho de Administração recebeu na sexta uma correspondência de seus acionistas controladores comunicando sobre sua intenção de realizar uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) das ações da companhia em circulação no mercado.

Contato