Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras elevada, buy list do Itaú BBA, "mesada" de R$ 213 mi da Eletrobras e mais 7 notícias no radar

Confira as principais notícias corporativas desta quinta-feira (15)

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - Enquanto as bolsas mundiais ficam de olho numa bateria de dados dos EUA, o noticiário corporativo desta quinta-feira (15) é movimentado, com a Petrobras tendo a recomendação elevada, além de informações sobre a ajuda financeira das distribuidoras da Eletrobras e dados operacionais da Gol. Confira os destaques:

Petrobras
O ADR (American Depositary Receipt) da Petrobras (PETR3;PETR4) teve a recomendação elevada de underperform (desempenho abaixo da média do mercado) para neutra, com preço-alvo sendo elevado de US$ 3,90 para US$ 9,70. 

Ainda no radar da estatal, a Petrobras prestou esclarecimentos sobre a venda da Petrobras Argentina. A empresa informou que a venda “foi conduzida através de processo competitivo e o valor da transação foi avaliado por duas instituições financeiras, que consideraram a oferta justa para a Petrobras (fairness opinion), e por uma terceira, que confirmou que o preço era adequado (valuation report)”.

O Comunicado foi enviado em resposta à Comisión Nacional de Valores (CNV), órgão regulador do mercado de capitais argentino, que pediu informações sobre notícia de 9 de setembro do site informativo argentino Urgente 24, sob o título “Ação no Brasil para revisar a venda da Petrobras Argentina”. A Petrobras disse que não foi citada na ação popular mencionada na reportagem e que teria sido proposta na Justiça Federal para tentar anular a venda dos ativos da Petrobras na Argentina mencionada na reportagem. A estatal “atuará firmemente na defesa de seus direitos”, informou.

Vale
A Vale (VALE3;VALE5) fechou acordo para retomar projeto de potássio na Argentina. O anúncio foi feito nesta quarta-feira durante fórum de investimentos em Buenos Aires.

O projeto Rio Colorado na província de Mendonza estava paralisado desde 2013. O projeto contempla desenvolvimento para produção de 1,4 milhão de toneladas por ano. Argentina, Mendonza e Vale concordaram em buscar investidores para assumir o projeto nos próximo anos.

Por fim, destaque para uma notícia da Folha de S. Paulo sobre a Samarco, joint venture entre a Vale a BHP Billiton. O jornal informa que a barragem de Fundão, epicentro da tragédia de Mariana (MG) em 2015, começou a receber lama da Samarco seis meses antes do início oficial de sua operação.

Isso ocorreu em dezembro de 2008, quando a barragem ainda não estava pronta e faltavam alguns componentes essenciais para o uso. Segundo informa o jornal, a utilização antecipada do local foi feita porque a Samarco enfrentou problemas no reservatório vizinho, Germano, mas não era aconselhada pelos consultores da empresa. À época, Fundão apresentava deficiência crítica no sistema de drenagem.

BRF
A BRF (BRFS3) aceitou US$ 86,4 milhões em recompra de notes para 2020 e 2022. A empresa aceitou, por meio da sua subsidiária BFF International Limited, US$ 32,2 milhões do valor principal em aberto de US$ 118,3 mi das notes para 2020, disse a BRF em comunicado à CVM. Dos US$ 172,9 milhões em aberto para 2022, foram aceitos US$ 54,2 milhões.

Energias do Brasil e Vivo
A Energias do Brasil (ENBR3) e a Telefônica Brasil (VIVT4) entraram em ‘Buy List’ do Itaú BBA. As companhias substituem BB Seguridade e Ultrapar, que foram removidas da “Brazil Buy List”, segundo relatório.

A Energias do Brasil é adicionada devido a seu “atrativo múltiplo enm relação a seus pares privados”, “balanço confortável (dívida líquida/Ebitda de 2,4 vezes para fim de 2016)” e “potencial de crescimento de lucros”.

Já a avaliação da Telefônica Brasil tem como base o “posicionamento de mercado premium”, potencial de retorno total de 24% e “potencial de liberar valor a partir do leque de alternativas relacionadas à regulamentação do serviço fixo-voz”. A BB Seguridade e Ultrapar deixam lista após ganhos respectivos de 38,2% e 27,4% desde a inclusão das ações à lista, segundo o relatório. Outras ações que integram a lista: Banco do Brasil, Bradesco, CPFL Energia, Petrobras, Randon, Rumo, Smiles e São Martinho. “Desde a sua criação, em agosto de 2014, nossa Brazil Buy List se valorizou 28,6%, superando o desempenho do Ibovespa em 33,8%. Até agora, em 2016, nossa carteira teve um desempenho positivo de 39,5%, enquanto o Ibovespa se valorizou em 30,2%”.

Fleury
As ações da Fleury (FLRY3) tiveram a recomendação rebaixada pelo JPMorgan de overweight para neutra.  

Oi
A Oi (OIBR4) nomeou Demian Fiocca e Hélio Calixto da Costa conselheiros titulares para cargos vagos, afirmou a empresa em fato relevante. Foram eleitos suplentes: Pedro Grossi Junior, Nelson de Queiroz Sequeiros Tanure, Blener Braga Cardoso Mayhew, Luís Manuel da Costa de Sousa de Macedo, Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure e José Manuel Melo da Silva. José Mauro M. Carneiro da Cunha é presidente do conselho.

Eletrobras
A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou na quarta as condições para as seis distribuidoras da Eletrobras (ELET3;ELET6), que atendem aos Estados do Norte e Nordeste, tenham acesso a recurso de fundos setoriais. Com isso, estas companhias poderiam resolver suas situações antes de serem colocadas à venda no fim do próximo ano.

As regras afetam as distribuidoras Ceal (AL), Cepisa (PI), Eletroacre (AC), Ceron (RO), Boa Vista Energia (RR) e Amazonas Energia (AM). Aprovado ontem, o relatório do diretor da Aneel Reive Barros garantiu o acesso das distribuidoras a R$ 213 milhões por mês do fundo RGR (Reserva Global de Reversão).

Estes recursos serão tomados como empréstimo, com prazo de amortização de até 48 meses. As companhias terão 12 meses de carência, com 36 meses para concluir o pagamento do saldo principal e dos juros. A taxa de juros é correspondente a 111% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Minerva
A Minerva  (BEEF3) informou que duas unidades produtivas receberam habilitação para exportar carne bovina in natura para os Estados Unidos, após acordo anunciado em agosto entre os governos brasileiro e norte-americano.

As unidades estão em Barretos (SP) e Palmeiras de Goiás (GO), sendo que a primeira tem capacidade de abate de 840 cabeças por dia e a segunda tem capacidade para 2 mil cabeças. As habilitações foram concedidas pelo Ministério da Agricultura e pelo departamento de agricultura norte-americano (USDA).

Embraer
A Embraer (EMBR3) e Japan Airlines estenderam acordo de peças de reposição. A extensão do programa pool de peças de reposição com a Japan Airlines para jatos E170 e E190 da subsidiária regional J-Air tem acordo com validade de até 10 anos, segundo comunicado por e-mail.

O acordo cobre mais de 300 peças para toda a frota de 20 E-Jets da J-Air, composta por 17 jatos E170 e três E190. O valor não foi divulgado.

Gol
A Gol (GOLL4) registrou queda de 5,6% na demanda por voos em agosto na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto a oferta de assentos em aviões da empresa caiu 8,1%. Considerando apenas o mercado doméstico, a empresa teve queda de 2,7% na demanda em um ano em agosto e recuo 5,4% oferta. Com isso, a taxa de ocupação dos voos da empresa no Brasil foi de 78,2% no mês passado ante 76,1% um ano antes.

O Itaú BBA espera reação positiva aos dados; “apesar do foco da Gol em maximizar a receita através de yields - uma estratégia que provou ser bem sucedida nos trimestres anteriores - a empresa conseguiu aumentar o fator de ocupação neste mês”; “apreciação cambial recente e o acordo de negociação com credores também melhoraram significativamente a dinâmica da empresa”. 

OGPar
A Óleo e Gás Participações (OGXP3), antiga OGX, encerrou o mês de agosto com produção diária de 9.480 barris de petróleo. Em comunicado enviado ao mercado, a companhia, que está em recuperação judicial, informou que toda a produção no mês passado veio do campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos.

(Com Bloomberg)

 

Contato