Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa zera perdas junto com exterior em meio a novos sinais do Fed; dólar zera ganhos

Mercado mostra forte volatilidade em meio a falas do Fed e instabilidade no cenário doméstico

Trader
(Bloomberg)

SÃO PAULO - O Ibovespa zera perdas nesta segunda-feira (12) seguindo as bolsas mundiais depois de novas falas de membros do Federal Reserve embaralharem o cenário que já estava pendendo para uma elevação das taxas de juros em setembro. No entanto, tudo ficará mais claro hoje às 14h15 (horário de Brasília) quando a diretora do Federal Reserve, Lael Brainard, fará discurso que pode afastar essa possibilidade ou colocá-la de vez no radar, o que significaria uma continuidade do nervosismo que derrubou as bolsas internacionais na sexta-feira passada.

Enquanto isso, no cenário doméstico, o mercado digere a entrevista do ex-advogado-geral da União, Fábio Medina Osório, que acusou o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, de querer "abafar a Operação Lava Jato". Essa notícia ruim para o governo, contudo, acaba contrabalanceada pela expectativa para o pacote de concessões de infraestrutura que o Planalto deve anunciar na terça. Ainda no radar, hoje ocorre a sessão no plenário da Câmara dos Deputados que pode decidir pela cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Às 12h58, o benchmark da bolsa brasileira tinha leves ganhos de 0,14%, a 58.080 pontos. Já o dólar comercial tem leve alta de 0,03% a R$ 3,2801 na venda, enquanto o dólar futuro para outubro tem alta de 0,14% a R$ 3,295. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2018 opera com ganhos de 2 pontos-base a 12,61%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 avança 1 ponto-base a 12,12%. 

Para Pablo Spyer, diretor da mesa de trade da Mirae Asset, o discurso do presidente do Federal Reserve de Atlanta, Dennis Lockhart, ajudou o mercado a se recuperar das perdas do início do pregão. Lockhart disse estar safisfeito neste momento que as condições justifiquem essa discussão séria sobre uma alta de juros. 

Em relação à inflação, Lockhart continua a esperar níveis fracos para atingir a meta de 2%, mas que o objetivo pode ser atingido no médio prazo. Ele acrescentou também um tom de cautela, dizendo que "o progresso em direção ao objetivo de inflação do Fed parece ter estagnado", mas que a inflação deve subir quando se chegar ao pleno emprego. 

Já de acordo com o economista da Leme Investimentos, João Pedro Brugger, de modo geral, as notícias são negativas. Para ele, é preocupante que o governo esteja encontrando resistência para aprovar as medidas de austeridade, ao mesmo tempo em que as declarações de Osório põem em dúvida a capacidade desse governo de combater a corrupção. 

Ações em destaque
A Petrobras (PETR3, R$ 15,97, +3,03%; PETR4, R$ 13,81, +2,22%) vira para alta hoje com o petróleo se recuperando no exterior. O barril do WTI (West Texas Intermediate) avança 1,02% a US$ 46,35, ao passo que o barril do Brent tem queda de 0,45% a US$ 48,25.

A Ventura Petróleo e a Commodore Marine, subsidiárias da Petroserv Marine, obtiveram liminar que garante a continuidade de um contrato firmado com a Petrobras para a operação do navio-sonda NS-29-Carolina. A juíza do caso disse que caso o processo prosseguisse com o contrato rescindido poderia haver "configuração de dano irreparável, ao navio objeto da operação, as partes envolvidas, não sendo possível voltar-se ao status anterior, o que não ocorre caso mantido o contrato no período de trâmite processual e discussão quanto a validade ou não da rescisão".

A Petrobras havia rescindido o contrato com as empresas, que operavam a embarcação. Caso haja descumprimento da decisão, a Petrobras terá de pagar multa equivalente ao aluguel diário da sonda.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód. Ativo Cot R$ % Dia
 WEGE3 WEG ON 16,91 +3,17
 PETR3 PETROBRAS ON 15,93 +2,77
 VALE3 VALE ON 17,23 +2,19
 BRAP4 BRADESPAR PN 10,09 +2,02
 SMLE3 SMILES ON 51,15 +1,97

 

 

As ações da Vale (VALE3, R$ 17,27, +2,43%; VALE5, R$ 14,64, +1,04%) passam a subir, mas as siderúrgicas Gerdau (GGBR4, R$ 9,16, -1,19%), Metalúrgica Gerdau (GOAU4, R$ 3,95, 0,00%), Usiminas (USIM5, R$ 3,85, 0,00%) operam com leves baixas. A reação ocorre após o preço futuro do minério de ferro cair 2,9% nesta segunda-feira (para o menor nível desde 27 de junho), em meio a uma perspectiva nada animadora para o aço, comentaram os analistas do BTG Pactual. Segundo eles, preocupações em torno de controle de propriedades na China têm pressionado o mercado. Eles reforçaram que seguem cautelosos com minério, preferindo aço nesse momento. Os analistas reiteraram recomendação de compra em GGBR, vendo CSN como uma boa opção para ficar "short".

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia
 CMIG4 CEMIG PN 8,61 -2,93
 LAME4 LOJAS AMERICPN 19,08 -2,75
 MRFG3 MARFRIG ON 4,90 -2,58
 RUMO3 RUMO LOG ON 6,81 -2,16
 TIMP3 TIM PART S/AON 7,88 -1,99


A maior queda do dia entre as ações que compõem o Ibovespa é dos papéis das Lojas Americanas (LAME4, R$ 19,08, -2,75%) após terem a 
recomendação rebaixada de compra para manutenção pelo Santander. O rebaixamento de Lojas Americanas se deve aos “múltiplos esticados” da ação; papéis ON são negociados com desconto excessivo em relação às PN.

A companhia “tem amplas oportunidades de crescimento, incluindo o seu plano de abertura de lojas (800 novas lojas em 2015-2019), a penetração dos produtos de marca própria e a maturação de sua divisão de financiamento ao consumidor”. “Além disso, esperamos que a B2W mostre melhorias operacionais significativas nos próximos 18 meses devido à evolução mais rápida de sua plataforma marketplace”, afirmaram os analistas do banco.

Relatório Focus
Também tinha algum peso por aqui o Relatório Focus, com a mediana das projeções de diversos economistas, casas de análise e instituições financeiras para os principais indicadores macroeconômicos. A previsão para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2016 subiu para uma contração de 3,18%, contra 3,20% esperados na semana anterior, mas foi mantida para 2017 em um avanço de 1,30%. Já no caso do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é o medidor oficial de inflação utilizado pelo governo, as projeções são de que haja um avanço de 7,36% este ano, contra 7,34% projetados anteriormente. As expectativas para a Selic se mantiveram em 13,75% para 2016 e 11% para 2017. 

Fala de Brainard
A presidente do Federal Reserve de Washington, Lael Brainard, fará discurso na segunda-feira (12). Analistas dizem que ela é a diretora mais ouvida pela chairwoman da autoridade monetária dos EUA, Janet Yellen. O diretor técnico da Wagner Investimentos, José Faria Jr., ressalta que Brainard sempre defendeu juros baixos e que uma sinalização de que ela está disposta a subir os juros pode ser a senha para o mercado apostar que em setembro começa o aperto nos EUA.

Além de Brainard, Dennis Lockhart, do Fed de Atlanta e Neel Kashkari, de Minneapolis, discursam. Kashkari atribuiu a lenta recuperação da economia norte-americana a desafios demográficos, cicatrizes psicológicas da crise financeira e fraca inovação tecnológica. Em uma de suas primeiras análises econômicas desde que assumiu o Fed de Minneapolis, em janeiro, Kashkari diz que "estamos provavelmente vendo a confluência de três causas fundamentais se combinando para desacelerar a recuperação econômica". Na sua avaliação, esses obstáculos não deverão se reverter por conta própria no curto prazo.

Agenda política da semana
A sessão que pode cassar o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, começa às 19h da segunda no plenário da Câmara. A esperança do deputado é de que não haja quórum para a votação, uma vez que espera-se para a quarta-feira (14) o início de um recesso parlamentar branco para que os deputados se dediquem às campanhas das eleições municipais. São necessários 257 votos para que seja aprovado o parecer do Conselho de Ética que pede a perda do mandato de Cunha.

O economista da Infinity Asset, Jason Vieira, acredita que o evento não terá impacto no mercado, mas é sempre importante de monitorar pela possibilidade de que Cunha assine um acordo de delação premiada com a Polícia Federal, podendo delatar companheiros do PMDB.

Além disso, o governo irá anunciar um programa de concessões nesta terça (13). Analistas do Credit Suisse dizem que isso pode afetar as ações da CCR (CCRO3). "Nossos analistas identificaram mais de R$ 60 milhões em oportunidades de investimento para os proximos 18 meses. A CCR nos parece a maior ganhadora deste ambiente, tanto pelo track record quanto pela escala e menor apetite dos players locais depois da Lava Jato", diz a equipe de análise do banco.

Ainda na parte política, o ministro Henrique Meirelles vai a evento em São Paulo após o fechamento do mercado, enquanto o presidente do Banco Central Ilan Goldfajn vai à reunião no BIS em Basileia, na Suíça. Já Michel Temer, que falou contra o aumento do STF em entrevista ao jornal O Globo, irá à posse de Cármen Lúcia na presidência do Supremo. 

Indicadores da semana
O CPI dos EUA relativo a agosto será divulgado na sexta-feira (16) às 9h30 (horário de Brasília) junto com o PPI (Índice de Preços ao Produtor, na sigla em inglês). Já as vendas no varejo saem na quinta-feira (15) às 9h30. Para ambos, a expectativa mediana dos economistas é de avanço de 0,1%. Já as vendas no varejo nos EUA saem na quinta-feira (15) às 9h30 e é esperada uma queda de 0,1%.  

Já na China, a produção industrial de agosto será divulgada às 23h da segunda-feira. A expectativa mediana dos economistas é de crescimento de 6,2%, contra 6% de avanço em julho. No mesmo horário saem as vendas no varejo da China, para as quais espera-se uma expansão de 10,2%, mesma alta do mês anterior.

Cenário externo
Assim como na sexta-feira, o dia é de baixa para a maior parte dos mercados mundiais, com os analistas de olho nas próximas falas de dirigentes do Federal Reserve e também em meio às dúvidas sobre novos estímulos pelo BCE (Banco Central Europeu). Na última sexta, os mercados tiveram forte queda após o presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, dizer que a economia dos EUA poderia ficar superaquecida se o Fed demorasse demais para subir os juros. Assim, tanto as bolsas europeias, o pré-market dos EUA e índices emergentes registram queda de olho nos questionamentos sobre a política monetária dos BCs pelo mundo. Além do receio com BCs, peso mexicano cai com notícia de que a candidatura democrata à presidência dos EUA Hillary Clinton está com pneumonia, o que poderia fortalecer a candidatura de Donald Trump.

 

Contato