Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa tem maior fechamento do ano e sobe 4% puxado por alta de 16% da Petrobras

Mercado repercute cenário doméstico após PF decretar prisão de marqueteiro do PT e cenário externo com possível acordo da Rússia

Ações
(Shutterstock)

SÃO PAULO - O Ibovespa fechou em forte alta nesta segunda-feira (22) seguindo os ganhos das bolsas internacionais em mais um dia de alta do petróleo. A Rússia disse que as negociações sobre o congelamento da produção da commodity estarão prontas até o dia 1º de março, o que trouxe otimismo aos mercados. Com isso, as bolsas dos Estados Unidos ajudaram a impulsionar ainda mais os ganhos dos mercados globais. Por aqui, dominou o noticiário a Operação Lava Jato, que em sua 23ª fase, denominada Acarajé, decretou a prisão do marqueteiro do PT, João Santana. 

O benchmark da Bolsa brasileira subiu 4,07%, a 43.234 pontos, seu maior nível desde 30 de dezembro. O volume financeiro ficou em R$ 6,735 bilhões. Já o dólar comercial caiu 1,81% a R$ 3,9500 na venda, enquanto o dólar futuro para março teve queda de 1,81% a R$ 3,962. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 recuou 6 pontos-base a 14,16%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 registrou perdas de 31 pontos-base a 15,43%. 

O inquérito da Lava Jato investiga supostos pagamentos de R$ 7 milhões a Santana pela Odebrecht em paraísos fiscais. Segundo o Estadão, a Lava Jato chegou ao marqueteiro por meio de anotações encontradas no aparelho celular de Marcelo Odebrecht, preso desde junho do ano passado. 

Para Luiz Felipe Mello, analista da Appia Asset, um percentual relevante da alta desta segunda vem da Lava Jato, mas o cenário externo é principal componente de otimismo, principalmente com a alta das commodities. "Os EUA abriram em forte alta e isso ajudou. Hoje é mais o cenário internacional", diz. 

Na mesma linha, o trader da Daycoval Investimentos, Daniel Ximenes Almeida, diz que a alta é mais pelo cenário externo mesmo, mas não há como negar o efeito importante que tem a piora da situação do governo atual. "O mercado vê mais uma pressão no PT. Com essa alta volatilidade qualquer notícia mais impactante faz com que o mercado tenha movimentos bruscos para cima ou para baixo", explica. 

Ações em destaque
As ações da Petrobras (PETR3, R$ 7,41, +16,14%; PETR4, R$ 5,04, +13,00%) dispararam seguindo a alta forte do petróleo, com o barril do WTI (West Texas Intermediate) registrando ganhos de 7,76% a US$ 31,94, ao mesmo tempo em que o barril do Brent avançou 5,18% a US$ 35,36. Além disso, a estatal fez nova proposta por aluguel de sondas da Sete Brasil. A companhia disse que a fornecedora e a Petrobras estão engajadas em buscar solução. E, segundo o Estadão, a estatal vai parar de procurar petróleo na Bahia.

A empresa informou ao sindicato local que, até março, vai desligar todas as sondas de perfuração terrestre usadas para encontrar novos reservatórios no Estado. Com isso, 344 empregados da prestadora de serviços Lupatech serão demitidos já no mês que vem, segundo o Sindipetro-BA. Mais mil funcionários concursados da Petrobras, que trabalham na região Nordeste se revezando em diferentes bacias, vão perder sua função. A empresa ainda não informou onde e com o que eles vão trabalhar daqui para a frente.

As maiores altas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 PETR3 PETROBRAS ON 7,41 +16,14 -13,54 158,01M
 PETR4 PETROBRAS PN 5,04 +13,00 -24,78 390,81M
 BRAP4 BRADESPAR PN 4,57 +11,74 -8,42 17,34M
 VALE3 VALE ON 13,14 +11,07 +0,84 160,97M
 CSNA3 SID NACIONALON 5,12 +10,58 +28,00 31,73M


Também em forte alta ficaram os papéis da Vale (VALE3, R$ 13,14, +11,07%; VALE5, R$ 9,40, +8,17%). O mercado seguiu a alta do minério de ferro, com a commodity spot de 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao subindo 6,2% a US$ 51,52 a tonelada seca. “Há um pouco mais de otimismo no ar, um contraste claro com novembro e dezembro, que tinha uma atmosfera de cemitério”, disse à Bloomberg Philip Kirchlechner, da Iron Ore Research Pty.

As maiores baixas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 CTIP3 CETIP ON 37,90 -0,92 +1,07 153,85M
 QUAL3 QUALICORP ON 12,89 -0,85 -8,78 33,45M
 HYPE3 HYPERMARCAS ON 24,35 -0,16 +12,16 59,86M



As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram :

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN EDJ 25,25 +4,04 644,64M 390,26M 33.785 
 PETR4 PETROBRAS PN 5,04 +13,00 390,81M 331,55M 35.259 
 BBDC4 BRADESCO PN 20,92 +5,23 369,13M 314,44M 28.962 
 VALE5 VALE PNA 9,40 +8,17 362,57M 249,94M 41.126 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 18,59 +1,47 204,93M 243,38M 26.831 
 BVMF3 BMFBOVESPA ON 11,23 +6,45 189,12M 106,61M 27.476 
 ITSA4 ITAUSA PN EDJ 6,72 +3,38 177,70M 130,95M 26.600 
 BBSE3 BBSEGURIDADEON 25,25 +4,30 176,35M 147,89M 16.365 
 BRFS3 BRF SA ON 55,50 +3,33 174,73M 104,76M 12.849 
 CIEL3 CIELO ON 32,05 +1,01 161,08M 247,46M 15.016 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
 

Entre as poucas ações em queda ficaram os papéis da Hypermarcas (HYPE3, R$ 24,35, -0,16%), que teve um resultado considerado decepcionante. A companhia teve lucro líquido de R$ 283 milhões no quarto trimestre, salto ante os R$ 71,5 milhões obtidos no mesmo período de 2014. O resultado foi apoiado em ganhos gerados por venda de ativos. A empresa registrou no período pagamento relacionado à venda de sua divisão de cosméticos à Coty, o que gerou um ganho de R$ 214,4 milhões no período.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado total foi de R$ 291 milhõess, com crescimento de 6,6% sobre o mesmo período de 2014. Analistas, em média, esperavam Ebitda de R$ 256 milhões nos últimos três meses de 2015.

Delcídio
Depois de 87 dias preso, o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) se prepara para voltar às atividades como parlamentar, mas antes pensa em tirar uma licença de até 120 para "ter paz para elaborar o discurso". Conforme informa o jornal Folha de S. Paulo, o ex-líder do governo no Senado está preocupado com a possível cassação de seu mandato, e a perda do chamado "foro privilegiado", o que faria com que seu caso passasse para o Paraná, onde seria analisado pelo juiz Sergio Moro.

Segundo o jornal, o petista tem até ameaçado colegas pela sua sobrevivência no Legislativo. "Se me cassarem, levo metade do Senado comigo", teria afirmado a interlocutores quando ainda estava preso. As expectativas são de que o senador faça um intenso trabalho de aproximação de colegas por apoio, alegando ser inocente. No entanto, com tamanha deterioração de imagem e a repercussão que sua prisão teve, poucos devem estar dispostos a assumir o ônus de apoiá-lo, a menos que as condições de troca sejam proporcionalmente proveitosas.

Lula
A rejeição ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva aumentou seis pontos desde outubro do ano passado por conta das denúncias da Operação Lava Jato e das investigações sobre tríplex e sítio que supostamente seriam dele. Em pesquisa Ibope divulgada com exclusividade pela coluna do jornalista José Roberto de Toledo do Estado de S. Paulo, Lula aparece como o presidenciável mais rejeitado entre os testados pelo instituto de pesquisa, com 61% de rejeição. 

Sua maior perda foi justamente no Nordeste, região que mais apoia presidenciáveis petistas historicamente. Seu potencial de voto foi para 47%, ficando tecnicamente empatado com a sua rejeição, de 48%. Em todo o Brasil, o potencial de voto de Lula caiu de 41% para 33%. 

Focus
Também tinha algum peso por aqui o Relatório Focus, com a mediana das projeções de diversos economistas, casas de análise e instituições financeiras para os principais indicadores macroeconômicos. A previsão para o PIB (Produto Interno Bruto) em 2016 foi de uma contração de 3,33% para uma maior, de 3,40%. Já no caso do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é o medidor oficial de inflação utilizado pelo governo, as projeções são de que haja um avanço de 7,62% este ano, contra 7,61% projetados anteriormente.

Bloomberg entrevista Armínio Fraga
O ex-presidente do Banco Central vê o Brasil enfrentando nova década perdida. “Nós não estamos patinando, estamos afundando", diz, acrescentando que a incerteza política pesa sobre a confiança dos investidores e reformas estruturais não mostram vigor. "Quando governo pede para bancos estatais liberarem até R$ 83 bilhões em crédito para estimular crescimento e propõe flexibilizar metas fiscais, levanta questões sobre seu real compromisso com austeridade", diz Fraga.

Europa patina e pode precisar de estímulos
O PMI (Índice Gerente de Compras, na sigla em inglês) composto da zona do euro cai a 52,7 pontos em fevereiro de 53,6 pontos em janeiro, atingindo o seu menor nível em 13 anos. Apenas o PMI industrial do bloco recuou para 51,0 em fevereiro, de 52,3 em janeiro, tocando o menor patamar em 12 meses; a expectativa era de queda a 52 pontos. No setor de serviços da zona do euro, o PMI teve queda para 53,0 na prévia deste mês, de 53,6 em janeiro, atingindo o menor nível em 13 meses e vindo igualmente abaixo da expectativa, que era de declínio a 53,4.

Haverá reunião do BCE (Banco Central Europeu) em março, então os números geram expectativa por estímulos na região.

Leia também:

InfoMoney atualiza Carteira para fevereiro; confira

André Moraes diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato