Em mercados / acoes-e-indices

Alerta para ação da JBS hoje, rebaixamento da Cosan e mais 12 notícias no radar

Lojas Renner, Cremer e TIM Participações divulgaram resultados; Souza Cruz fecha fábrica após IPI e mais notícias são destaques nesta sexta-feira

Petrobras - Bloomberg
(Bloomberg)

SÃO PAULO - O noticiário corporativo já se inicia agitado na manhã desta sexta-feira, última sessão após o feriado prolongado de Carnaval; a Bovespa volta a negociar apenas na quarta-feira, a partir das 13 horas (horário de Brasília). Confira abaixo os principais destaques corporativos desta sexta-feira (5):

Petrobras
O governo brasileiro deixou a Petrobras (PETR3;PETR4) de lado nas negociações para a renovação do acordo de compra de gás da Bolívia, que vence em 2019. Segundo informações do jornal O Globo, em vez de um negócio feito entre as estatais Petrobras e YPFB, como ocorreu em 1999, a ideia do governo é promover um chamamento público a empresas em geral que queiram atuar no gasoduto pelo lado brasileiro, uma vez que há grupos privados e empresas de gás estaduais interessadas em atuar nos diferentes serviços envolvendo o acordo, como o de comercialização.

A Bolívia pressiona o Brasil desde o ano passado a antecipar a renovação do acordo, como forma de assegurar a continuidade da demanda. Os vizinhos temem que a exploração do pré-sal reduza a atratividade do produto. Segundo o jornal, o Brasil ainda está conversando com investidores interessados em prestar os serviços necessários para atuação no Gasbol, o Gasoduto Bolívia-Brasil.  

Ainda sobre a companhia, a plataforma FPSO 7 chegou ao Campo de Lula em dezembro, afirmou o BG Group.

Vale
A mineradora Vale (VALE3;VALE5) desistiu de fazer parte de uma joint venture com a canadense Southern Arc no projeto de East Elang, na Indonésia, enquanto busca focar nos seus principais negócios, como minério de ferro, em momento de baixa dos preços das commodities.

A informação foi publicada nesta quinta-feira, pela Southern Arc, em um comunicado. A joint venture estava prevista em um acordo assinado entre ambas as companhias em outubro de 2010.

East Elang está em uma área adjacente a depósito de ouro e cobre, informou a canadense.

"Enquanto estamos claramente decepcionados com a decisão da Vale, entendemos a necessidade da empresa de reorientar os seus dólares na exploração de outros lugares", afirmou o presidente da Southern Arc, John Proust, no comunicado.

A Southern Arc informou que continuará a procurar oportunidades para o desenvolvimento do projeto. Procurada, a Vale afirmou que não tem comentários adicionais sobre o tema.

Ainda sobre a mineradora, o governo de Minas Gerais e as prefeituras das 35 cidades do Estado atingidas pela lama que vazou da barragem da Samarco irão cobrar ao menos R$ 1,2 bilhão em prejuízos materiais da mineradora e de suas controladoras, a Vale e a BHP Billiton, por conta da tragédia ocorrida no município de Mariana.

O valor foi calculado levando em conta os danos causados a propriedades privadas que vão de Mariana à divisa com o estado do Espírito Santo. Também foram levados em conta os gastos estaduais e municipais com o desastre.

Bradesco e BB
O Bradesco (BBDC4) e o Banco do Brasil (BBAS3), que já controlam a Cielo, avançaram nas negociações para adquirir os 49% da adquirente Elavon, correspondente à participação do Citi, segundo apurou o Broadcast. O negócio está para ser fechado desde a última sexta-feira (29), conforme fontes, e deve ser anunciado nos próximos dias. Na mesa, de acordo com as mesmas fontes, restavam ainda alguns detalhes pendentes, além de formalidades. 

JBS
Em nota para clientes, o BTG Pactual alertou para a ação da JBS (JBSS3) nesta sessão. O resultado da Bachoco (maior produtora de frango do México) mostrou margem caindo 15% no 4° trimestre de 2014 para 6,4% no 4° trimestre de 2015, por conta de aumento de oferta por lá.

A leitura é importante para a Pilgrims, uma vez que os mercados do México e Estados Unidos são bastante integrados. Resultado de Tyson de hoje também pode trazer uma leitura importante para o papel. O BTG lembrou, no entanto, que já trabalha com margem em queda nas operações da Pilgrims lá fora, de 18,4% para 8,8%, apostando na virada do ciclo. 

Cosan 
O Credit Suisse rebaixou as ações da Cosan (CSAN3) para neutra, com preço-alvo de R$ 27,00 por ação. O banco manteve as recomendações de outperform para São Martinho (SMTO3) e Biosev (BSEV3), com preços-alvos de R$ 60,00 e R$ 12,00, respectivamente.

A São Martinho segue como top pick do banco no setor. A Biosev vem em seguida, mas devido à baixa liquidez da ação e a alta alavancagem (dívida líquida/Ebitda de 3,9 vezes), os analistas preferem a São Martinho. Por último é a Cosan, que o banco tem uma visão mais cautelosa.

Lojas Renner
A Lojas Renner (LREN3) informou nesta quarta-feira lucro líquido de R$ 251,5 milhões no quarto trimestre, avanço de 15% sobre o mesmo período um ano antes. A média das estimativas de analistas apontava para lucro de R$ 254 milhões. A receita líquida subiu 10% no trimestre, encerrando dezembro de R$ 1,83 bilhão, com as vendas nas mesmas lojas (abertas há mais de 12 meses) subindo 4,5% no período. 

O BTG Pactual destacou que a companhia ainda conseguiu mostrar expansão nas vendas nas mesmas lojas, mesmo com a base de comparação mais difícil. No 4° trimestre de 2014, a companhia teve crescimento de 17,3% no segmento. O banco lembra também que a empresa será a única a crescer no segmento mesmas lojas do setor de varejo, o que confirma boa execução. 

No quarto trimestre, novembro teve um resultado de vendas "um pouco abaixo", com um final de semana a menos, uma base de comparação alta em relação a 2014 e o ambiente promocional, com Black Friday. Os clientes esperaram um pouco para as compras de Natal, segundo Gomes.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado foi de R$ 491,7 milhões, alta de 5,6% na mesma base de comparação. "O ano foi muito bom... mesmo diante do ambiente promocional desde maio e um mercado bem competitivo, conseguimos desempenho acima do varejo", disse o executivo. No fechado de 2015, o lucro da Renner subiu 22,8%, a R$ 578,8 milhões. Gomes vê um "cenário desafiador em 2016" e espera um aumento das vendas este ano mais moderado em relação ao ano passado. 

Ainda sobre a companhia, Conselho de Administração da varejista de moda aprovou a prorrogação do contrato do diretor-presidente, José Galló, por mais dois anos, a contar a partir de 1º de janeiro de 2017, segundo ata de reunião divulgada na noite de quinta-feira. Segundo o site de relações com investidores da empresa, a primeira eleição de José Galló na companhia foi em 1991.

TIM
A TIM Participações (TIMP3) divulgou os resultados do quarto trimestre e de 2015. A companhia fechou o ano com um lucro de R$ 2,07 bilhões, 33,9% acima do ano anterior; nos últimos três meses do ano, a alta do lucro foi de 3,3%, somando R$ 475,58 mil.

O Ebitda recorrente (excluindo a venda de torres) teve queda anual de 2,6% em 2015 (para R$ 6,06 bilhões) e de 4,5% (para R$ 1,514 bilhão) no quarto trimestre principalmente devido a um ambiente macroeconômicomais difícil,impacto do corte da VU-M e migração de serviços de voz para dados, informou a companhia. A receita líquida somou R$ 4,12 bilhões no quarto trimestre, ante estimativa de R$ 4,26 bilhões. 

Em teleconferência, o presidente da TIM, Rodrigo Abreu, disse que vai propor 25% do lucro ajustado como dividendos para 2015. Para ele, a receita de dados vai superar voz em 2016. 

 Cremer
A Cremer (CREM3) divulgou os seus números de 2015, com uma receita líquida de R$ 874,4 milhões no ano, 32% acima de 2014. O Ebitda de R$ 104,1 milhões, 6,5% acima de 2014, com Margem Ebitda de 11,9%. O lucro líquido foi de R$ 25,7 milhões, 21,5% abaixo de 2014 e com margem Líquida de 2,9%. 

A companhia ainda anunciou que seu controlador, FIP Tambaqui, celebrou acordo de investimento com a HS Aquisições Holding, do grupo Henry Schein, que prevê uma cisão parcial da companhia, de acordo com comunicado divulgado na madrugada desta sexta-feira. A CSM Solutions, sociedade controlada pelo FIP Tambaqui, receberá 91,68% do capital social da Dental Cremer. Na sequência, o grupo Henry Schein comprará ações representativas de 94,32% do capital da CMN. De acordo com a Cremer, 100% das ações da CMN, equivalentes a 90,28% da Dental Cremer, foram avaliadas por R$ 239,2 milhões.

Oi 
A Anatel adiou a decisão sobre a proposta da Oi (OIBR4) sobre multas no valor de R$ 1,2 bilhão para 18 de fevereiro. A proposta da Oi é trocar o pagamento de multas de R$ 1,2 bilhão por investimentos. 

Brasil Pharma
A Brasil Pharma (BPHA3) recomprou 355 debêntures da terça emissão por um valor de R$ 389,7 milhões. O debenturista é o BTG Pactual Prop Feeder.  

Itaúsa
A BlackRock informou que alienou ações da Itaúsa (ITSA4) e possui atualmente 4,99% das ações preferenciais da companhia.

Dasa
O Oppenheimer enviou comunicado ao mercado informando que reduziu a participação nas ações da Dasa (DASA3) para 0,198% dos papéis ordinários.

Valid
A Valid (VLID3) anunciou programa de recompra de até um milhão de ações ordinárias, ou aproximadamente 1,5% das ações em circulação. O prazo para a recompra conta a partir desta data e expirará em 1 de fevereiro de 2017. 

O Ebitda recorrente (excluindo a venda de torres) teve queda anual de 2,6% em 2015 (para R$ 6,06 bilhões) e de 4,5% (para R$ 1,514 bilhão) no quarto trimestre principalmente devido a um ambiente macroeconômicomais difícil,impacto do corte da VU-M e migração de serviços de voz para dados, informou a companhia. A receita líquida somou R$ 4,12 bilhões no quarto trimestre, ante estimativa de R$ 4,26 bilhões. 

Contax
A Contax (CTAX11) afirmou que foram verificadas condições de eficácia para alongamento do endividamento financeiro. A companhia convocará novas assembleias gerais de debenturistas da 1ª, 2ª e 3ª emissões para deliberar sobre extensão do prazo para verificação das condições de eficácia.

Souza Cruz
A Souza Cruz, que fechou o capital no final do ano passado, anunciará o fechamento imediato de uma fábrica no Rio Grande do Sul, no município de Cachoerinha após a escalada do IPI, segundo informações do Valor Econômico. A fábrica produz 12  bilhões de unidades de cigarros ao ano, de um total pouco maior que 50 bilhões produzidos pela companhia no Brasil. 

“Não é uma decisão tomada por vontade própria, mas pela existência de uma escalada expressiva no aumento de impostos, que vem prejudicando o consumo”, afirmou o diretor financeiro da empresa, Leonardo Senra, ao jornal. Nesta semana, o governo anunciou aumento do IPI sobre cigarros a partir de maio. A alíquota atual, de 60%, valerá até 30 de abril, subindo para 63,3% a partir de 1º de maio, e depois terá nova alta em 1º de dezembro, para 66,7%. A medida afeta os preços do maço, box e vintena dos produtos.

Leia também:

Carteira InfoMoney bateu Ibovespa em 8 pontos em janeiro; você já baixou?

Analista-chefe da XP diz o que gostaria de ter aprendido logo que começou na Bolsa

 

Contato